01 mar 2011

QUAL É O PROBLEMA?

2 Comments Sem categoria
Ainda ouço muitas pessoas discutindo sobre a liberação ou não dos acessos às redes sociais nas empresas. 
Muitos amigos sabem da minha opinião (e paixão) sobre o assunto e por isso, um deles me encaminhou um texto do Ricardo Jordão por e-mail que faço questão de compartilhar com vocês, leitores do Lounge Empreendedor.

POR QUE OS DIRETORES DA SUA EMPRESA NÃO PODEM TER ACESSO A INTERNET
“O segredo da felicidade é a liberdade. O segredo da liberdade é coragem. Você tem coragem?”
Apesar de 99% dos seus clientes estarem nas redes sociais; apesar de 100% dos seus fornecedores estarem na web, apesar de 93% de todas as compras B2B começarem na internet; apesar das redes sociais serem a ferramenta de marketing mais barata e mais eficaz do momento, apesar das redes sociais serem a melhor maneira de transformar todos os seus funcionários em vendedores; 80% das empresas brasileiras continuam proibindo que os seus funcionários acessem as redes sociais durante o horário de trabalho.
A desculpa é sempre a mesma, o livre acesso as redes sociais tornam o funcionário improdutivo.
Besteira!
Eu tenho livre acesso as redes sociais e não sou um cara improdutivo.
Eu tenho livre acesso as redes sociais e uso para fazer marketing da minha empresa.
Eu tenho livre acesso as redes sociais e uso para atrair clientes para os meus clientes.
Eu tenho livre acesso as redes sociais e uso para buscar informações que me ajudam a atingir os meus objetivos.
Eu tenho livre acesso as redes sociais e uso para fidelizar os clientes.
Eu tenho livre acesso as redes sociais e uso para prospectar clientes.
Eu tenho livre acesso as redes sociais e uso para encontrar grandes pessoas.
Eu tenho livre acesso as redes sociais e uso para liderar as pessoas que trabalham comigo.
Eu tenho livre acesso as redes sociais e uso para reduzir os custos da empresa.
Eu tenho livre acesso as redes sociais e uso quando eu acredito que é a melhor hora de usá-las.
Qual é a diferença entre os seus funcionários e eu?
Por que eu sou capaz de usar as redes sociais de maneira produtiva e os seus funcionários não?
O problema não são as redes sociais.
O problema é a falta de objetivos, metas, indices de performance, projetos, novidades, enfim, direção na sua empresa!
Eu tenho objetivos, metas, prazos e coisas para fazer todos os dias. Eu não tenho tempo para perder nas redes sociais com bobeira, besteira, piadas, mulher pelada ou whatever.
Quando eu entro nas redes sociais, eu entro com um objetivo a ser realizado. Ser apresentado para um determinado executivo, promover um determinado evento dentro de um grupo de discussão, ajudar um determinado gerente a descobrir respostas sobre como aumentar as vendas da sua empresa, descobrir insights sobre geração de demanda para ajudar um cliente a desovar determinado produto que está parado há meses no estoque etc etc etc.
As redes sociais, por incrível que pareça, são uma ferramenta incrivelmente objetivas. Se você tiver um pergunta, você encontra a resposta; se você souber o que você esta procurando, você encontra.
Eu acredito que VOCÊ deveria tirar o SEU acesso as redes sociais, ou talvez cortar o acesso dos diretores da sua empresa. Talvez o livre acesso às redes sociais por parte dessa turma esteja impedindo a direção da empresa de usar o tempo que vocês tem para criar os planos e objetivos necessários para transformar a produtividade dos seus funcionários.
É isso ai, tira as redes sociais dos diretores! Eles estão vagabundando na web quando deveriam ter criado planos objetivos para a empresa.
Enquanto você fica ai pensando se libera a “orkut” para os funcionários, a fila anda.
Nesse momento 1.045 profissionais brasileiros da indústria de tecnologia estão conectados e trocando idéias e insights na rede social Zomo, criado pela IT Midia; 10.753 empresários e funcionários de pequenas e medias empresas estão participando de mais de 50 grupos de discussão diferentes na rede social criada pela Revista Exame Pequenas Empresas para os seus assinantes; 3.578 profissionais de recursos humanos estão bombando de trocar idéias no grupo “Gestão de Recursos Humanos” na Linkedin brasileira.
Enquanto você proibi os seus funcionários de participar da conversa, a turma está toda animada no baile conversando entre si, construindo credibilidade, reputação, e novos relacionamentos.
2011 é o primeiro ano da segunda década do Século 21. Você vai continuar insistindo em querer viver em 1982?
NADA MENOS QUE ISSO INTERESSA!!
QUEBRA TUDO! Foi para isso que eu vim! E você?
Visite o Lounge Empreendedor e deixe sua opinião sobre o conteúdo deste texto.
Te espero por lá…
26 mar 2010

PESSOAS EM REDE

2 Comments Confiança, Estratégia, Gestão, Relacionamento

Você acredita que pode ignorar as redes sociais ou que esse é mais um modismo da atualidade?
Justamente por ter o meu perfil disponível em várias plataformas sociais, muitos empreendedores têm me perguntado sobre a melhor forma de inserirem suas marcas e divulgarem seus produtos através dessa ferramenta.
Assim como tudo que diz respeito à gestão, não existe uma receita a ser seguida por todos. Ingressar em qualquer rede social requer das empresas um novo entendimento sobre o relacionamento empresa, cliente e colaborador assim como ciência de que será impossível interagir com todo mundo. Por isso, é preciso capacidade e discernimento para a tomada de decisões, entre elas selecionar onde e com quem sua empresa quer se relacionar. E muitas vezes, será necessário também que a empresa reinvente suas próprias relações de poder, pois ou o dono da empresa assume a responsabilidade em ser o porta-voz de tudo o que for escrever na web, ou ao ingressar nas teias das redes sociais, assume a necessidade de construir novas relações internas que exigem a abdicação do controle e a urgência na velocidade de respostas e decisões, pois caberá ao representante da empresa a tarefa de atualizar seu blog ou responder suas mensagens no twitter, e ele necessitará de “voz” e confiança.
Por isso, se quiser entrar na rede, você precisa passar a confiar nas pessoas e reconhecer que nesse novo contexto, seus consumidores e seus funcionários também têm poder e podem auxiliá-lo a planejar e criar uma estrutura para manter sua marca em uma rede social. Isso permitirá que sua empresa encontre modos diferenciados para interagir e medir o que está acontecendo com seus clientes e concorrentes.
Independente da plataforma que for escolhida, o mais importante é perceber esse novo espaço como novos meios de relacionamentos que sua empresa passa a cultivar e não apenas como novas tecnologias.
As conversas nas redes tornam a relação entre empresas e clientes mais humana, diminuindo o tom corporativo e formal. Você é obrigado a concordar que é muito mais interativo falar diretamente com o diretor de um produto do que ler um press release ou receber um e-mail marketing, certo?
Entretanto, até pouco tempo atrás, quando se pensava em relações com o cliente, essa conversa seria inconcebível e a estratégia se restringiria ao lançamento de campanhas ou boas peças publicitárias.
Hoje, ganha mais a empresa que conseguir ter relações contínuas com seus clientes por meio da confiança conquistada em rede, sem interrupções e sem vínculos à campanhas específicas.
Afinal, sua empresa falando dela mesma não basta, é preciso que os outros também falem!
Pense que nunca o consumidor esteve tão perto da sua marca. Uma simples frase no twitter ou um vídeo inserido no youtube pode construir ou destruir anos do seu trabalho. E isso vale para qualquer tipo de serviço ou para qualquer porte de empresa. Por isso, é melhor que você esteja por lá para poder se relacionar.
E ainda que sua empresa opte por não estar engajada nesse mundo em rede, ao menos precisará acompanhar o que esta acontecendo por lá: quais os temas e os comportamentos mais disseminados, pois se as necessidades de seus clientes mudam constantemente, eles verbalizam isso nas redes e você deverá estar apto à atende-las.
Pense em quantos clientes gostariam de conversar com os negócios e marcas que passaram a amar. Ou até mesmo em quantas reclamações você poderia evitar ou transformar em excelentes oportunidades para engajar e cultivar a lealdade de seu publico.
Lembre-se que ao oferecer atenção ao seu cliente nas redes sociais, você pode conquistar embaixadores e evangelizadores de sua marca. Basta lembrar a eleição de Barack Obama ou acompanhar as votações dos paredões do Big Brother Brasil. É incrível a capacidade e o poder que as redes sociais têm para influenciar o comportamento das pessoas.
Por isso, encontre seu espaço e escolha onde você deseja estar. . Defina a linguagem e a imagem que pretende construir nas redes.
Essa é mesmo uma onda sem volta… Eu não ficaria de fora!

ANA MARIA MAGNI COELHO

Publicado no caderno Opinião – MogiNews

27 de março de 2010
Visite o Lounge Empreendedor e deixe sua opinião sobre o conteúdo deste texto.
Te espero por lá…
28 jan 2010

REDES SOCIAIS: VOCÊ FAZ PARTE?!?

No Comments Sem categoria

Durante essa semana, acontece em São Paulo mais uma edição da Campus Party Brasil, um evento totalmente direcionado às mídias digitais onde pessoas comuns como nós podem desenvolver suas habilidades em conferências e competições que se realizaram em 13 áreas de conteúdo: Campus Blog, Robótica, Design, Fotografia, Música, Vídeo, Desenvolvimento, Games, Modding, Simulação, Software Livre, CP Labs e Segurança em Rede.
A realização de um evento desse porte evidencia a necessidade de mudanças na qualidade do debate sobre o uso da Internet no trabalho. Há anos atrás, quando computador pessoal nas empresas era privilégio do alto escalão e a comunicação em rede estava nos primórdios de suas possibilidades, discutíamos se navegar na Internet fazia ou não parte do trabalho. Hoje, as empresas já não sobrevivem sem a rede e o mundo vai se tornando cada vez mais consciente dos meios de comunicação social e das técnicas da Web 2.0, um ambiente altamente colaborativo.
Mas a pergunta que não quer calar é “o que uma pequena empresa pode ganhar com isso?”
Além de um custo quase zero em esforços na área de marketing, nas redes as empresas não têm rótulos: pequenos e grandes são do mesmo tamanho. Basta oferecer conteúdo de qualidade!
Se 2009 foi o ano em que as empresas descobriram que a internet não é apenas um brinquedo para crianças e mais nada, 2010 será o ano em que as empresas finalmente começarão a usar os meios de comunicação social como uma ferramenta de acesso a novos mercados.
Se sua empresa ainda não desenvolveu uma estratégia para divulgação do seu negócio através das redes é melhor começar logo. Quanto mais conexões seu negócio conseguir desenvolver, maiores serão as chances de aparecerem novas oportunidades – seja para divulgar um novo produto ou uma necessidade de parceria, manter seu cliente antenado às mudanças e até para contratar pessoas.
Jovens com seus celulares 3G, blogs e perfis em várias comunidades têm ajudado as empresas a entrar para o mundo digital. Para eles, o uso do e-mail é antiquado, o equivalente a usarmos fax. A comunicação hoje acontece por meio de redes sociais como Orkut, Facebook, Twitter, Messenger, entre outras ferramentas de comunicação, mas infelizmente mais de 70% das empresas brasileiras ainda impedem que seus colaboradores acessem estes sites.
E aí? Qual será o caminho que você pretende seguir? O caminho da obsolescência das regras ou a via da liberdade de conteúdo e da inovação?
Visite o Lounge Empreendedor e deixe sua opinião sobre o conteúdo deste texto.
Te espero por lá…
25 mai 2009

QUAL É A SUA?!?

No Comments Comportamento, Cooperação, Economia Digital, Internet, Redes Sociais, Relações Humanas, Web

Muitas pessoas vivem se lamentando da falta de contatos, do pouco relacionamento ou do emprego em que estão. Mas não aproveitam as alternativas que o mundo conectado lhes traz…


Hoje a interconectividade proporcionada pela internet, está deixando para trás as pessoas que não se envolvem ou não compartilham seus conhecimentos através das inúmeras ferramentas da rede: blogs, wikis, perfis compartilhados, twitter…

Nessa semana, escrevi um pouquinho sobre isso aqui na região e compartilho com vocês.

A QUAL WEB VOCÊ PERTENCE?

A evolução do mundo digital é muito rápida, basta um piscar de olhos para perder uma fração do processo e ter a nítida sensação de que houve uma revolução.

Hoje, você pode perder uma excelente oportunidade de negócio ou a chance de uma nova colocação profissional se ainda não possuir um perfil disponível em sites de relacionamento ou se possuir um blog para compartilhar seu conhecimento e discutir suas percepções sobre o mundo.

Chame como quiser! Pode ser WEB 2.0: a rede social, da colaboração; WEB 3.0: a rede semântica, Web 4.0: a rede móvel, ou se você preferir, WEBFlex – aquela que você a usa como quiser!

Na verdade, vivemos a substituição da Era da Informação pela Era da Participação, feita por pessoas para pessoas. Gente como você.

Acredito que seja uma evolução natural centrada nos usuários que descobriram que o principal elemento da rede não são os criadores dos sites, mas sim os conteúdos ali relacionados e a forma de utilização dos mesmos.

E você, pequeno empresário, deve ficar atento a tudo isso. A informatização já é realidade não apenas para as grandes empresas, mas também para as pequenas. Seguir o caminho do desenvolvimento tecnológico é importante e contribui para o aumento da eficiência e produtividade.

Jean-Paul Sartre dizia que “as pessoas lêem porque um dia desejam escrever"; Sócrates pregava a união dos povos, mobilizando pessoas em prol de uma determinada região; a comunidade científica inteira busca descobrir junta a cura da AIDS…

Essa é a web que eu vivo, a web em que a sabedoria está nas multidões. E você??? Quando vai acordar para ela?

 

ANA MARIA MAGNI COELHO

23 de maio de 2009

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...