Archive for Comportamento Empreendedor

17 mai 2016

5 DESAFIOS DO EMPREENDEDOR

No Comments Administração e Gestão, Comportamento Empreendedor, Empreendedorismo, Mercado, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo

Cinco desafios parecem pouco, mas se aprender a lidar com eles, já estará na frente da concorrência. Fica ligado! 

lounge_empreendedor_desafios_do_empreendedor

Para atingir o sucesso, um empreendedor precisa superar inúmeras barreiras e dificuldades que aparecem em seu caminho. Com a atual instabilidade do cenário econômico, os desafios do dia a dia podem ser ainda maiores.

Diante disso, conheça algumas recomendações de Alessandro Saade, professor de Empreendedorismo e Novos Negócios da Business School São Paulo (BSP) para orientar você a superar os desafios mais comuns em 5 diferentes áreas:

1- gESTÃO DE PROCESSOS.

Em momentos de instabilidade financeira é comum que o líder tenha que tomar decisões difíceis, como demissões. Portanto, ele precisa ter a habilidade para adotar medidas como essas e saber comunicá-las. Saade entende que este é o período ideal para buscar mais eficiência nos processos. Para isso, a empresa pode tentar aumentar a produtividade, prestar atenção no estoque de produtos, buscar fornecedores com preços mais em conta e eliminar etapas do processo, por exemplo.

2- fINANÇAS.

O empreendedor deve saber lidar com questões como a redução do faturamento devido à diminuição do volume de vendas e atraso no referimento. É comum que os clientes atrasem o pagamento devido à mudança no ritmo do mercado. Para superar dificuldades como essa, o líder pode tentar ser mais cuidadoso com as finanças dele, controlar melhor os números e ter disposição para negociar as dívidas com os fornecedores e clientes que desejam descontos ou alongar o pagamento.

3- mARKETING E VENDAS.

Para superar o desafio da competição acirrada, a empresa pode optar pelo uso de ferramentas gratuitas disponíveis no mercado. Ferramentas digitais como Facebook, Instagram e Pinterest ajudam a divulgar o trabalho e consolidar a marca. Ademais, pode ser interessante investir em campanhas digitais, programas de fidelidade e marketing de conteúdo. Reflita sobre os caminhos pelos quais a empresa pode oferecer benefícios diferenciados para o cliente.

4 – lIDERANÇA E PESSOAS.

É importante que seja mantido um clima agradável na empresa. Para isso, o líder precisa ser transparente com os funcionários e colaboradores sobre a atual situação da companhia. Experimente engajá-los para que eles ajudem a trazer possíveis soluções, como sugerir dicas para reduzir custos, por exemplo. O pequeno esforço de cada um deles ajuda a aumentar a rentabilidade da empresa. Além disso, engajar a equipe traz motivação aos integrantes.

5- INOVAÇÃO.

É um desafio para o empreendedor promover inovações tanto no dia a dia da empresa como em longo prazo. Para isso, tente buscar novos públicos e consumidores. Outra possibilidade é procurar novos formatos de entrega do produto ou serviço. O delivery ou a inclusão de consultorias técnicas, por exemplo, podem ser boas opções.

Segundo Saade, aplicar os métodos e recomendações propostos pode permitir compensar a diminuição das vendas. 'Dessa forma, aumentarão as chances de gerar um avanço da rentabilidade da empresa', concluiu ele.

20 ago 2015

NÃO LAMENTE O DESEMPREGO

No Comments Administração e Gestão, Comportamento Empreendedor, Desenvolvimento Sustentável, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo, Proposta de Valor

Muhammad Yunus é um empreendedor social, quem sabe um dos pioneiros. Conheça mais sobre essa figura inspiradora e o que ele pode te ensinar

lounge-empreendedor-muhammad-yunus

A recente passagem do prêmio Nobel da paz pelo Brasil, o bengalês de 76 anos, Muhammad Yunus, levou ainda mais visibilidade para o campo dos negócios sociais e do empreendedorismo social. Yunus é um empreendedor social nato, e o prêmio Nobel que recebeu foi resultado de sua experiência pioneira de fornecer microcredito para pessoas em situação de extrema vulnerabilidade social.

Para quem não está familiarizado com o termo, negócio social é uma empresa cuja atividade, além de gerar lucro, também funciona como uma solução para algum problema social. Como se o core do negócio fosse a responsabilidade social. Pode-se dizer que Muhammad Yunus foi um dos grandes responsáveis por apresentar ao mundo e propagar o conceito. E, ainda hoje, ele ministra palestras de incentivo para disseminar o conceito, iniciativas de sucesso e inspirar jovens a empreender.

O empreendedor é conhecido internacionalmente, tendo sido considerado pelo jornal “Financial Times” como um dos seis maiores pioneiros de finanças de todos os tempos.

Negócios sociais de Muhammad Yunus

O flerte (e futuro casamento, pode-se dizer) do empreendedor social com os negócios sociais começou nos anos 70, quando Yunus, economista de formação, trabalhava como professor universitário em Bangladesh. A universidade onde ministrava suas aulas era vizinha a uma grande favela, e o economista conta que sempre sentiu um enorme abismo entre a teoria que ensinava aos seus alunos em sala de aula e a realidade para além dos muros da universidade.

A solução que encontrou para ajudar as pessoas da comunidade vizinha à universidade passa pelo empreendedorismo: por meio de empréstimos de pequenas quantias (e os R$ 15 mil de microcrédito que o BNDES disponibiliza à empreendedores como você são uma fortuna perto do que ele emprestou) como 15 dólares, por exemplo, ele começou a ajudar mulheres a encontrar formas de obter sustento e escapar das garras de um perverso e exploratório sistema de agiotagem. Livres das dívidas e ameaças, essas mulheres passaram a desenvolver atividades como costura e artesanato para sustento próprio. Hoje, o Grameen Bank é um negócio social reconhecido, que já ajudou centenas de pessoas a saírem da miséria.

O conceito de negócio social é bastante amplo. A ideia propagada por Muhammad Yunus para definir negócio social tem algumas diferenças de outras iniciativas praticadas. A maior delas é que o empreendedor defende que um negópcio social, apesar de ser uma empresa lucrativa, não deve distribuir dividendos para os acionistas, e que todo o lucro deve ser reinvestido na própria empresa, para aumentar o alcance da iniciativa. Para o empreededor, essa medida -de não distribuir lucro – é importante para que o propósito do negócio não seja comprometido por outros interesses.

Yunus desenvolveu 7 princípios básicos para caracterizar negócios sociais:

  1. O objetivo do negócio será redução da pobreza ou mais problemas (como educação, saúde, acesso a tecnologia e meio ambiente) que ameaçam as pessoas e a socidedade; não a maximização dos lucros.
  2. Financeira e economicamente sustentável
  3. Investidores recebem de volta somente o valor investido. Nenhum dividendo é pago além do dinheiro investido.
  4. Depois que o investimento for devolvido, o lucro da empresa fica na empresa para ampliação e melhorias.
  5. Ambientalmente consciente.
  6. Colaboradores recebem valor de mercado com melhores condições de trabalho.
  7. … fazer tudo isso com alegria.

Grameen Danone: uma joint venture para salvar crianças dos efeitos da pobreza

A Grameen Danone, um case até bastante conhecido no mercado, uma joint venture desenvolvida entre a Danone e o Grameen Bank que funciona da maneira proposta por Yunus. A empresa foi criada com o propósito de alimentar crianças em situaçnao de pobreza, fornecendo um iogurte enriquecido com vitaminas para garantir o pleno desenvolvimento cerebral da criança.

Apesar de haver iniciativas de sucesso como essa, um do grandes desafios desse tipo de modelo de negócio ainda é conseguir captar investimento. Nesse sentido, outras empresas, também chamadas de negócios sociais, estão ganhando a cena, sendo empresas que, sim, resolvem problemas sociais, mas que também geram lucro com a possibilidade de distribuir dividendos para acionistas.

Uma grande inspiração para o empreendedor

Independente de qual modelo de negócio social você acredita ser o mais interessante, fato é que Muhammad Yunus em sua trajetória empreendedora tem quebrado muitos paradigmas e inspirado centenas de pessoas ao redor do mundo a buscarem soluções criativas para problemas sociais e as colocarem em prática por meio da criação de empresas. Sim, esse empreendedor tem muito a ensinar e também a inspirar você também.

“‘NÃO CHORE POR ESTAR DESEMPREGADO, CRIE SEU EMPREGO”

Essa é a grande mensagem que Yunus deixou para a juventude brasileira em sua última passagem pelo Brasil. Durante palestra para empreendedores e acadêmicos, o empreendedor conclamou todos a saírem de suas zonas de conforto para buscar soluções criativas contra a miséria e também para criar postos de trabalho numa economia em crise.

“Temos que incentivar os jovens na universidade a serem criativos. É esse o caminho para surgimento de empreendedores sociais,” diz. Yunus enfatiza ser importante ter em mente não apenas a possibilidade de procurar trabalho, mas a de criar oportunidades de trabalho. “Não chore por estar desempregado. Crie seu próprio mundo. Assim chegaremos a zero de desemprego”.

Muhammad Yunus no Brasil

Yunus, há cerca de 2 anos, fundou no Brail a Yunus Negócios Sociais Brasil. Trata-se de um negócio social cujo objetivo é fomentar o empreendedorismo social no país, incubando e acelerando negócios que resolvam problemas sociais daqui. A empresa, além da incubadora e da aceleradora, também conta com um fundo de investimento para investir, justamente, em negócios dessa natureza.

A empresa de Muhammad Yunus também está com uma atuação forte em parceria com diversas universidades brasileira soara difundir o conceito e incentivar jovens a empreenderem suas dietas para solucionar problemas sociais.

Fonte: Portal Endeavor – Leia mais em https://endeavor.org.br/muhammad-yunus/

13 ago 2015

LIÇÕES DE STEVE JOBS PARA O EMPREENDEDORISMO

No Comments Carreira, Comportamento, Comportamento Empreendedor, Economia Digital, Empreendedorismo, Inovação, Mercado, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo

Além de produtos visionários, Steve Jobs deixou um legado de liderança e inspiração que todo empreendedor deveria conhecer. 

lounge-empreendedor-steve-jobs

Em 2011, o jornalista Walter Isaacson publicou Steve Jobs – A biografia, que seria um best-seller sem precedentes. Tanto mais porque o livro saiu pouco depois da morte do inventor visionário, do empresário apaixonado, do líder inspirador, do criador insatisfeito… enfim, acumulam-se os epítetos daquele que é o principal nome da revolução tecnológica que há tempos vivemos; o respeito e a admiração pelas façanhas de Jobs já transcenderam em muito os círculos mais próximos de sua atuação, como geeks, designers, fãs de informática, empresários e gestores em geral. Hoje, o co-fundador da Apple ocupa os pensamentos das mais diversas pessoas como alguém cujo poder de inspiração e realização era inigualável; suas fotos preenchem paredes tanto de casas como de quaisquer estabelecimentos comerciais em um verdadeiro culto, com o qual a biografia escrita por Isaacson contribuiu um bocado.

lounge-empreendedor-steve-jobsA obra foi lançada no Brasil pela Companhia das Letras, parceira Endeavor. E a leitura é obrigatória para que você, empreendedor, entenda não apenas a dimensão da importância de Steve Jobs para o atual contexto econômico e social atual, mas também para que possa se inspirar por este que foi um dos maiores líderes de que se tem notícia.

E para abrir seu apetite, elaboramos aqui uma pequena síntese do texto de Isaacson, com algumas daquelas que o autor chamou de “As verdadeiras lições de liderança”. São, como você perceberá, nada menos do que isso – lições de gestão, de desenvolvimento de produtos e de inspiração de equipes, cuja aplicação a imensa lista de façanhas de Steve Jobs comprovou ser absurdamente eficaz. São, afinal, lições deixadas por ninguém menos do que o criador do Macintosh, do iMac, do iPod, do iPhone, do iPad e de tantos outros produtos que revolucionaram sete indústrias, da computação pessoal à música.

Ensinamentos que, ainda que você não concorde com os duros métodos de gestão aplicados por Steve Jobs, deve conhecer. Ao menos se também acredita que “se quiser, pode voar. Só precisa confiar muito em si mesmo”.

Vamos a eles:

Mantenha o foco

Após retornar à Apple em 1997, Steve Jobs encontrou-a à beira da falência. Produzindo uma coleção inconsistente de computadores e aparelhos periféricos, a empresa perdeu o foco, e perdia rapidamente a relevância.

Então, após semanas de reuniões desgastantes, Jobs emitiu um sonoro “basta!”, pegou um pincel atômico, caminhou descalço até um quadro branco e lá desenhou uma tabela com quatro quadrados. Dentro de cada um, escreveu “consumidor”, “pro”, “desktop” e “portátil”. Afirmou que era apenas daquilo que precisavam, e as equipes deveriam se dedicar àqueles quatro grandes produtos.

Claro que a ideia foi recebida com muita apreensão pelos executivos da Apple. Mas, ao focar na produção de apenas quatro computadores – e a essa tarefa, sim, dedicar toda atenção e talento disponíveis -, Jobs salvou a empresa. Este seu pensamento é resumido pela famosa frase:

DECIDIR O QUE NÃO FAZER É TÃO IMPORTANTE QUANTO DECIDIR O QUE FAZER.

Simplifique

O primeiro folheto promocional da Apple declarava que “a simplicidade é a máxima sofisticação”. E para que você entenda o que isso significa, é só comparar qualquer software da empresa de Steve Jobs com qualquer outro; tanto a interface como a usabilidade são tremendamente mais simples, mais intuitivos, mais… minimalistas, para ficarmos em um termo da moda.

Esse princípio acompanhou Jobs por toda sua vida. Desde quando resolveu desenvolver um mouse com apenas um botão, enquanto todos os outros tinham dois ou três, até a concepção de um desktop que consistia apenas no monitor, sem a “torre” dos outros modelos.

MAS STEVE JOBS SEMPRE BUSCOU A SIMPLICIDADE QUE VEM DA CONQUISTA DA COMPLEXIDADE, E NÃO DO SEU DESCONHECIMENTO.

É um processo árduo, muito trabalhoso. “Para ser verdadeiramente simples, é preciso ir muito fundo”, afirma Johnathan Ive, designer industrial e alma gêmea de Jobs na busca pela simplicidade. Foi assim com todos os produtos que desenvolveu: no caso do iPod, Steve Jobs e sua equipe quebraram as cabeças para que o usuário conseguisse o que quisesse com apenas três cliques.

E foi assim em todas as indústrias que “perturbou”. Jobs sempre se perguntava quais dessas indústrias estava lançando produtos mais complicados do que o necessário; e, ao identificá-las, para elas dirigia toda a sua concentração, toda a sua intuição para descomplicá-los.

Quando ficar para trás, pule por cima

O que distingue uma empresa inovadora não é só propor novas ideias antes das concorrentes. Ela também precisa saber como dar um salto quando percebe que ficou para trás.

Isso aconteceu com a Apple na ocasião em que a empresa desenvolveu o iMac original: Jobs empenhou-se para tornar o dispositivo o melhor no que dizia respeito à edição de fotos e vídeos, mas foi rapidamente ultrapassado na questão de como o usuário lidava com a música (o iMac não gravava CDs).

Então, em vez de simplesmente aprimorar o equipamento para alcançar os outros, Steve Jobs resolveu dar o salto: criou um sistema integrado que permitia aos ususários comprar, armazenar, administrar e tocar música do que qualquer outro: o resultado foi o surgimento do iTunes, da iTunes Store e do iPod.

Ponha sempre os produtos na frente do lucro

Desde os primórdios, quando Steve Jobs e sua pequena equipe desenvolveram o MacIntosh original no começo dos anos 80, a premissa era: “fazer algo absurdamente bom”. Jamais mencionou-se “maximização dos lucros” ou decisões para “majorar o custo-benefício”. Como se sabe, Jobs sempre se dedicou, acima de tudo, a desenvolver bons produtos; os lucros seriam consequências.

Ele acreditava firmemente que, quando uma empresa começa fazendo ótimos produtos e depois “o pessoal do marketing e das vendas toma conta”, ela estará fadada a se declinar, pois a prioridade se torna o lucro. O desenvolvimento de produtos perde importância, e isso pode ser fatal.

Incentive a perfeição

Dentre as características de Steve Jobs, uma das mais admiradas e temidas era o seu perfeccionismo. Era sua busca pela perfeição que o fazia ser um líder sobretudo duro e intransigente, obrigando suas equipes a recomeçarem processos já quase concluídos por conta de detalhes.

Aconteceu com o filme Toy Story que, já em fase final avançada de produção, acabou sendo reescrito por Jobs e o diretor, John Lasseter, por conta da instatisfação destes com o resultado até então. E aconteceu com o design inicial do iPhone, do qual Jobs se deu conta não gostar nem um pouco. Então, de volta à prancheta.

E, a julgar pelo estrondoso sucesso destes dois exemplos, dá para entender como podemos sempre aprimorar algo que já parece perfeito. Sempre há uma nova perspectiva a ser abordada, uma nova pergunta a ser feita.

E todo esse pensamento é traduzido por aquela máxima que talvez melhor descreva o espírito profundamente revolucionário de Steve Jobs; que talvez seja sua grande contribuição para empreendedores e para, afinal, qualquer ser humano que busque fazer a diferença, que procure “deixar uma marca no universo”:

STAY HUNGRY, STAY FOOLISH (EM PORTUGUÊS: “CONTINUEM FAMINTOS, CONTINUEM TOLOS”)

Se você quer saber um pouco mais, esta interessante matéria da Época traz os nove livros que Steve Jobs acreditava que toda pessoa deveria ler.

E abaixo, o famoso e imensamente inspirador discurso que ele fez aos graduandos de Stanford. (Eu não me canso de assistir!) 

Fonte: Portal Endeavor

24 jul 2015

APRENDA COM SEUS ERROS

No Comments Aprendizagem, Carreira, Coaching, Comportamento, Comportamento Empreendedor, Confiança, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo, Superação

Desde cedo, somos programados para achar que errar é ruim. Uma crença que nos impede de aprender com os tombos levados, mas que você pode mudar AGORA.

 lounge-empreendedor-aprenda-com-os-erros

Todos nós temos medo do fracasso. Entretanto, não conheço uma única pessoa que tenha experimentado uma cadeia ininterrupta de vitórias. Todos experimentamos retrocessos, derrotas, perdas, rejeição e fracassos. Ninguém é perfeito.

O que nos torna mais bem sucedidos é a capacidade de resposta que desenvolvemos às experiências que dão errado e o tempo que gastamos em curar nossas feridas. Assim como os animais, precisamos aprender a lambê-las, sem deixar o campo de batalha.

É claro que ninguém começa uma empreitada esperando terminá-la mal. Nenhum atleta ouve o tiro da largada esperando o último lugar. Nenhum empreendedor idealiza a falência como meta no final do mês. Mas você já deve ter ouvido o quanto experiências negativas foram importantes para pessoas que admira.

Nas palavras do escritor americano Denis Waitley: “O fracasso deveria ser nosso professor, não nosso coveiro. A falha é um atraso, não uma derrota. É um desvio, não uma rua sem saída. O fracasso é algo que conseguimos evitar apenas se não dissermos nada, se não fizermos nada e se não formos nada.” Eu prefiro ser muito!

Histórias de superação nos ajudam a entender o valor que cada ser humano adquire em suas próprias derrotas e como transformam o fracasso em lição aprendida, em degraus para o sucesso tão almejado.

Caso você duvide desta capacidade, pense nos aprendizados simples que pode adquirir com a rejeição, a perda e o fracasso. Você descobrirá novas habilidades; descobrirá quem são seus amigos de verdade e jogará para longe boa parte de seu orgulho e arrogância Perceberá, ainda, que não pode agradar a todos e, assim, se tornará mais forte e confiante. Vai deixar de perseguir dúvidas como “e se?” para fazer as coisas acontecerem; deixará de lado a síndrome do super-herói e pedirá ajuda. Para, então, finalmente, valorizar seu sucesso quando ele acontecer. 

Já percebeu como as maiores celebrações vêm depois de batalhas difíceis? Pois é… Se enfrentarmos as adversidades como uma cutucada do destino indicando-nos outra direção e se obedecemos a este sinal, é certo que a experiência se tornará positiva. Mas, se o fracasso for vivido como indicação de fraqueza e ficarmos remoendo a situação até produzirmos um complexo de inferioridade, então, dias piores virão.

Talvez essa lista possa ajudar você a guiar seu processo de reflexão e aprendizado com seus erros:

  1. A aceitação da responsabilidade é essencial para tornar o aprendizado possível.
  2. Não iguale o erro honesto resultante de um experimento planejado com erros devidos à irresponsabilidade, incompetência ou descaso.
  3. Você não pode mudar seus erros, mas você pode escolher como responder a eles.
  4. O crescimento começa quando você pode ver espaço para melhorias.
  5. Procure entender porque o erro aconteceu; investigue para conhecer suas causas.
  6. Que sequência de pequenos erros levou ao grande erro?
  7. Que informações poderiam ter evitado o erro?
  8. Há alternativas que poderiam ser consideradas, mas não o foram?
  9. Que mudanças são necessárias para evitar a repetição deste erro?
  10. Que tipos de mudanças são difíceis para você?
  11. Que tipo de comportamento você precisaria mudar em situação semelhante?
  12. Mas não se iluda, a próxima situação não será idêntica à última. O erro pode até se repetir, mas as causas e conseqüências podem ser diferentes.

Acho engraçado como em quase todas as atividades humanas, a natureza parece favorecer "os tolos" ou "os loucos" que não sabiam que podiam fracassar e que seguiram em frente fazendo "o impossível" em detrimento daqueles que repetidamente afirmam “isto não pode ser feito”.

Cada ser humano traz consigo um infinito poder de vencer as adversidades. Nossas únicas limitações são aquelas que impomos às nossas mentes. Por isso, deixe de lado o comodismo, a preguiça, a procrastinação, o egoísmo, a vaidade e ambição descontroladas, a falta de lealdade, os vícios, a desonestidade, e acredite: DIAS MELHORES VIRÃO!​

28 fev 2015

SONHE GRANDE

No Comments Administração e Gestão, Carreira, Coaching, Comportamento, Comportamento Empreendedor, Cotidiano, Estabelecimento de Metas, Negócios, Sucesso

Quando a gente sabe para onde vai, não aceitamos qualquer caminho! Por isso: FOCA NA META! 

 

lounge-empreendedor-sonhe-grande

No caminho para o sucesso, assim como para a manutenção dos resultados desejados, a quantidade de energia, confiança e dedicação que colocamos nas nossas ações são fundamentais. Os vencedores têm o hábito de projetar expectativas positivas sobre sua vida, suas metas e seus objetivos. Existem algumas características comuns às pessoas de sucesso, como por exemplo, níveis elevados de energia, grande mobilização de recursos, grande capacidade de mostrar que estão no topo das coisas e parece que nada pode detê-los em busca do seu objetivo.

Você já conviveu com pessoas que são exímias em alcançar os objetivos a que se propõem?

É encantador… Elas são pessoas com enorme confiança e uma firme convicção de que não importa o que encontram pelo caminho, o que vale é o FOCO e a DETERMINAÇÃO rumo ao sucesso.

Todos os dias quando acordamos, podemos definir o desenrolar do resto do dia. Qual foi o seu primeiro pensamento hoje pela manhã? Quais são seus planos e objetivos? Walt Disney disse: ”Se você pode sonhar, pode fazê-lo”.

Crie um “filme mental”  das suas metas, e veja-o na sua mente quantas vezes (e quando) quiser. Seja a figura principal desse filme, capacite-se e dê as habilidades à sua personagem. Sinta o cheiro, o sabor e a sensação da conquista do seu objetivo atingido.  Essa imagem clara na sua mente deve ser como aquele post-it colado na frente do seu monitor que lhe relembra aquilo que quer muito fazer e é prioritário. Quando temos uma meta poderosa estabelecida, encaramos cada novo dia com mais energia.

Mas tome cuidado: estabeleça objetivos preferencialmente que dependam de si. Para que eu possa sonhar em ser avó, meu filho também precisa ter o desejo de ser pai. Estar dependente de outros ou de circunstâncias das quais você não tem qualquer tipo de controle, nos coloca numa situação vulnerável. Evite-os!

Estabeleça critérios concretos para medir seu próprio progresso em direção à realização de cada objetivo que você definiu. Quando você mede o seu progresso, você fica no caminho certo. Alcançar pequenos avanços nas datas estabelecidas é experimentar a alegria da conquista e vai direcioná-lo a dar continuidade ao esforço que ainda resta.

É claro que nem sempre poderemos controlar tudo o que irá de acontecer. Sofreremos influencia daquilo que nos cerca, coisas boas e coisas más acontecerão, mas sempre temos a possibilidade de aprender e agir de forma que nos beneficie.

Por isso, adquira o hábito de agir positivamente no seu dia desde o momento em que se levanta da cama. Tenha planos. Escolha as palavras, imagens e cenários mentais que possam colocá-lo num estado de ser pleno de recursos alinhados às exigências, desafios e objetivos que se propõe. Relembre a si mesmo que tem o poder de se autoinfluenciar positivamente e vencer. A vida é o resultado do que fazemos e não do que, ilusoriamente, dizemos querer fazer.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...