05 fev 2015

VOCÊ PODE FAZER O QUE?

No Comments Ações Sociais, Desenvolvimento Sustentável, Escolhas, Protagonismo, Qualidade de Vida, Responsabilidade Social Empresarial, Saúde

Eu acredito do poder da ação e das pessoas unidas em torno de uma causa. E você? 

lounge-empreendedor-voce-pode-fazer-o-que

Cada vez mais, a população tem acompanhado a situação hídrica no País. O que antes era um problema que afetava somente uma parcela dos brasileiros, hoje atinge grandes metrópoles como São Paulo e Rio de Janeiro. E, neste cenário, precisamos descobrir uma nova forma de nos relacionamos com um dos nossos bens mais preciosos.

Para levar o debate sobre a importância da economia de água para os jovens, a Unilever reuniu o empreendedor social Renê Silva (que é um querido e amigo do Lounge Empreendedor) e a cantora Preta Gil em um bate-papo no Morro do Alemão, no Rio de Janeiro. O encontro, realizado em dezembro do ano passado, discutiu como medidas simples podem fazer a diferença para garantir o acesso de todos à água de qualidade.

 “O resultado esta capturado em um vídeo que retrata o papel de cada um para garantir o acesso à água de qualidade, além de trazer dicas que podem ser adotadas por todos. Sabemos que mudanças simples de comportamento, quando adotadas em massa, podem gerar grandes economias, e é nosso papel trazer esse tema à tona em um momento delicado como este que o país está vivendo”, comenta Diego Colicchio, diretor de Marketing de Home Care e Marca Corporativa da Unilever.

 A ação faz parte do Projeto Sunlight, criado pela Unilever em 2013, e que tem como objetivo motivar milhões de pessoas a viverem de modo mais sustentável, inspirando-as a construírem uma sociedade melhor para as gerações futuras. Já em seu primeiro ano, o Projeto Sunlight transformou a vida de dois milhões de crianças nos Estados Unidos, Reino Unido, Brasil, Índia e Indonésia e inspirou mais de 100 milhões de pessoas em todo o mundo a adotarem comportamentos mais conscientes.

“Somos uma empresa pioneira em trazer a sustentabilidade para o centro do modelo de negócios. Acreditamos que ser sustentável não permeia apenas temas ambientais, mas refere-se a uma visão holística para as questões sociais que podem ser transformadas positivamente através das iniciativas que estamos promovendo, como o Projeto Sunlight.”, finaliza o executivo.

Talvez nem todos nós tenhamos o potencial da Unilever para levar adiante projetos como o Sunlight http://projetosunlight.com.br/, mas tenho certeza que tem boas ideias de como melhorar a vida das pessoas. Que tal contar um pouco pra gente?

Você pode também se engajar com o próprio Sunlight: http://bit.ly/1rzkz1J

Olha só o papo do Renê e da Preta…

 

04 out 2014

O SILÊNCIO DOS BONS

No Comments Ações Sociais, Cidadania, Comportamento, Datas Especiais, Democracia, Economia, Escolhas, Mercado, Mudança, Protagonismo, Responsabilidade Pessoal, Sociedade e Política

Amanhã viveremos um dia importante para a democracia brasileira. Você já fez suas escolhas?

lounge-empreendedor-o-silencio-dos-bons

Toda campanha eleitoral é a mesma coisa: políticos que a gente mal conhece aparecem prometendo mundos e fundos para abocanhar o voto da população. Dessa vez, quem está diferente é o eleitor, que chegou ao limite de sua paciência e não se empolga mais tão facilmente com as opções disponíveis.

Ouso dizer que “a ficha está caindo”, mas, infelizmente, isso ainda não produz uma mudança profunda no cenário que nos cerca. É comum ouvir muita gente reclamando dos políticos e da corrupção, mas quem os coloca lá?

Foi você, fui eu. Chega de tapar o sol com a peneira, chega de fugir do problema. Somos todos responsáveis pelos rumos da nação quando apertamos as teclas da urna eletrônica e confirmamos nossa escolha.

E amanhã, 5 de outubro, teremos a chance de fazer isso mais uma vez. Você está preparado? Pesquisou os candidatos que mais chamaram a sua atenção? Quem são eles, de onde são, qual o histórico político e pessoal, que bandeiras defendem?

Ou você é daqueles que, a caminho da zona eleitoral na qual vota, pega qualquer papelzinho no chão e crava o número na urna. E pensa orgulhoso: “Cumpri meu dever cívico”. Ledo engano, ser cidadão é mais do que simplesmente votar. É saber em quem se está votando e por qual motivo.

E tão nocivo quanto votar em qualquer um é não votar. Se eximir desta responsabilidade não vai tornar o País melhor, mas pode piorá-lo um pouquinho mais, por nossa negligência e comodidade é que a corrupção reina em todas as esferas e se enraíza sem cerimônia.

Você quer mais saúde, educação e segurança pública? Então chegou a hora de parar de reclamar e de fazer aquele discurso pronto e reagir. Esta é a poderosa hora de protestar, não sabotando o processo, votando em qualquer um, me branco ou nulo, mas votando com sabedoria, dando oportunidade a pessoas sérias, comprometidas e trabalhadoras.

Defendo o voto distrital, pois ele estimula a escolha de candidatos da nossa cidade e região que vivem e conhecem a nossa realidade: comendo nos mesmos restaurantes, frequentando o mesmo shopping, enfim, vivendo a nossa vida!

E mesmo sem o sistema estar legalmente em vigor, você já pode agir assim. Escolha representantes que sejam realmente seus representantes.

Saber escolher bem é necessário para que possamos resgatar o prestígio político de outrora, quando tínhamos cinco deputados. Hoje, nosso município tem um representante na Assembleia Legislativa e outro na Câmara Federal. É preciso dizer algo mais?

Amanhã, o poder estará em suas mãos, eleitor. Para alguns um transtorno para outros a oportunidade de intervir nos rumos da nação. Em qual grupo você está? Pense nisso! Já dizia Martin Luther King: “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas sim o silêncio dos bons”.

lounge-empreendedor-o-silencio-dos-bons

27 set 2014

SAIA DA VALETA

No Comments Administração e Gestão, Carreira, Coaching, Comportamento Empreendedor, Empregabilidade, Gestão de Pessoas, Liderança, Protagonismo, Viva Positivamente

Você faz a diferença? Na vida podemos ser escultor ou escultura. Qual é a sua escolha? 

lounge-empreendedor-saia-da-valeta

Na última terça-feira, durante o quadro “Carreiras & Negócios” que conduzo junto à Marilei Schiavi e Fadua Sleimann na Radio Metropolitana AM 1070 ouvi uma frase do presidente do Sincomércio de Mogi das Cruzes, Airton Nogueira, que me fez pensar durante toda a semana: “Se você quer fazer a diferença, você tem que sair da valeta!”.

Existe um espaço comum a qualquer um de nós – a tal valeta – que pode ser preenchido por um bom currículo, uma boa faculdade ou uma experiência comprovada no mercado de trabalho, mas para sair da valeta é preciso mais!

Refletir sobre este tema é algo que inevitavelmente nos coloca num estado de auto-investigação. É um convite ao exercício da introspecção onde confrontamos nossas ações e seus respectivos resultados. Entretanto, tenho observado que muitas pessoas ao se questionarem a esse respeito acabam encontrando um certo desconforto interno ou uma ansiedade desmedida pela percepção equivocada que têm sobre o assunto.

É muito comum, a ideia central do “fazer a diferença” remeter nossas expectativas mentais a construção de grandes obras e realizações. Automaticamente fazemos correlações com as pessoas que temos como modelo de conduta e de sucesso. Assim, muitos passam a acreditar que fazer a diferença pode exigir um esforço tamanho que preferem desistir, afinal, erradicar a fome do mundo, descobrir a cura do câncer ou ganhar um prêmio Nobel são tarefas que exigem tamanha dedicação e entrega que preferimos deixar esta ideia de fazer a diferença para os diferenciados… Puro engano, grande equívoco!

Talvez você já tenha lido que Mahatma Gandhi pronunciou a seguinte frase para os seus seguidores: “Você deve ser a mudança que deseja ver no mundo”. Pois é… 

O que determina se conseguiremos sair ou não da valeta permitida a todos e a qualquer um não é tanto o que fazemos, e sim como fazemos. Por isso, encontre formas de surpreender positivamente as pessoas, fazendo "algo” além do que era esperado, e de alguma forma que supere as expectativas. Fazer a diferença significa "encantar" as pessoas, criando aquele ambiente mágico em que as pessoas podem dizer: "para mim, naquele momento, naquele local, você fez a diferença!".

Esteja 100% focado no que você estiver realizando. Nosso potencial de transformação e de criação encontra-se somente no momento presente! Não comprometa seus resultados por estar disperso entre o passado (arrependimentos, culpas) e o futuro (preocupações, medos).

Para fazer a diferença, é preciso que adotemos uma postura de respeitabilidade quanto à diversidade humana. Deixe o outro ser diferente de você. Cada encontro é sagrado e podemos aprender profundas e enriquecedoras lições com todas as pessoas que cruzam nosso caminho.

O poder pessoal significa num primeiro momento aceitarmos as coisas como elas são (e não ficar brigando contra), e imediatamente agir em cima disso. Por exemplo: seu chefe no trabalho é um pequeno ditador? Aceitar significa não ficar desejando que ele seja diferente, mas sim reconhecer que ele é assim. A questão que se coloca é o que você deve e pode fazer com isso? Só assim você poderá lidar com a situação e mostrar sua maestria pessoal e profissional que lhe diferencia na valeta.

Fazer a diferença é uma atitude, é um estado de espírito e decorre de uma decisão pessoal: eu quero fazer uma positiva diferença para mim mesmo e para as pessoas.

lounge-empreendedor-saia-da-valeta

05 jul 2014

VIDA DE MARGARINA

No Comments Carreira, Coaching, Cotidiano, Empreendedorismo, Escolhas, Gestão de Pessoas, Inteligência Emocional, Protagonismo, Relações Humanas, Sucesso, Viva Positivamente

"Conhece-te a ti mesmo", já dizia Sócrates. Uma frase pequena, mas fundamental para quem busca o sucesso.

lounge-empreendedor-vida-de-margarina

Todos queremos ser bem sucedidos. O que varia é o entendimento do sucesso para cada um de nós que é único e definido de acordo com os objetivos pessoais e que vamos elaborando ao longo da vida. Quer seja dar uma boa educação aos filhos, terminar um curso com boas notas, ganhar mais dinheiro, ter um relacionamento enriquecedor, ou ser promovido no emprego; todos estes objetivos beneficiam um conjunto de estratégias mentais que podem facilitar (ou não) a obtenção dos resultados.

Esse conjunto de estratégias determinará a força dos hábitos mentais que você irá constituir e que poderão promover ou prejudicar seus sonhos, desejos e objetivos de vida. Se você pretende progredir, se desenvolver e ganhar benefícios, é primordial levar em consideração que a forma como processa as informações e a maneira com estrutura seu pensamento pode – e muito – ser influenciada por você. 

Quer ver coisas boas acontecerem? Pois, então, faça-as acontecer!

A capacidade de se automotivar é uma habilidade crucial no mundo contemporâneo. No trabalho, em casa, e em todo o resto, as pessoas usam a motivação para conquistar resultados. E motivação requer um equilíbrio delicado entre a comunicação consigo mesmo, sua estrutura de personalidade e os incentivos externos que você encontra. O mais extraordinário e capacitador é que você pode influenciar seus níveis de motivação e autocontrole descobrindo o que você quer, apoiando suas decisões nesse sentido e sendo realmente quem você quer ser.

O que não é muito simples se pensarmos que vivemos o momento mais exibicionista da humanidade. As pessoas agora tiram fotos não mais para registrar as lembranças do que estão vivendo, mas para exibir as conquistas do que estão vivendo. As redes sociais exibem versões editadas das vidas das pessoas, muitas vezes, mais falsas do que aquelas propagandas de margarina onde a tradicional família classe média é constantemente feliz.

Ninguém é senhor de sua própria história, mas todos podemos ser autores de nossa própria estória. (Se você não sabe a diferença, alguns dicionários defendem que devemos utilizar o termo história para a narração de fatos documentados e situações reais sobre o passado da humanidade e o termo estória para a narração de fatos imaginários, de ficção, entedeu agora onde quero chegar?!?)  Somos todos editores de sucessos que não fazem sentido frente aos nossos próprios sonhos e metas.

Qual é a sua medida de sucesso real? Você já conversou sobre isso com o espelho?

Diante da avalanche sufocante de felicidade 100%, falta clareza sobre o controle e medida que colocamos sobre nós. Talvez você até saiba que quer ter mais amigos, ou quer ganhar mais dinheiro, ou quer começar um negócio. Mas já pensou cuidadosamente sobre isso até o último detalhe?

Você (e apenas você!) é a força motriz capaz de se manter no caminho para o êxito; as outras pessoas podem ajudar, mas no final você detém o poder. Se não escrever a sua história e enfrentar de forma tenaz as adversidades e os contratempos da vida, terá vivido apenas uma propaganda de margarina. E sem sal!

lounge-empreendedor-vida-de-margarina

07 jun 2014

FAÇA AS PAZES COM SI MESMO

No Comments Carreira, Coaching, Comportamento, Desenvolvimento Humano, Protagonismo, Relacionamento, Viva Positivamente

Toda negatividade pode ser francamente irritante, principalmente se ela estiver dentro de você! 

lounge-empreendedor-faça-as-pazes-com-si-mesmo

Você pode não gostar de algumas mensagens que a sua mente cria ou da forma que isso influencia as suas ações. Na verdade, toda negatividade pode ser francamente irritante. Contudo, não há como fugir: sua mente faz parte de você, você está preso a ela, não pode eliminá-la e pensamentos negativos sempre irão aparecer.

O que você pode (e deve) fazer é abandonar o diálogo autocrítico e fazer as pazes com a sua mente colocando sua atenção em ações que construam caminhos rumo aos objetivos que pretenda atingir.

Lembre-se que pensamentos são apenas pensamentos! Não se una a eles como se fossem processos indivisíveis de si mesmo. Quando você se coloca num estado de fusão com seus pensamentos e sentimentos, passa a aceitá-los como verdade absoluta e caso eles sejam negativos, depreciativos e incapacitantes, você entrará num ciclo vicioso perigoso. 

Se nossos pensamentos são eventos mentais, influenciados por nossos humores, sensações, saúde, hormônios, pelo que assistimos na TV ontem à noite, por aquilo que aprendemos quando crianças, e assim por diante; podemos dizer, então, que são hábitos mentais. E, como qualquer hábito, eles podem ser saudáveis ou não, servir-nos ou não, facilitar-nos a vida ou não. É preciso aprender a identificá-los e principalmente, praticá-los corretamente.

E para mudar qualquer hábito ou a forma como utilizamos nosso pensamento é preciso muito treino e paciência! Assim, como não podemos levantar do sofá e partirmos para correr uma maratona sem treino, também não podemos magicamente desligar os nossos padrões mentais, sem uma prática repetida e esforço considerável.

Há um velho e sábio ditado que diz "Nós somos o que fazemos repetidamente". Eu ousaria complementá-lo dizendo que "nós nos tornamos aquilo que repetidamente pensamos". Com o tempo, nossos padrões de pensamento vão ficando gravados em nosso cérebro e, quase sem querer, disparamos uma sequências de atitudes, positivas ou não, assim que um primeiro pensamento seja iniciado. 

Dirigir no piloto automático pode ser ótimo para quem está à frente de um automóvel, mas para o funcionamento emocional esse é um péssimo modelo. Só mudamos nossos padrões mentais negativos, praticando o distanciamento e o desapego através de uma intenção positiva e consciente que influencie nossos comportamentos e atitudes.

Por isso, assim que sentir uma emoção negativa tomar conta de você, enfrente-a. Não acredite que tudo vai passar sem que você assuma o controle. Seja compassivo com a sua dor, dificuldades e angústias. Procure deliberadamente por experiências internas ou externas que lhe tragam alegria e conforto, por memórias de momentos felizes com as pessoas que ama ou por situações parecidas em que você foi capaz de se superar e vencer. Esses recursos podem ajudá-lo a suplantar sentimentos difíceis enquanto você permanece focado no presente. Seja o seu maior aliado para o futuro que deseja viver. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...