11 abr 2013

EXPO MONEY CURITIBA

No Comments Carreira, Consumo, Economia, Empreendedorismo, Evento, Gestão Financeira, Mercado

Evento de educação financeira, investimentos, carreira e empreendedorismo será realizado no Expo Unimed nos dias 12 e 13 de abril. 

 

lounge-empreendedor-expomoney

Curitiba será a primeira capital brasileira a receber, entre os dias 12 e 13 de abril, a Expo Money, o maior evento de educação financeira e investimentos da América Latina, que oferece serviços e palestras sobre os temas ligados à área. O evento, que acontece no Expo Unimed (Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300), possibilita aos participantes aprender mais sobre os diferentes produtos financeiros, ensina como administrar da melhor forma os bens e orienta sobre os melhores investimentos.

lounge-empreendedor-expomoneyLançado em outubro de 2002, o evento foi criado para apresentar o complexo mundo dos investimentos às pessoas comuns e virou referência em aprendizado sobre gestão do próprio dinheiro entre os visitantes de Norte a Sul do País. Com mais de 10 anos no mercado, o objetivo da Expo Money é ir além do conceito de investimentos no mercado financeiro e finanças pessoais e, para isso, amplia, para esta edição, o leque de seu conteúdo oferecendo palestras diversificadas, voltadas a carreiras e empreendedorismo.

O principal desafio do evento é despertar a nova classe C não só para importância do planejamento financeiro, investimentos e do consumo consciente, como também para o poder do empreendedorismo e do investimento na própria carreira. Para isso, o mote de todo o circuito da Expo Money foi reformulado e agora passa a utilizar como conteúdo principal o mercado imobiliário. Como adquirir a casa própria? O mercado passa por uma bolha imobiliária? Vale a pena investir em fundo imobiliário? Essas são algumas das perguntas que a Expo Money responderá aos participantes.

lounge-empreendedor-expomoneyOrganizada pela GEO Eventos, a feira terá a missão de ampliar o conhecimento do participante sobre planejamento financeiro, possibilitar sua inserção no mundo dos investimentos e estimulá-lo a empreender em causa própria, seja na hora de abrir um negócio, investir em promoção profissional ou simplesmente realizar sonhos. Tudo a ver com aquilo que sempre conversamos aqui no Lounge Empreendedor.

Em 2013, a promotora do evento fechou uma parceria com a Letras & Lucros, da jornalista e comentarista em economia da Globo, Mara Luquet, para a curadoria do circuito 2013. O que certamente promete boas surpresas no conteúdo!

Inspirado no "The World Money Show", evento financeiro realizado anualmente em Orlando, na Flórida, a Expo Money oferece um circuito de palestras gratuitas com os principais profissionais do país e uma feira formada por grandes empresas do mercado nacional. Na programação deste ano, além de palestras e serviços, os participantes poderão participar do “Espaço Meu Consultor”, um atendimento personalizado com especialistas sobre suas finanças e investimento.

lounge-empreendedor-expomoneyEntre os palestrantes da edição 2013 estão o jornalista Carlos Alberto Sardenberg, o gerente de Acesso a Mercados e Serviços Financeiros do Sebrae, Paulo Alvim (meu amigo!), entre outros especialistas em economia, finanças pessoais, imóveis, empreendedorismo, carreiras e investimentos. A inscrição gratuita pode ser feita pelo site da Expo Money, www.expomoney.com.br.

O calendário de eventos da Expo Money começa na cidade de Curitiba, nos dias 12 e 13 de abril no Expo Unimed, e passa por Recife, Florianópolis, Salvador, São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. É só esperar a data e local mais próximo à você. Eu, certamente, estarei em São Paulo!

31 ago 2012

A CULTURA E A ECONOMIA CRIATIVA

No Comments Cultura, Desenvolvimento Sustentável, Economia Criativa, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social, Evento, Mercado, Modelo de Negócio, SEBRAE

II Seminário Aberje de Gestão Cultural no Museu da Imagem e do Som discute “A cultura e a economia criativa: Desenvolvimento social, econômico e cultural”. Adivinha quem estava lá?!? 

 


Luiz Coradazzi (British Council), Ana Maria Coelho (Lounge Empreendedor), Bruno Assami (Aberje), Lidia Goldenstein (LG Consultoria) e Ana Carla Fonseca (Garimpo de Soluções) compuseram o painel

Que sou apaixonada pelo tema da Economia Criativa não é novidade para ninguém e hoje pude participar de um painel super relevante sobre o assunto com Luiz Coradazzi, Diretor de Artes do British Council Brasil; Lídia Goldenstein, consultora da LGoldenstein; e Ana Carla Fonseca Reis, Diretora da Garimpo de Soluções. A mediação ficou com o professor da Aberje, Bruno Assami.  

Coradazzi falou a respeito do programa de Desenvolvimento de Museus feito pela British Council para capacitação e intercâmbio de profissionais do segmento, e também centrou sua fala na importância de estabelecer indicadores mensuráveis do desempenho da área. Para tanto, mostrou a composição do UK Arts Index, integrado por inputs e outputs financeiros e não-financeiros que determinam a performance do setor no país. Envolve percentagem para o fundo de cultura vindo das Loterias, acúmulo dos fundos de governos locais, quantidade de estudantes em cursos de artes e áreas criativas, percentagem da população em voluntariado nas artes, número de artistas em atuação, pesquisa de satisfação sobre qualidade da oferta cultural, empregabilidade do setor, receitas geradas por projetos e organizações culturais e contribuições de pessoas físicas, entre outros pontos. Ele detecta um decréscimo no volume de doações de cidadãos e nos investimentos privados por um lado, e aumento de voluntariado e do número de pessoas que buscam profissionalização nas artes. Na Inglaterra, há disponível até um indicador de ROI, que demonstra um retorno de 2,53 libras para cada 1 libra investida.

lounge-empreendedor-economia-criativaEm seguida foi a minha vez de falar: comecei pela definição do que o Sebrae entende por economia criativa: negócios baseados no capital intelectual, cultural e na criatividade geradores de valor econômico e intensivos em conhecimento. Há um termo de referência sobre o tema no site:
http://www.sebrae.com.br/setor/economia-criativa. Entendo que o principal desafio do setor atualmente é realizar um mapeamento do universo brasileiro que contemple a natureza dinâmica e transversal do conceito e de sua evolução, trazendo o potencial de desenvolvimento, necessidades, políticas públicas, localização e potencial de exploração. Tudo o que temos nas mãos são dados ainda "importados". Para os próximos anos, os segmentos priorizados para ação do Sebrae serão arquitetura, artesanato, artes visuais, audiovisual, design, digital (games, aplicativos e startups), editoração, moda, música e radiodifusão.

As possibilidades de atuação envolvem um vetor setorial, transversal (gerando inovação, diferenciais e estímulo à competitividade) e/ou territorial (valoração da iconografia, costumes e tradição). Finalizando minha apresentação comentei sobre os núcleos setoriais criativos que estamos acompanhando que empregam 638 mil trabalhadores, representando 1% da força de trabalho formal, correspondendo a 3% do PIB. “Os empreendedores criativos são peça-chave da economia, pois impulsionam também o desenvolvimento cultural das comunidades, construindo pontes entre vários elos da cadeia produtiva”, finalizei.

A consultora Lidia Goldenstein abordou a grande transformação da sociedade, a partir da revolução tecnológica que acelerou e aprofundou a globalização, trazendo velocidade de conexão e de dependência de processos internacionais. Ela aponta uma mudança na geografia produtiva, saindo dos Estados Unidos e Europa para ser preponderante na Ásia, com novas estruturas de produtividade que precisam ser absorvidas pelas empresas. Neste sentido, emerge um paradigma produtivo centrado nos ativos intangíveis, basicamente em conhecimento produzido e circulante, o que reconfigura o tipo de profissional e até mesmo de consumidor, que tem um novo olhar e capacidade intelectual e crítica. Este paradigma dá evidência à educação e à criatividade, o que impacta na estrutura curricular das universidades. Ela analisa que “precisamos de um ser humano diferente, para quem muitas portas vão sendo abertas. Aí sim acontece inclusão social e distribuição de renda mais favoráveis”. De todo modo, não vê uma estratégia de país centrada na economia criativa ainda.

“A empresa não é uma ilha rodeada de um mar de pessoas” – esta foi a frase inicial de Ana Carla Fonseca para falar justamente da importância das relações comunitárias e das atitudes de responsabilidade social corporativa, ganhando ai proeminência os investimentos em cultura. Como profissional e estudiosa do mundo do marketing cultural, ela assinala vantagens como estabelecer uma comunicação direta com o público-alvo; atrair, manter e treinar funcionários; relacionar-se com a comunidade; reforçar ou ajustar a imagem; manter ou incrementar o conhecimento de marca; e sinergizar o mix de comunicação. E visualiza diferentes estágios de atuação das empresas, nem todos tendo um link realmente estratégico entre o patrocínio e o negócio. Há empresas ainda na fase da filantropia, outras no campo do investimento social, algumas no sentido do marketing cultural e outras pensando na estratégia de negócios. Ana Carla então citou algumas experiências alternativas de negócio, como o site de produção cultural colaborativa Queremos.com.br, a rede de lojas de venda colaborativa Endossa e espaços específicos regionais brasileiros na rede varejista Tok&Stok ou nas unidades dos supermercados Pão de Açúcar, assim como os novos nichos de distribuição como catálogo de livros de venda porta-a-porta desenvolvidos por Avon e Hermes.

Na parte da tarde, a partir das 14h45min, tem a palestra magna “Investimento Corporativo em Cultura: o incentivo, a gestão, o resultado e os desafios”, com o Secretário de Fomento e Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura, Henilton Menezes. Veja toda a programação pelo www.aberje.com.br/gestaocultural . 

O II Seminário Aberje de Gestão Cultural tem patrocínio máster da Petrobras, patrocínio do Banco do Brasil e apoio da Casa Fiat de Cultura, da Edelman Significa, da Expomus, do Instituto Votorantim, do Museu da Imagem e do Som e do Governo do Estado de São Paulo. Estão sendo publicadas matérias com um resumo das discussões dos painéis e palestras durante todo o dia. Eu adorei fazer parte deste encontro! 

05 jul 2009

O DISCURSO…

4 Comments Cidadania, Datas Especiais, Evento

Ganhar o título de cidadã mogiana… Uma das maiores homenagens da minha vida!

lounge-empreendedor-cidada-mogiana

Essas foram as palavras ditas por mim na noite tão especial do título…

Boa noite a todos!

Peço a permissão para ler, pois hoje é efetivamente uma noite muito diferente e especial para mim e preciso ter a disciplina de um texto; pois em momentos como este é preciso não esquecer detalhes, nomes, datas, e agradecimentos fundamentais.
O primeiro registro a fazer refere-se à minha alegria imensa em receber essa titulação na companhia de amigos com os quais tenho muito orgulho de conviver.
O SEBRAESP tem sido um ícone de excelência desta cidade na economia e em tantas outras áreas de conhecimento. Nessa empresa aprendemos (e ensinamos) valores como competência, cooperação e profissionalismo, além disso vivemos o compromisso com o Bem Comum. Nosso trabalho tem muito a ver com a construção de um relacionamento virtuoso que se estabelece entre empresários (muitos aqui presentes hoje), parceiros, lideranças públicas e entre a sociedade. São muitos e felizes os momentos onde se dá o encontro entre todos nós em prol do fortalecimento e do aumento da competitividade das pequenas empresas, do fomento ao empreendedorismo e à inovação e principalmente, em prol da realização do “sonho” das pessoas.
Sim, me sinto uma realizadora dos sonhos dos mogianos que dia após dia desejam abrir um negócio próprio em nossa cidade ou melhorar os negócios que já possuem.
Sou paulistana, nascida em uma travessa da avenida paulista e após algumas surpresas preparadas em minha vida (nem todas tão boas como a da noite de hoje), no dia 03 de julho de 2000 me vi sendo contratada para ser funcionária de uma empresa que eu pouco conhecia na época. Depois de quase um ano como digitadora terceirizada de um programa específico do SEBRAE-SP, fui contratada como auxiliar na agência que o SEBRAE mantinha na Junta Comercial do Estado de SP e fui me apaixonando pela missão que nossa empresa tem, junto à sociedade brasileira. De lá para cá, aprendi no meu próprio exercício a ser aquilo que ensinamos aos nossos clientes: EMPREENDEDORA! Busquei e aproveitei todas as oportunidades que minha empresa me deu tendo a iniciativa para correr os riscos que acompanhavam as minhas decisões. A cada nova etapa, busquei informações e exigia sempre de mim mesma alta qualidade e eficiência na geração de resultados aos meus clientes e à minha empresa. Estabeleci metas com relação ao meu desenvolvimento pessoal e profissional para as quais determinava um bom planejamento de ações. Muitas vezes o meu comprometimento e persistência, colocaram as minhas decisões profissionais à frente das minhas experiências pessoais, mas aí a capacidade de persuasão, a boa rede de contatos e a confiança de que eram as melhores escolhas para o momento, me trouxeram até Mogi das Cruzes, também em um dia 03 de julho, só que de 2006.
Por isso, nesse dia 03 de julho de 2009 não posso deixar de agradecer e mencionar alguns nomes:
Gostaria de agradecer primeiramente à DEUS pela força, coragem e alegria que colocou em mim e pela fé que me ajuda a entregar minha vida e projetos em Suas Mãos confiando que encontrarei os melhores caminhos.
Agradeço também à minha mãe e meu avô, que mesmo não estando presencialmente ao meu lado, estão sorrindo para mim de algum lugar muito especial. Foram eles que me deram minhas bases de valores, crenças e caráter que regem o comportamento que tenho hoje.
Ao prefeito Marco Bertaiolli que, desde presidente da Associação Comercial de Mogi das Cruzes, cria um ambiente favorável às propostas do SEBRAE-SP e atua como grande parceiro na realização de nossas ações. E ao ex-prefeito, Junji Abe pelo respeito, carinho e generosidade com que sempre me tratou… Nesses anos à frente do ER Alto Tietê, suas palavras e seu reconhecimento sempre foram muito especiais para mim.
Agradeço a Ilustre Senhora vereadora Odete Rodrigues Alves de Souza, que propôs a indicação do meu nome para receber essa homenagem. Foi uma grata surpresa e uma grande alegria. E ao excelentíssimo presidente dessa Casa de Leis, senhor vereador Nabil Nahi Safiti que preside a entrega de hoje reconhecendo meu trabalho à frente da gerência do SEBRAE-SP pela geração de trabalho e renda em nossa cidade através do empreendedorismo.
Aos meus líderes, presentes na noite de hoje: Alessandro, pela oportunidade e confiança depositadas em mim na seleção à gerencia do ER Mogi das Cruzes (é ele um dos responsáveis por eu estar aqui). Você é um exemplo para mim!
E ao Dr. Ricardo Tortorella pela autonomia, liberdade e respeito com que aceita as minhas propostas e permite que o SEBRAE-SP atue acatando as vocações e características identificadas pela minha equipe.
À minha família hoje aqui presente: meu irmão, marido e filhos!
Jorge, obrigada por sempre ter estado ao meu lado, por ser meu principal incentivador, por não me deixar desistir, por ser um pai tão dedicado aos nossos filhos e um marido tão justo, leal e presente.
Marcello e Lucca… Obrigada pela paciência com a mamãe e me desculpem pelas ausências que muitas vezes nos faz conviver menos tempo do que gostaríamos. Vocês são a razão e a força que busco todos os dias ao acordar para seguir nessa missão. Amo vocês do tamanho do universo e sei que um dia terão muito orgulho da mamãe!
Entendo como fundamental, nesse momento, depois de dizer tantas coisas destacar um detalhe dessa homenagem. Recebo o título com muita honra e dignidade, mas além das pessoas que já citei, estendo essa homenagem às pessoas que são essenciais pelo esforço que empreendem comigo. Reconheço toda a equipe do ER Alto Tietê que com garra, determinação e fibra toca os projetos e faz virar verdade estratégias idealizadas por mim em vários momentos em que estou no trânsito, tomando banho ou dirigindo… A conquista desse título reconhece um trabalho do SEBRAE-SP e é o resultado de um trabalho de equipe, equipes que coordenam equipes, de equipes.
Quero agradecer a todos vocês pela presença e encerro a minha fala com um trecho de um poema de Cora Coralina, “Saber viver… Não sei se a vida é curta ou longa demais pra nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas”
Tenho muito orgulho em ser mogiana e tocar o coração de alguns de vocês.
Uma boa noite e que Deus abençoe a todos!

03 de julho de 2009

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...