Archive for Empreendedorismo Feminino

17 set 2015

BOLSA PARA MULHERES

No Comments Comportamento, Confiança, Economia, Empreendedorismo Feminino, Gestão Financeira, Mercado

Calma! Você não está no blog errado e esse não é um texto sobre moda. Siga a leitura e descubra segredos das mulheres na bolsa de valores.

lounge-empreendedor-bolsa-para-mulheres

Não é novidade que o mercado financeiro no Brasil é um cenário extremamente masculino e pouco explorado pelas mulheres. Fazer um bom investimento nem sempre é tão fácil como investir na poupança, exige preparo, disciplina, estratégia e uma boa disposição ao risco. E as mulheres, na maioria das vezes, são mais cautelosas e conservadoras.

Mas, então, por que um texto sobre investimento de mulheres na bolsa de valores? Justamente por isso!

Uma pesquisa de 2012 publicada na Exame ressalta que, por serem mais cautelosas, as mulheres se preparam melhor quando o assunto é o seu dinheiro e sua saúde financeira e, por isso, também não se assustam no primeiro momento de crise. (Fonte Exame)

Elas, ao contrário da maioria dos homens, fazem um melhor planejamento antes de retirar seu dinheiro da segurança que uma caderneta de poupança oferece, e aplicá-lo em um investimento rentável com possibilidades agressivas e um pouco mais de risco.

Serem cautelosas e conservadoras, nesse caso, não é um problema e não impede que elas busquem lucros extraordinários, muito pelo contrário, essas características tornam-se um diferencial e um aliado na hora de buscar um investimento.

Coloque o cinto de segurança e voe mais alto!

Todos nós já ouvimos e vimos pesquisas que comprovam que as mulheres se envolvem menos do que os homens em acidentes graves de trânsito. Isso porque elas respeitam mais as leis e são mais cuidadosas, colocando a segurança em primeiro lugar.

No mercado financeiro também é assim. Para alçar vôo na bolsa de valores é preciso conhecer o mercado, traçar a melhor rota e ser paciente, mantendo a calma para reagir em um momento crítico.

Enquanto os homens se arriscam mais, as mulheres procuram estudar melhor as opções de investimento, fazer cursos e se aprofundar em conhecimentos bem fundamentados, antes de dar o primeiro passo e escolher a melhor maneira de investir de acordo com seus objetivos.

Dessa forma fica mais fácil elaborar uma estratégia de sucesso e segui-la, pois está baseada em informações precisas e não sujeitas aos conflitos de notícias e boatos sobre o momento econômico.

bolsa de valores: um caminho para conquistar sonhos.

Cada vez mais as mulheres buscam conquistar um espaço de independência, estabilidade e destaque. Elas não querem apenas um bom casamento ou um emprego, mas, sim, o sucesso da sua vida financeira e a conquista de sonhos.

Para isso, potencializar seus ganhos é fundamental e os investimentos na bolsa são uma ótima opção.

No atual momento em que vivemos, com a bolsa em queda, as incertezas do mercado se tornam oportunidades extraordinárias para ganhos significativos e, quem sabe, a construção de uma verdadeira história de riqueza.

Podemos observar inúmeras e sólidas empresas que estão hoje valendo menos do que o seu real valor e a tendência na bolsa de valores é que, em algum momento, essas empresas retornem a ele.

E essa é a oportunidade de ter ganhos espetaculares, comprando as ações mais baratas e vendendo quando as mesmas se valorizarem.

A maior dificuldade é, justamente, encontrar essas empresas e apostar na melhor opção.

Veja aqui como se preparar para este caminho, aprenda como investir na Bolsa.

mexa-se!

Para quem leu anteriormente o artigo “Tire seu dinheiro da zona de conforto” isso se torna ainda mais claro. (Se não leu é bom dar uma passadinha por lá…)

Dar o primeiro passo é o mais difícil. Mas, se aliarmos a natureza cautelosa das mulheres ao momento extraordinário do mercado de investimentos, temos uma excelente receita de sucesso. 

o momento é agora… 

Momento de cuidar melhor da sua saúde financeira, momento de poupar mais, de se preparar, sair da zona de conforto e buscar, disciplinadamente, uma nova forma de transformar suas finanças.

E isso, no mercado de investimentos, não é privilégio dos homens. Cabe apenas à você o poder e responsabilidade de encontrar meios que lhe atendam e iniciar, de forma segura, sua estratégia de investimentos.

Então, o que você está esperando…

Ficou com alguma dúvida? Deixe nos comentários abaixo.

Fonte: Equipe – Toro Radar (www.tororadar.com.br)

 

07 mar 2015

​SENHORAS DO DESTINO

No Comments Capital Humano, Carreira, Comportamento, Cotidiano, Datas Especiais, Desenvolvimento Sustentável, Empreendedorismo Feminino, Mercado de Trabalho, Políticas de Desenvolvimento, Qualidade de Vida

Todo mês de março é a mesma coisa: o empoderamento feminino vira assunto nacional. Entenda porque defendo essa causa sem datas e sem limites! 

 

lounge-empreendedor-senhoras-do-destino

Ficou para trás o tempo em que lugar de mulher era dentro de casa. Depois de anos de luta em defesa da igualdade de direitos, acesso à educação, trabalho e liberdade de escolha, as mulheres estão ganhando seu espaço.

Mas nem tudo são flores! Apesar do progresso, dados do relatório de Desigualdade de Gênero, do Fórum Econômico Mundial de 2014, colocaram o Brasil na 71ª posição no ranking de equiparação caindo 9 posições em relação a 2013. Ou seja: SERÁ QUE ESTAMOS REALMENTE AVANÇANDO?

Levando em consideração que muitos empregadores ainda pensam como o deputado federal Jair Bolsonaro que afirmou que não é justo a mulher ganhar igual ao homem porque engravida, a resposta é NÃO! Não estamos avançando quanto gostaríamos.

No Brasil, as mulheres ocupam apenas 8% dos cargos de liderança e somente 6% em cargos de conselho. Se mantivermos este ritmo, sem nenhuma política inclusiva, levaremos mais de 100 anos para termos igualdade. Em cargos públicos, a sub-representação se repete: ocupamos míseros 5% das funções disponíveis.

Segundo estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT), as mulheres trabalham em média 5 horas semanais a mais do que os homens. Pois é… Trabalhamos mais e ganhamos menos! Em média, 25% menos que os homens ocupando mesmo cargo e mesma função.

Embora representem 52% da população mundial, existe 100 milhões, isto mesmo, 100 milhões de meninas, que não podem estudar por questões religiosas e muitas são assassinadas por esse mesmo motivo, exemplo desta barbárie é o caso da jovem Malala, paquistanesa ganhadora do prêmio Nobel.  

Além disso, mulheres ainda são espancadas e mortas por seus companheiros e sofrem em consequência de abortos mal feitos. Sem contar as mulheres e meninas são vendidas como escravas sexuais e são as maiores vítimas de tráfico humano no mundo. Aqui mesmono Brasil, as mulheres ainda são retratadas de forma pejorativa e preconceituosa na publicidade.

Quero acreditar que esta visão preconceituosa e dualista tende a perder espaço. Não apenas porque sou mulher, mas porque as competências dos gêneros se complementam e juntos podemos ser muito melhores do que individualmente. Eu poderia dizer que sem as mulheres não haveria novas gerações, homens, maridos, filhos… Mas não posso ser simplista desta forma.

Grandes corporações já perceberam a importância deste público que representa mais de 75% das decisões de compra de uma família e têm oferecido espaço para que nossas características superem desafios por ângulos diferentes oferecendo soluções que passariam despercebidas se olhadas apenas sob o prisma masculino.

A verdade é que não precisamos dominar o mundo! Queremos construí-lo em parceria, sendo respeitadas pelo melhor que podemos ser, sem que ninguém nos rotule ou defina nosso destino. Aí, sim, teremos o que comemorar!​

20 mai 2014

UMA ECONOMIA VIBRANTE PARA TODOS

No Comments Carreira, Economia, Empreendedorismo Feminino, Empregabilidade, Família, Liderança, Mercado, Mercado de Trabalho, Protagonismo

Pelo 2º ano consecutivo, o Lounge Empreendedor fará a cobertura oficial do Women’s Forum Brazil 2014. Preparem-se para boas notícias!

lounge-empreendedor-womens-forum

Em 2014, as oportunidades e desafios para o Brasil irão muito além do que simplesmente sediar a Copa do Mundo, que estará a apenas alguns meses das eleições presidenciais. A mídia internacional irá expor todas as facetas do país: suas regiões, política, economia e sociedade, bem como a sua posição na América Latina. Isso poderia impulsionar os negócios e, ao mesmo tempo, reacender o orgulho nacional. No entanto, os brasileiros sabem que precisam fazer um planejamento mais abrangente, de modo a aquecer a economia – promovendo o empreendedorismo, a inovação e abrindo espaço para a mobilidade social. 

Como as lideranças femininas podem contribuir para a criação de uma economia próspera para toda a sociedade? O Women’s Forum Brazil 2014 irá abordar estas questões fundamentais para o Brasil e para a América do Sul de forma mais ampla e mais uma vez o Lounge Empreendedor fará parte da cobertura oficial do evento. Partindo da atuação das mulheres como influentes agentes de transformação social e econômica, o Women´s Forum Brazil 2014 irá ampliar a nossa perspectiva e das próprias comunidades que participam do Fórum. 

Com o objetivo de garantir um retorno positivo sobre o investimento feito pelas empresas parceiras e convidados, a edição de 2014 focará no aprofundamento da utilidade prática das sessões introduzidas no ano de 2013:

  • Workshops segmentados focados em talento e liderança, finanças e estratégia de negócios, que serão customizados de acordo com os interesses e preocupações dos participantes de grandes companhias, líderes de PME´s e mulheres empreendedoras; 
  • Mesas-redondas para aprendizado de novas soluções para os negócios e desafios sociais, além do debate acerca da melhor forma de passar da informação para a transformação.  
  • E ainda realizar a quarta edição do encontro CEO Champions, o grupo de líderes do universo corporativo lançado em 2013 com tanto sucesso no Brasil. 

Queremos que a edição de 2014 crie uma conexão entre diferentes realidades, de diferentes partes do Brasil, diferentes origens e diferentes desafios, de forma a impulsionar a igualdade social para as mulheres, suas famílias e comunidades. Se conseguirmos isso, devolvendo um retorno sobre o investimento significativo para os envolvidos no processo, consideraremos esta edição um sucesso. Eu estarei lá e você?

O fórum também receberá empresárias e diretores de pequenas e médias empresas (PME) e palestrantes de empresas brasileiras e internacionais. Juntos, eles vão ter uma visão sobre o que é necessário para as empresas e as sociedades como um todo evoluírem e manterem a evolução. A lista de palestrantes inclui a Diretora da Clinton Global Initiative, de Integração de Meninas e Mulheres, Penny Aberywardena; o Presidente do Instituto Ethos Jorge Abrahão; as cantoras Mariana e Fafá de Belém; a fundadora da Escuela Nueva Founder ex-vice-ministra de educação da Colômbia, Vicky Colbert de Arboleda; a Presidente da Schneider Electric South America Zone, Tania Cosentino; a CEO da Boeing Brasil, Donna Hrinak; o ex-CEO Regional da Alcoa para América Latina e Caribe, Franklin Feder; a Presidente e CEO da Dudalina, Sonia Regina Hess de Souza; a Diretora da Divisão de Sandálias da Alpargatas, Carla Schmitzberger; a Vice-Presidente Executiva do Banco Interamericano de Desenvolvimento, Julie T. Katzman; e a CEO do Magazine Luiza SA, Luiza Helena Trajano, junto com sua filha e Chef de cozinha Ana Luiza Trajano.

Veja * aqui * a programação completa do evento e um vídeo com os melhores momentos de 2013.

 

12 mai 2014

CASAR OU COMPRAR UMA BICICLETA?

No Comments Administração e Gestão, Carreira, Empreendedorismo, Empreendedorismo Feminino, Mercado de Trabalho

Mulheres empreendedoras abririam mão do próprio relacionamento em função da carreira.

lounge-empreendedor-casar-ou-comprar-uma-bicicleta

As mulheres de hoje têm investido cada vez mais na carreira! E a boa notícia é que, além disso, elas estão se sentindo realizadas profissionalmente! Por outro lado, essa independência toda pode assustar os homens. Isso porque uma pesquisa elaborada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) revelou que 36% das casadas ou envolvidas numa união estável deixariam o parceiro se o relacionamento atrapalhasse seu futuro como empreendedora.

Ainda de acordo com esse mesmo grupo de mulheres, 56% delas revelaram que dividem as contas com o parceiro. Mas quando o assunto são as tarefas domésticas, 47% assumem sozinhas os afazeres, como limpeza e arrumação da casa, bem como levar os filhos à escola, lavar roupas e preparar as refeições.

lounge-empreendedor-casa-ou-comprar-uma-bicicletaDas empreendedoras em geral (solteiras e casadas), 55% delas afirmaram que não tiveram de abrir mão de nada para se tornarem empresárias, conseguindo equilibrar igualmente o tempo entre a vida pessoal e a profissional. Apesar disso, 37% das empreendedoras trabalham sem tirar férias e 49% delas dedicam mais do que 8 horas diárias ao trabalho. Uma dura jornada, certo? 

Em relação a escolha do investimento no  próprio  negócio, 44% delas declararam ter aberto por vontade de colocar em práticas suas ideias. Do total de entrevistadas, 25% delas aprenderam as aptidões necessárias fazendo cursos e 36% desenvolveram as habilidades na prática, ou seja, sozinhas. Por sua vez, 15% investiram de acordo com a experiência adquirida em trabalhos anteriores. 

Em relação ao perfil das empreendedoras, 56% são casadas (ou estão em uma união estável) e 74% são mães. Do total, quase 1/3 das empreendedoras têm idade abaixo de 35 anos; e 31% das comerciantes possuem mais de 50 anos. A pesquisa, entitulada de “Mulheres Empreendedoras” e divulgada em fevereiro de 2014, foi realizada em 27 capitais brasileiras com 601 mulheres maiores de 18 anos, de todas as classes econômicas e que empreendem nos segmentos de comércio ou serviços.

Vamos aos dados:

 

  • Para 36% das casadas, carreira é o mais importante

Mais de um terço (36%) das empresárias casadas (ou em uma união estável), afirmaram que terminariam um relacionamento conjugal caso ele se tornasse barreira para o seu sucesso profissional. Já cerca de 40% das casadas, responderam que ponderariam a decisão, sem descartar a possibilidade de romper com o parceiro pela carreira.

Apesar dos dados, 78% revelaram que contam com o apoio do companheiro para realização da sua atividade profisional.

  • Elas dividem as contas de casa, mas assumem sozinhas as tarefas diárias

No lar de 56% das casadas, dividem-se as contas igualmente – e 14% delas se responsabilizam sozinhas pelo pagamento das despesas. Porém, no quesito ‘tarefas domésticas’, não há divisão com seus pares para 47% delas, que cuidam dos afazeres sozinhas (limpeza e arrumação da casa, levar os filhos à escola, lavar roupas e preparar refeições). 37% das casadas informaram dividir igualmente as tarefas e, somente em 2% dos casos, os parceiros é quem assumem os afazeres sozinhos.

  • 37% das mulheres trabalham sem tirar férias

Quase metade das participantes da pesquisa (49%) dedica mais do que 8 horas diárias ao seu negócio, apesar de acumular funções em casa. Do total de entrevistadas, 37% não param nem para tirar férias. ¼ delas declarou tirar 10 ou menos dias de férias e 21% das empreendedoras saem por 11 a 20 dias.

Apesar da jornada de trabalho pesada, 83% delas alegaram que conseguem conciliar vida pessoal – como ir ao médico, levar os filhos para a escola ou freqüentar academia – com a carreira.

Quando têm momentos de lazer, 59% delas preferem descansar em casa e 58% optam por ficar com família e filhos. 27% escolhem viajar e 24% optam por ver TV.

  • A maioria delas concilia família e trabalho de forma equilibrada

A maioria das empreendedoras (64%) se considera 'multitarefa' e capaz de lidar com várias atividades ao mesmo tempo de forma habilidosa. Do total, 55% delas afirmaram que não foi preciso abrir mão de nada para se tornarem empresárias, conseguindo equilibrar igualmente o tempo entre a vida familiar/pessoal e a profissional. Além disso, 78% das entrevistadas não sentem nenhum tipo de culpa por terem que se organizar e se dividirem dessa maneira.

Apesar das mulheres que mantêm o equilíbrio das atividades, 42% revelaram dedicar a maior parte de seu tempo às tarefas profissionais, 33% do total renunciou aos próprios momentos de lazer e 21% tiveram de abrir mão do tempo que dedicavam à família

  • 87% das empreendedoras avaliam ter sucesso no negócio

Solteiras e casadas entendem o sucesso de profissional de modos diferentes. Para 14% das casadas, o sucesso profissional é sinônimo de ‘negócio conhecido e de boa reputação’. Esse percentual cai para 8% no grupo das solteiras. Em contrapartida, para 22% das mulheres solteiras ser bem sucedida é ver o negócio “crescer a cada ano’.

A maioria delas (87%) se considera uma profissional de sucesso, sendo que 61% acreditam que seu negócio será mais lucrativo e rentável.Estas atribuem suas conquistas profissionais  a própria persistência (40%), confiança (20%) e ousadia (16%).

Tanto que 72% delas afirmaram que não abandonariam o negócio próprio por um emprego fixo, com carteira assinada, além de rendimento e carga horária similar ao atual trabalho.

Quando perguntadas sobre a satisfação com o trabalho que desempenham atualmente, 43% delas avaliaram esse quesito com notas entre 8 e 9. 38% deram 10.

  • Ramo de negócio delas é focado em habilidades próprias

Quase metade delas não empreende mais somente para complementar renda ou por passatempo. 44% delas declararam  abrir um negócio por vontade de colocar em práticas ideias próprias.

Elas colocam a mão na massa e abrem seu negócio intuindo que têm habilidades para o ramo escolhido – é o caso de um terço (35%) das entrevistadas.

Segundo a pesquisa, 25% delas aprenderam as aptidões necessárias no seu negócio fazendo cursos. Por sua vez, 36% das empreendedoras afirmaram ter desenvolvido as habilidades na prática. 15% delas, porém, investem em negócios de acordo com a experiência adquirida em trabalhos anteriores.

  • 1/3 das empreendedoras têm menos de 35 anos

As jovens têm atuado cada vez mais de forma independente, segundo a pesquisa. 30% das empreendedoras tem idade abaixo dos 35 anos. Outro dado curioso é que 31% das empreendedoras que estão no setor de comércio possuem mais de 50 anos.

Quanto a formação escolar, 58% se formaram até o ensino médio e 12% delas têm só o fundamental. Apesar disso, três em cada 10 empreendedoras possuem formação superior.

Outra curiosidade é que quase a metade delas (45%) já tinha mais 10 anos de experiência profissional antes de abrir o próprio negócio.

  • Percepções sobre a mulher no mercado

​A percepção das empreendedoras sobre a aceitação do sexo feminino no mundo do empreendedorismo também apresentou diferenças significativas: discriminações associadas ao gênero foram menos percebidas por entrevistadas casadas do que por solteiras.

Entre as casadas, é menor o percentual daquelas que têm a percepção de que recebem no ambiente profissional um tratamento diferente e menos respeitoso daquele concedido aos homens. Os números indicaram que 71% das casadas não acham que seja mais difícil para uma mulher administrar um negócio. Esse percentual cai para 63% entre as solteiras.

De uma maneira geral, os resultados demonstram que a mulher empreendedora tem plena consciência de sua função à frente do próprio negócio e encara isso com elevado grau de autoestima e confiança no seu potencial de empreendedora. Mais do que uma oportunidade profissional, o estudo mostra que para essas mulheres ser empreendedora significa uma opção de vida e a busca por uma realização pessoal. E você? O que achou? Aproveite o Lounge Empreendedor e me conte um pouquinho sobre você e sobre sua impressão referente a pesquisa. 

24 abr 2014

VIRADA EMPREENDEDORA | FORUM EMPREENDEDORAS

No Comments Administração e Gestão, Empreendedorismo, Empreendedorismo Feminino, Evento

O papo agora é de "mulherzinha". Na verdade, MULHER EMPREENDEDORA… Você já se inscreveu para o II Fórum Empreendedoras?

 

lounge-empreendedor-forum-empreendedoras

 

No próximo dia 26 de abril acontecerá em São Paulo, o II Fórum Empreendedoras; um encontro muito legal idealizado pela querida e competente Ana Fontes que tem o objetivo de capacitar as mulheres para atuar com mais eficácia em seus negócios através de histórias reais e muito conhecimento para auxiliar e inspirar mulheres como nós! (Se você não é mulher e está morrendo de inveja, saiba que essa é apenas uma das ações da Virada Empreendedora que conta com uma programação muito legal pra todo mundo… É só aproveitar! Conheça aqui)

Com assuntos que vão desde os estereótipos femininos que as mulheres têm de superar para vencer no mercado até recomendações práticas de como gerir ou conseguir financiamento para sua empresa, o II Fórum Empreendedoras terá a presença de várias mulheres e personalidades do mundo empreendedor, como Sonia Guimarães, Flavia Durante e Daliani Ribeiro.

Novas maneiras de pensar e empreender com sustentabilidade também serão discutidas com a apresentação de cases inovadores, como a história de Paula Dib que transformou pedaços de bambu e palha de milho em recursos para a criação de brinquedos pedagógicos, Rosely Ferraiol que reutiliza coadores de café na fabricação de peças artesanais e a dupla Giovanna Nader e Raquel Vitti Lino, do projeto-gaveta, que criou uma maneira de reutilizar peças do guarda roupa unindo um negócio sustentável e prazeroso, com a mediação da jornalista Priscila Zuini, responsável pelo Caderno PME da EXAME.com.

Os negócios sociais também estarão presentes, representados por Adriana Barbosa, idealizadora da Feira Preta, que reúne todo ano mais de 400 expositores e 100 mil visitantes todo ano em São Paulo, e por Marianne Costa, que promove projetos de turismo sustentável com forte atuação no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, com a mediação da jornalista responsável pelo Movimento Empreenda da Editora Globo, Renata Leal.

Para quem quer ouvir sobre negócios na prática, existirão debates com Sofia Esteves, fundadora do Grupo DMRH e Cia de Talentos, Adriana Salles Gomes, editora-chefe de HSM Management e Júnia Nogueira de Sá. No painel “Elas investidoras: o seu negócio está preparado para obter investir anjo?”, Maria Rita Spina e Camila Farani falarão sobre como as empresas devem se preparar para conseguir aporte de investimento. Ou seja: tem assunto que não acaba mais!

Sem contar que essa é uma excelente oportunidade de somar duas questões importantíssimas para quem busca o sucesso no negócio: capacitação e networking.

Se você se interessou, é só se inscrever: http://www.forumempreendedoras.com.br/ . Quem sabe a gente não se encontra por lá.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...