31 mai 2013

BEM VINDO A ERA DOS 4 Cs

1 Comment Administração e Gestão, Empreendedorismo, Estratégia, Inteligência Competetitiva, Liderança, Marketing, Mercado, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo, Promoção de Vendas, Publicidade

Um dos debates de marketing prediletos da atualidade é: será que o Marketing tradicional morreu? Será?!?

lounge-empreendedor-bem-vindo-a-era-dos-4-cs

Antigamente, quando se falava em planejamento de Marketing imediatamente o mundo todo associava a questão aos velhos 4Ps, que estão aí desde os anos 50 e soam até meio enferrujados hoje em dia… Será?!

Antes de responder essa pergunta, vamos relembrar/conhecer o que são os 4Ps:

  • Produto: como é o produto a ser vendido ? Quais seus benefícios e diferenciais e para quem?
  • Preço: qual a política de preços?
  • Promoção: o que você fará para esse produto chegar ao conhecimento do público alvo, ou seja, como ele será promovido?
  • Praça: como esse produto será entregue ao consumidor, como ele será distribuído?

E sobre os 4C’s, você já ouviu falar?

Ele é um bom combustível para o debate atual sobre o marketing!

Os 4Cs introduzem as possibilidades que estão agora ao alcance de todos (inclusive das pequenas empresas) através do mundo digital. Eles são:

  • Conteúdo: O tema quente do momento é Marketing de Conteúdo. De forma clara o objetiva, isso significa que fornecer conteúdo que chame a atenção e ajude o seu cliente, aumenta a sua relevância nos meios de busca, atraindo público qualificado para a sua fanpage ou site/blog e, consequentemente, para sua oferta.
  • Contexto: Conteúdo relevante deve ser entregue no contexto correto. Economia pode ser um conteúdo de interesse de seu público, porém entrega-lo em um contexto de lazer pode não ser a melhor ideia….
  • Conexão: Como você se conecta ao seu público alvo? Se for através das mídias sociais, lembre-se que o canal é de mão dupla. Responder e dar atenção é tão importante quanto publicar conteúdo. Uma lição bem aprendida sobre conexão por mídias sociais é que não se deve tentar limitar ou estratificar a comunicação. O cliente pode usar sua publicação promocional e responder com uma reclamação sobre o seu atendimento. Isso é normal e deve ser resolvido prontamente, e publicamente.
  • Comunidade: Uma comunidade se forma quando você, além de conteúdo, possui uma causa que une um conjunto de pessoas em torno de uma ideia. Alguns gurus do Marketing Digital, como Seth Godin, chamam isso de Tribos. Liderar uma tribo é uma das formas mais eficazes de Marketing hoje em dia, pois mantém ao seu redor multiplicadores de sua ideias, também chamados de “advogados de marca”.

Embora os 4Cs sejam muito empolgantes, qualquer plano de Marketing que não contemple os 4Ps é incompleto e é visto com receio por empresários e investidores, e não é à toa.

Eu entendo os 4Cs complementando a visão dos 4Ps e não os substituindo. Na verdade, são assuntos profundamente interligados, onde não adianta pensar em uma coisa sem a outra. Os 4Cs têm tudo a ver com a sua estratégia de divulgação, mas se no fim do dia você não possui um bom produto, com uma política de preços diferenciada e que realmente entregue o valor prometido, de nada adianta termos um super conjunto de 4Cs funcionando. (e aqui fica um adendo desta blogueira folgada e ousada, que coloca um P a mais nessa conversa: que é o P das Pessoas. Se você não recrutar, valorizar e reter bons talentos para a sua equipe será dificil conquistar o sucesso que você espera… Mas isso é papo para outras conversas! Só não esqueça esse P a mais…)

Então se você ainda não formalizou a estratégia de mercado de seu empreendimento, não perca nem mais um minuto: mãos à obra!

  • Defina por escrito os 4Ps. Isso irá lhe ajudará a refletir e a entender melhor os fundamentos da sua empresa e da sua oferta.
  • Enquanto você pensa o terceiro P, de “Promoção”, dedique-se de corpo e alma aos 4Cs. Se você possui ou dirige uma pequena empresa, suas chances de sucesso estão diretamente ligadas à sua capacidade de atingir um grande público qualificado sem um investimento milionário, e aqui entram os 4Cs. Eles possuem a essência do que é necessário para fazer um grande barulho com relativamente pouca verba, e estão no coração de qualquer ação de Marketing Digital.

Para crescer, dê boas vindas e abrace com força os 4Cs!

Marcelo Lombardo é empreendedor desde os 19 anos, é fundador da NewAge Software S/A, inventor da plataforma CoreBuilder e arquiteto dos softwares NewAge ERP e Omie.

31 mai 2013

COMO CRIAR UMA CULTURA DE PROCESSOS

No Comments Administração e Gestão, Ambiente de Trabalho, Empreendedorismo, Estratégia, Inovação, Liderança, Produtividade

Co-fundadora do Instituto Beleza Natural, a empreendedora Leila Velez explica neste vídeo como escalar a sua empresa mantendo uma cultura de processos.
 


Na sua experiência, chegou a um ponto em que deparou com o seguinte desafio: "Temos um modelo de negócio de sucesso, legal. Mas dá para melhorar? O que conseguimos fazer de melhor até hoje? O que eu poderia melhorar e o que eu faria exatamente igual?"

Construir uma cultura de processos é um trabalho de constante aprimoramento. Nas palavras de Leila, é também olhar para frente e planejar o futuro.

Este vídeo integra a série "Como escalar um negócio de forma estruturada", gravado durante palestra do projeto Visão de Sucesso. Conheça mais detalhes: http://projetovisaodesucesso.org.br/index

25 mai 2013

SEO E E-COMMERCE

No Comments Abertura de Empresa, Administração e Gestão, E-Commerce, Economia, Economia Digital, Empreendedorismo, Estratégia, Inovação, Internet, Mídias Sociais, Modelo de Negócio, Oportunidade de Negócio, Tecnologia, Web

Os benefícios do SEO para valorizar a experiência do cliente no e-commerce

lounge-empreendedor-seo-e-ecommerce

Segundo o último relatório do e-Bit, o mercado brasileiro faturou mais de R$ 10,2 bilhões no primeiro semestre de 2012. Somando para o crescimento do cenário brasileiro, o estudo aponta que já somos mais de 37,6 milhões de e-consumidores.

Todo esse movimento de usuários buscando formas e locais para compras acaba passando por um grande canal de vendas para as lojas virtuais: os mecanismos de busca. Com mais de 85% do market-share brasileiro, o Google lidera o setor, sendo o grande nome por trás das buscas no Brasil.

De acordo com uma pesquisa do Google nos Estados Unidos, realizada no final do ano passado, 80% dos consumidores pesquisam online antes de realizar a compra. O mesmo estudo aponta que 32% das pessoas vão pesquisar online irão visitar a loja física e depois retornam ao meio digital para efetuar a compra.

lounge-empreendedor-seo-e-ecommerce

É fato que vamos ter cada vez mais pessoas online e elas vão buscar nesse ambiente formas de tomar a decisão mais apropriada, e é aqui que a sua loja deve estar preparada.

Falando de visibilidade

Estamos vendo um mercado crescendo todo ano, temos que nos perguntar: será que a minha loja possui várias portas de entrada para o consumidor me achar?

Quando falo sobre portas de entrada, pense em canais sociais, sua loja virtual, seus produtos, um blog ou qualquer forma de informação que você oferece através do seu domínio.

Quando falamos de Google, tudo isso conta. Seja a sua página no Facebook, o seu blog ou até mesmo o seu produto. Todos eles podem aparecer quando uma pessoa busca uma informação no mecanismo de busca, pois eles contam como um documento na Internet, algo que o Google pode ou não considerar, caso ele entenda que aquela peça possui relevância.

Conquistando relevância no Google

Talvez o grande problema das lojas virtuais seja qualificar a tal relevância e ter um senso crítico para responder uma simples pergunta: “eu indicaria esta página para a minha mãe ou algum amigo/familiar muito próximo?”. Quando respondemos perguntas nesse estilo, começamos a entender que nem sempre a nossa loja virtual representa a melhor qualidade em termos de conteúdo.

Trazendo para um exemplo mais prático, você já acessou um dos seus produtos e abriu em outro monitor a página do seu concorrente? Já pensou no que faria um consumidor optar pela sua loja e não a do concorrente? Quais seriam os diferenciais, além do preço? Qual possui a interface mais limpa? Qual realmente oferece uma descrição do produto bem qualificada? As fotos são nítidas e grandes? Existe um vídeo sobre o produto?

Perguntas como essas servem de checklist quando fazemos trabalhos de consultoria na MestreSEO. De nada adianta você possuir a maior quantidade de produtos no mercado online se a sua informação é precária. Você tem que investir naquilo que chamamos de “fatores para o momento de compra”.

Torne o momento de compra único

Imaginando o cenário que já trouxemos o usuário, que tal pensar na seguinte pergunta: “como tornar esta página de produto a mais completa de toda a Internet? Melhor até que a do fabricante?”. Quando você pensar em montar uma página perfeita, você estará no caminho certo.

Quando digo caminho certo, me refiro aos usuários e aos buscadores. Lembra que eu estava comentando sobre relevância e questionei se indicaria a página para a minha mãe ou algum amigo/familiar muito próximo?. Pois bem, se você possuir uma página sensacional, os seus consumidores farão isso por você. E quando eles referenciam você, o Google enxerga que você é uma página, uma loja de qualidade, te recompensando quando alguém pesquisar sobre o seu segmento no mecanismo de busca.

Não é simples, mas é a garantia de uma grande porta de entrada para o seu negócio.

Ganhando ainda mais com o seu negócio

Quando estamos trabalhando com alguma consultoria de loja virtual sempre somos colocados contra a parede, com a seguinte pergunta: “Como eu posso ganhar mais com o meu negócio? O que tenho que fazer?”. Pois bem, para lhe ajudar, separei um checklist simples, que você pode aplicar na sua loja, no seu negócio, hoje mesmo, e planejar ações.

  • Passo 1 – A descrição dos seus produtos é única ou você copia o que o fabricante te envia? Oferecer uma visão única, precisa e interessante pode ser o grande diferencial para os seus consumidores e com certeza é um fator decisivo para o Google.
  • Passo 2 – Os títulos das minhas páginas de produtos e categorias estão de acordo com a seção? Este passo é fundamental, pois, em muitas consultorias que realizo, identifico lojas que replicam o nome da própria loja em todas as páginas. Algo como “Loja do João” fica presente em todos os títulos, sem qualquer customização. Isso, além de prejudicar a intenção do usuário, faz com que o Google não entenda perfeitamente sobre o que suas páginas tratam.
  • Passo 3 – Eu uso a mesma terminologia que o meu público? Recentemente, em um período de consultoria do cliente Giuliana Flores, precisávamos decidir qual terminologia correta utilizar no caso de “coroa de flores”. Tínhamos, além desse termo, “flores para condolência”.  Quando pesquisamos no Google Trends, notamos que a terminologia “coroa de flores” era mais praticada pelo mercado:
    lounge-empreendedor-seo-e-ecommerce
  • Passo 4 – Você já pensou em ensinar diversos assuntos para os seus consumidores? No trabalho de consultoria que temos com o Ponto Frio, orientamos e fizemos a criação de guias de compras para estimular o conhecimento dos clientes. Informá-los de assuntos relacionados à loja é fundamental para o cliente e para o Google lhe enxergarem como fonte de qualidade de informação.

Para uma loja de produtos de tecnologia, falar sobre os diferentes tipos de tablets ou ultrabooks pode ser um grande início para guias de compra. Em uma loja virtual de camisetas, você pode abraçar o movimento de doação de camisetas antigas, ou ainda criar campeonatos de estampas novas. Por fim, em uma loja de ração canina, você pode explicar cada uma das raças, além de publicar vídeos dos cachorrinhos com os seus donos, que no caso podem ser os seus consumidores.

O ano de 2013 está propício para boas lojas

Sem sombras de dúvidas, este ano teremos um grande aumento tanto de consumidores, quanto de novas lojas virtuais. No meio de tanta concorrência, você deve focar em estratégias que lhe diferenciem da concorrência sempre respondendo: “eu indicaria esta página para a minha mãe ou algum amigo/familiar muito próximo?”.

Conquistando um ‘sim’ bem sincero, com certeza o seu ano será repleto de novos negócios.

 é co-founder e CEO do Mestre SEO.
http://imasters.com.br/

 

24 mai 2013

10 PRINCIPAIS ERROS DO MARKETING DE CONTEÚDO

No Comments Administração e Gestão, Confiança, E-Commerce, Economia Digital, Empreendedorismo, Estratégia, Inteligência Competetitiva, Internet, Marketing, Mídias Sociais, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo, Novos Mercados, Publicidade, Redes Sociais, Startup, Web

Conteúdo é tudo no marketing digital, mas alguns erros são muito frequentes. Confira os principais.

lounge-empreendedor-marketing-de-conteudo

Falar que “conteúdo é rei” no marketing digital já virou clichê, mas não deixa de ser verdadeiro. Não há nada mais poderoso para uma empresa atrair, converter e reter clientes. Não à toa que um dos meus primeiros textos de Eric Santos no Portal Endeavor foi sobre como ter um blog para gerar resultados.

No seu convívio diário, ele aprendeu com muitas empresas que já compraram essa ideia, mas que acabam implementando errado a estratégia digital e se frustram por não conseguir os resultados prometidos.

Trago para o Lounge Empreendedor os 10 principais erros que são cometidos com frequência quando se fala em marketing de conteúdo. Se sua empresa faz um ou mais desses, ainda dá tempo de corrigir!

  1. Não ter uma persona clara. Ter uma ideia muito clara do público-alvo e suas características é o ponto de partida básico. Há empresas que levam isso tão a sério que chegam a criar bonecos representando os seus clientes.
  2. Ter todo o conteúdo somente sobre a própria empresa. Não adianta ter blog ou newsletter se tudo o que é publicado são fotos da última festa, anúncios de contratação ou aquisição de novo cliente. Esse tipo de conteúdo não pode passar de 10% do total.
  3. Não ensinar. Esse seria o antídoto para o problema acima. Pense sempre em ensinar ao visitante algo sobre o tema do seu negócio, algo que ajude-o a resolver seus problemas reais. 
  4. Escrever “bonito”. Muitos se empolgam com o papel de autor e tentam transformar seus textos em obras poéticas, cheio de metáforas e com linguajar rebuscado. Conteúdos eficientes são o oposto disso: curtos, objetivos e com recomendações práticas.  
  5. Ser técnico demais. O objetivo de um blog não é impressionar os experts da sua área com textos que mais parecem artigos científicos. É preciso mastigar seu conhecimento e transformá-lo em conceitos simples de se assimilar.
  6. Ser raso demais. Esse é o caso oposto. O conteúdo é tão raso que não transmite autoridade e não agrega nada. Geralmente, é um problema quando se terceiriza a produção para outras empresas ou estagiários inexperientes.
  7. Não ter consistência. Assim como uma revista ou jornal, o conteúdo de uma empresa precisa ter consistência de formato e principalmente periodicidade, que é onde as empresas mais escorregam. Também é preciso ter paciência pois os resultados não vêm da noite para o dia.
  8. Não ter conteúdo para os diferentes estágios de compra. Conteúdo educativo é fundamental, mas também é importante dar informações para prospects que estão mais avançados no funil. (Veja exemplos aqui)
  9. Não escrever para o Google. Fazer conteúdo sem uma boa pesquisa de palavras-chave é dar tiro no escuro. Isso serve como um termômetro da demanda real e da competição por diferentes assuntos. Além disso, é importante usar técnicas básicas de SEO para garantir que as páginas sejam devidamente indexadas.
  10. Não promover de forma inteligente. Ter ótimo conteúdo não é garantia para que o mesmo seja visto por muitos. É preciso promovê-lo nos canais próprios da empresa (e-mail, redes sociais, etc.) e alavancá-lo através de outras pessoas e veículos que já falam com a sua audiência. Essa é a parte mais old-school do marketing digital: são relacionamentos reais que garantem exposição virtual.

Eric Santos (@ericnsantos) é co-fundador e CEO da Resultados Digitais, empresa criadora do RD Station, plataforma de Marketing Digital para médias e pequenas empresas. 

16 mai 2013

ESTRUTURE UM GRANDE NEGÓCIO

No Comments Abertura de Empresa, Administração e Gestão, Ambiente de Trabalho, Boas Práticas, Empreendedorismo, Estratégia, Gestão de Pessoas, Liderança, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo, Planejamento, Trabalho em Equipe

Liderança, gestão de pessoas e cultura forte são ingredientes para um negócio que cresce de forma sólida. Confira uma lista de sete dicas do Portal Endeavor e descubra como dar os passos rumo ao sucesso.

 

lounge-empreendedor-estruture-um-grande-negócio

 

Não basta só tirar sua ideia do papel. Para transofrmar uma startup em um grande negócio, é importantíssimo, também, que o empreendedor tenha um time de qualidade que dê suporte para crescer – e que cresça junto com você. Preparamos uma lista de sete dicas do Portal Endeavor para entender, passo a passo, o processo de estruturação de um time eficiente, que te acompanhe ao longo dos anos com alta produtividade.

1. Contrate bons profissionais. É fundamental contratar um time de primeira e cuidar de sua reputação e cultura. Mas como fazer isso? Dicas de Alexandre Ribenboim, sócio fundador da Casa do Saber do Rio. Leia mais.

2. Deixe clara a responsabilidade e autoridade de cada um. Alinhe as expectativas de todos e defina as metas de forma bem clara e justa para ter engajamento. Mas esse trabalho não é apenas do empreendedor, deve contar com a ajuda de seus gestores. Aprenda com Eduardo Bezerra, CEO  da Exection. Leia mais.

3. Energize seu time. O especialista André Bianchi defende que o bom chefe tem que ter vontade todos os dias e a capacidade de dividi-la com as pessoas em sua volta. Sem ela, não há inovação e a rotina pode acabar com a produtividade das pessoas gradativamente. É importante dar espaço para a produção de novas ideias. Leia mais.

4. Crie uma cultura forte. Leila Velez, fundadora da rede de salões Beleza Natural, admite que "gente dá trabalho". Mas é preciso amar as pessoas próximas de você. "Nós empreendedores somos o primeiro espelho da cultura que queremos formar". Leia mais.

5. Faça sua equipe crescer e cresça ao lado dela. Existem várias medidas que podem ajudar a criar um ambiente muito mais agradável e incentivador. Uma “sessão pipoca”, por exemplo, é uma bela dica para discutir assuntos relevantes, e vídeos no YouTube (e aqui no Portal!) de palestras, eventos e TED ensinam e inspiram. Sandra Betti, da MBA Empresarial, fala mais em seu artigo sobre o assunto. Leia mais.

6. Seja transparente. Mais uma excelente dica de Sandra Betti: depois de dar tanta atenção para o seu grupo de funcionários, não se esqueça de si mesmo: seu time depende da sua postura e dos seus valores. Eles potencializam o trabalho das pessoas em sua volta e inibem problemas. Leia mais.

7. Exercite seu perfil como líder. Não basta apenas ser o fundador, é preciso ser atuante e se renovar como um verdadeiro gestor. A palestra de José Augusto Figueiredo é uma ótima fonte para tirar dúvidas e conhecer exemplos. Assista abaixo

 

 

 

Por Vinícius Victorino, da equipe de Cultura Empreendedora – Endeavor Brasil.:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...