Archive for Estabelecimento de Metas

15 jun 2015

COMO CRIAR INDICADORES E METAS

No Comments Administração e Gestão, Boas Práticas, Desenvolvimento Sustentável, Estabelecimento de Metas, Gestão Ambiental, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo, Responsabilidade Social Empresarial

3 passos para estabelecer metas mais adequadas e melhorar os processos da sua empresa

lounge-empreendedor-indicadores-e-metas

Colocar a sustentabilidade em prática nas áreas-chave do negócio pode torná-lo melhor e mais lucrativo, por meio da geração de novas receitas, da consolidação de uma cultura de desperdício zero, da motivação dos funcionários para um desempenho superior e também pela conquista da preferência de investidores e financiadores.

Mas se você acredita que para começar precisará da elaboração de grandes planos, saiba que é possível adequar sua empresa de uma forma bem mais simples: basta implantar indicadores inteligentes, que gerem possibilidades de melhorias reais nos processos, tendo em vista as necessidades dos clientes, funcionários, comunidade ou o meio ambiente.

Você já se deparou com indicadores bem-intencionados, mas que geram decisões inúteis ou até mesmo contrárias aos objetivos esperados? Infelizmente, isso acontece o tempo todo.

Queremos aumentar a leitura nas escolas públicas? Vamos aumentar o acervo de livros nas bibliotecas em 20%. A questão é a aprendizagem contínua dos funcionários? Então vamos medir as horas de treinamento. A busca é por ecoeficiência? 10% de redução no consumo de água em todas as unidades de negócio. As pessoas pedem por respeito ao consumidor? A lei determina que os SACs atendam as ligações em menos de um minuto.

Em todos esses exemplos, são feitos investimentos de tempo, dinheiro e foco, e os indicadores podem ser alcançados. Apesar disso, os resultados esperados não são atingidos. Os 20% adicionais de livros não atraem mais pessoas para a biblioteca, as horas de treinamento não são parâmetro para a sua qualidade, 10% de economia de água costuma ser muito em algumas unidades de negócio e pouco em outras. Se pensarmos no atendimento do SAC em um minuto, a questão fica ainda mais evidente. Quem já não teve que falar com três ou quatro atendentes sem ter a questão resolvida ou precisou ligar várias vezes e ainda teve a ligação bruscamente interrompida? Indicadores burros geram decisões equivocadas, com sistemas de incentivos que não beneficiam as reais necessidades dos clientes finais daquele processo.

Para chegar a indicadores inteligentes, é preciso:

1. Entender a necessidade do cliente, funcionário, comunidade ou meio ambiente

Esse é o ponto de partida. Quando falamos do cliente de serviços, por exemplo, a necessidade é ter seu problema resolvido no primeiro ponto de contato, de forma definitiva, no menor tempo possível. Para chegar à necessidade, é preciso perguntar de forma honesta e estar pronto para ouvir.

2. Identificar demandas por falha e demandas de valor

Para isso, é fundamental sair do escritório e observar as interações nos pontos de contato. Qual é o percentual de reclamações de clientes, erros de logística, problemas de qualidade ou retrabalho dos funcionários em relação ao total de tempo? Tudo isso são demandas por falha, em outras palavras, desperdícios. Demandas por falha chegam a gastar 50% do tempo e recursos de uma equipe.

3. Definir os novos processos e indicadores, sem estabelecer metas arbitrárias

Para eliminar as demandas por falha, é necessário olhar para o sistema como um todo. Afinal, a reclamação do cliente no SAC surgiu por algum erro em outro processo anterior, que precisa ser ajustado. Para definir os novos processos, é imprescindível a participação das pessoas que atuam neles. São elas que conhecem os problemas, que identificam soluções simples para resolvê-los e que serão responsáveis pelo sucesso dos novos processos.

Quando focamos na simples redução de custos, acabamos muitas vezes aumentando os custos no longo prazo. Quando, no lugar disto, focamos em gerar mais valor para o cliente final do processo, acabamos diminuindo os custos. Esta é uma verdade contraintuitiva, mas a analogia com processos não empresariais pode ajudar a compreendê-la. Quantas pessoas você já viu fazer uma dieta milagrosa, perder 5 kg em um mês para depois ganhar 8 kg ao longo dos 3 meses seguintes? A meta foi atingida, mas não de forma sustentável. Alternativamente, o foco deveria ter sido nos hábitos de alimentação, exercício e repouso, levando em conta as características de quem está fazendo a dieta. Foco na geração de valor para o cliente final é igual a diminuição de custos.

Transportando para a realidade empresarial, é preciso estar atento a dois pontos:

a) Autonomia na ponta gera redução de custos. Essa é outra verdade contraintuitiva. Infelizmente há insistência em achar que a redução da autonomia e implantação de mais processos de controle são sempre a resposta certa. Não são.

b) Metas arbitrárias a priori geram resultados menores do que o potencial de melhoria do sistema. Voltando ao exemplo da água, se fossem identificadas demandas por falha e por valor do sistema, é provável que houvesse oportunidade de reduzir em até 10 vezes o consumo de água no sistema. Infelizmente, esta abordagem analítica também é mais exceção do que regra.

Seguir estes passos gera algumas consequências negativas. A sua empresa poderá, por exemplo, ter menos horas de treinamento para os funcionários e ser prejudicada na avaliação do Guia das Melhores Empresas para Trabalhar. Entretanto, ela estará atendendo à necessidade real dos funcionários de aprendizagem contínua e, com isso, gerando mais satisfação, menos turnover e melhores resultados concretos para a própria empresa. Talvez seja isso que faça uma empresa ser um excelente lugar para se trabalhar.

Portanto, para melhorar a sua empresa no curto e no longo prazo, vale focar na geração de valor para o cliente final e definir indicadores inteligentes, que incentivam as decisões e os resultados desejados.

Gabriela Werner é sócia fundadora da Sustentabilidade na Empresa, consultoria que auxilia empresas a integrar sustentabilidade na estratégia do negócio de forma inteligente.

 

28 fev 2015

SONHE GRANDE

No Comments Administração e Gestão, Carreira, Coaching, Comportamento, Comportamento Empreendedor, Cotidiano, Estabelecimento de Metas, Negócios, Sucesso

Quando a gente sabe para onde vai, não aceitamos qualquer caminho! Por isso: FOCA NA META! 

 

lounge-empreendedor-sonhe-grande

No caminho para o sucesso, assim como para a manutenção dos resultados desejados, a quantidade de energia, confiança e dedicação que colocamos nas nossas ações são fundamentais. Os vencedores têm o hábito de projetar expectativas positivas sobre sua vida, suas metas e seus objetivos. Existem algumas características comuns às pessoas de sucesso, como por exemplo, níveis elevados de energia, grande mobilização de recursos, grande capacidade de mostrar que estão no topo das coisas e parece que nada pode detê-los em busca do seu objetivo.

Você já conviveu com pessoas que são exímias em alcançar os objetivos a que se propõem?

É encantador… Elas são pessoas com enorme confiança e uma firme convicção de que não importa o que encontram pelo caminho, o que vale é o FOCO e a DETERMINAÇÃO rumo ao sucesso.

Todos os dias quando acordamos, podemos definir o desenrolar do resto do dia. Qual foi o seu primeiro pensamento hoje pela manhã? Quais são seus planos e objetivos? Walt Disney disse: ”Se você pode sonhar, pode fazê-lo”.

Crie um “filme mental”  das suas metas, e veja-o na sua mente quantas vezes (e quando) quiser. Seja a figura principal desse filme, capacite-se e dê as habilidades à sua personagem. Sinta o cheiro, o sabor e a sensação da conquista do seu objetivo atingido.  Essa imagem clara na sua mente deve ser como aquele post-it colado na frente do seu monitor que lhe relembra aquilo que quer muito fazer e é prioritário. Quando temos uma meta poderosa estabelecida, encaramos cada novo dia com mais energia.

Mas tome cuidado: estabeleça objetivos preferencialmente que dependam de si. Para que eu possa sonhar em ser avó, meu filho também precisa ter o desejo de ser pai. Estar dependente de outros ou de circunstâncias das quais você não tem qualquer tipo de controle, nos coloca numa situação vulnerável. Evite-os!

Estabeleça critérios concretos para medir seu próprio progresso em direção à realização de cada objetivo que você definiu. Quando você mede o seu progresso, você fica no caminho certo. Alcançar pequenos avanços nas datas estabelecidas é experimentar a alegria da conquista e vai direcioná-lo a dar continuidade ao esforço que ainda resta.

É claro que nem sempre poderemos controlar tudo o que irá de acontecer. Sofreremos influencia daquilo que nos cerca, coisas boas e coisas más acontecerão, mas sempre temos a possibilidade de aprender e agir de forma que nos beneficie.

Por isso, adquira o hábito de agir positivamente no seu dia desde o momento em que se levanta da cama. Tenha planos. Escolha as palavras, imagens e cenários mentais que possam colocá-lo num estado de ser pleno de recursos alinhados às exigências, desafios e objetivos que se propõe. Relembre a si mesmo que tem o poder de se autoinfluenciar positivamente e vencer. A vida é o resultado do que fazemos e não do que, ilusoriamente, dizemos querer fazer.

11 abr 2013

JOVENS EMPREENDEDORES

No Comments Administração e Gestão, Comportamento Empreendedor, Criatividade, Estabelecimento de Metas, Liderança, Mercado, Negócios, Oportunidade de Negócio, Pequena Empresa, Proposta de Valor, Sonhos

Não é porque você é jovem que não pode conquistar um empreendimento de sucesso. Conheça a estratégia de um jovem empresário que faz muito sucesso em restaurantes em São Paulo.

 

lounge-empreendedor-jovens-empreendedores

Juliano Simões ampliou o negócio de Catanduva da família e com uma boa dose de ousadia quadriplicou seu faturamento. Na época com 26 anos – e apenas dois morando em São Paulo-, Simões encontrou o ponto comercial perfeito para trazer à capital a rede de seu pai, o Paulinho’s Grill. A primeira loja aberta em São Paulo, em 2006 na Avenida Faria Lima, representou um desafio duplo na vida do empreendedor: gerenciar por conta própria um negócio e adaptá-lo ao exigente mercado paulistano. Juliano sofisticou o ambiente e o cardápio e uniu a praticidade e rapidez dos restaurantes por quilo com a qualidade do atendimento e a sofisticação dos pratos a la carte.

Nasceu a primeira casa e em apenas 15 meses o empresário obteve retorno do capital investido. Dois anos depois, Simões abriu a segunda no Shopping Nações Unidas e a terceira, na avenida Paulista, veio em 2011. A quarta expansão da rede chegou à nobre região dos Jardins no ano passado – e ganhou o nome de Jaú em alusão ao seu endereço.

Estratégia

As casas contam com ambiente confortável, garçons bem treinados, guardanapos de panos, carta de vinhos e serve pratos pouco vistos em bufês a esse preço, como lombo de bacalhau ao forno e codornas assadas. Há ainda dias com costeletas de cordeiro e fritada de camarão Além disso, existem promoções para quem gosta de comer mais. É possível optar pelo Buffet completo salad bar e hot menu- ilimitado (R$ 36), apenas salad bar com um grelhado (R$ 23) ou ainda o sistema por quilo R$ 7,30 cada 100 gramas.

Sem dúvida, uma estratégia bem delineada, vontade e conhecimento de mercado são excelentes ingredientes para o sucesso de qualquer empreendedor, seja qual for a sua idade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...