Archive for Competências

21 jun 2017

TEMPO VALE MUITO MAIS QUE DINHEIRO

No Comments Administração e Gestão, Ambiente de Trabalho, Carreira, Clima Organizacional, Coaching, Competências, Comportamento, Cotidiano, Gestão do Tempo, Motivação, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo, Produtividade, Qualidade de Vida, Sucesso

Administrar o tempo não é uma questão de ficar contando os minutos dedicados a cada atividade: é uma questão de saber definir prioridades. Você tem feito isso com a sua vida?

lounge-empreendedor-tempo

Tempo é hoje um dos bens mais preciosos e também é um nossos principais problemas. Em geral, até mesmo em uma conversa de bar nos queixamos da falta dele. São inúmeros os culpados: trabalho, faculdade, cursos, metrô, trânsito, aquele social com a família no final de semana, enfim, a lista pode ser interminável e personalizada individualmente. Afinal, o tempo é como uma nau, cada capitão que cuide da sua.

O tempo é distribuído entre as pessoas de forma bem mais democrática que muitos outros recursos de que nós dependemos (como por exemplo, a inteligência ou o dinheiro). Rico não recebe mais do que pobre, professor não recebe mais do que analfabeto, executivo não recebe mais do que operários. A diferença é que os primeiros percebem que o tempo, apesar de democraticamente distribuído, é um recurso altamente perecível. Um dia perdido hoje (no sentido do que não realizei o que precisava) não é recuperado depois: é perdido para sempre.

Costumo encerrar todas as minhas palestras, agradecendo aos participantes pelo tempo que se dedicaram a ficar comigo, afinal ele é um dos nossos maiores ativos, e uma vez perdido é irrecuperável – e por isso, é tão precioso. O problema é que, muitas vezes, perdemos tempo sem nem perceber. No universo corporativo, por exemplo, jogamos muito tempo fora com atividades desnecessárias.

Uma delas é a prática da multitarefa. Embora tenhamos a ilusão de que fazer várias coisas ao mesmo tempo é produtivo, estudos do Instituto de Psiquiatria da Universidade de Londres indicam que exercer mais de uma atividade ao mesmo tempo reduz a produtividade em até 40%. O número é chancelado pela pesquisa de David Strayer, diretor do laboratório de cognição aplicada da Universidade de Utah. Segundo o pesquisador, apenas 2% das pessoas tem capacidade de realizar múltiplas tarefas com qualidade. As outras 98% ao tencionar se dividir em ações justapostas irão desfocar completamente das atividades, não realizando nenhuma delas.

Evandro Mazuco, especialista em produtividade, comenta que isto ocorre, pois quando estamos tentando realizar várias coisas não temos um foco de atenção, mas vários de distração. O ideal, comenta ele é:  “ao invés de trabalhar em paralelo, trabalhar de forma sequencial, ou seja, iniciando uma atividade e a terminando”, pontua. Esta organização, aponta o profissional, além de ser benéfica à produtividade e ao gerenciamento de tempo, faz com que nos sintamos menos cansados, pois nos envolvemos com menos informações e mais satisfeitos, uma vez que ao final do dia haverá uma gama de atividades concluídas.

fazer mais com o mesmo tempo

Outro ponto a ser observado para um bom desempenho é descobrir qual é o seu período mais produtivo. Isto é: em que momento do dia você está mais disposto.  Eu, por exemplo, uso o comecinho das manhãs para as atividades que não exijam muito da minha capacidade intelectual, pois sei que meu organismo reage melhor depois das 10h00. Aí… Ninguém me segura. Aliás, não sei se vocês sabem, mas segundo estudos de produtividade, em geral as pessoas são mais produtivas pela manhã, quando ainda estamos físico e mentalmente tranquilos.

Se você é assim também, aproveite esse horário para realizar as tarefas prioritárias do seu dia. E cuidado, eu disse: do SEU dia. Se você usar seu momento mais produtivo, para abrir e-mails por exemplo, pode estar colocando tudo a perder, afinal quase tudo o que está na sua caixa de entrada são prioridades de outras pessoas. Ser produtivo não é equivalente a estar ocupado. Ser produtivo é, em primeiro lugar, saber administrar o tempo, ter sentido de direção, saber onde se vai.

Além destes pontos, trouxe aqui para o Lounge um vídeo do Evandro em entrevista à SocialBase em que ele aborda outras técnicas que, embora, pareçam salientes, não as vemos sendo praticadas com muita frequência. Assista quando sobre um tempo (Ops! Será que sobra algum?!?) e organize sua rotina para fazer o que é mais importante, seja na sua vida pessoal ou profissional.

Quem administra o tempo ganha vida, mesmo vivendo o mesmo tempo. Prolongar a duração de nossa vida não é algo sobre o qual tenhamos muito controle. Aumentar a nossa vida ganhando tempo dentro da duração que ela tem é algo, porém, que está ao alcance de todos. Basta um pouco de esforço e determinação.

05 jun 2017

CAMINHO PARA O TOPO

No Comments Administração e Gestão, Ambiente de Trabalho, Carreira, Coaching, Competências, Comportamento, Gestão de Pessoas, Liderança, Mercado de Trabalho, Relações de Trabalho, Sucesso

Em um ambiente de tantas mudanças, pensar em quais serão as habilidades dos executivos do futuro parece um desafio. Mas, deixar de pensar pode deixá-lo ainda mais distante de uma carreira de sucesso. 

lounge-empreendedor-rumo-ao-topo

Pode parecer um exercício inútil fazer planos de carreira em meio à incerteza da economia, quando tudo parece pouco sólido. Mas um profissional não deve descuidar de suas ambições futuras por causa do cenário atual.

Todo mundo deve fazer como as empresas, que usam sua visão de longo prazo como um caminho a ser seguido e fazem ajustes durante o percurso. Para quem projeta ascensão profissional, isso significa olhar quais serão as competências mais importantes para alcançar o topo e desenvolvê-las com o tempo.

Um estudo da CTPartners, empresa de recrutamento executivo, feito com companhias de 24 países, inclusive o Brasil, mostra quais serão as habilidades mais importantes dos líderes em 2020. Trata-se de um prazo bom, não muito distante e improvável, nem tão próximo a ponto de ser inviá­vel. VOCÊ  S/A ouviu sete executivos brasileiros que ocupam hoje os principais cargos de suas empresas, e são eles que contam o que fazer para chegar lá.

Uma coisa é certa: o desafio é grande e é preciso estar em constante aprimoramento. O que antes levava 20 anos para mudar agora leva dois. “Os executivos fazem parte desse cenário e precisam evoluir com ele”, diz Sergio Rial, presidente do conselho do Santander, de São Paulo.

O principal desafio do profissional brasileiro é se inserir mais nos negócios globais. “O executivo nacional precisa se esforçar para atingir esse padrão internacional”, diz Magui Castro, sócia da CTPartners, de São Paulo.

Se você quer seguir rumo ao topo, fique esperto e desenvolva as seguintes competências nos próximos anos: 

se quer ser presidente, seja um bom ouvinte:  O presidente do futuro é um excelente comunicador e ouvinte. Sua liderança será baseada em conhecimento, intuição e conselhos de colegas. O resultado será um líder que transmite propósito e humildade. 

TRÊS COISAS QUE VOCÊ VAI PRECISAR FAZER:

1. Ser um cidadão global, transitar entre diversas culturas e cenários econômicos e adaptar-se a eles, calculando riscos, abraçando mudanças e questionando os modelos de negócios atuais.

2. Agir como um embaixador da companhia, sendo acessível e visível aos funcionários e personificando os valores e as qualidades da empresa e de seus produtos para os clientes.

3. Saber atrair, engajar e inspirar profissionais jovens. 

O PRIMEIRO PASSO PARA CHEGAR LÁ: Aprender a ter paciência e humildade para escutar todos os lados, mesmo que discorde deles. 


se quer ser presidente do conselho, esteja pronto a influenciar as pessoas: Essa função será a reponsável por garantir a diversidade de ideias e a transparência nas contas da empresa. Não será mais um cargo para executivos aposentados, né? 

TRÊS COISAS QUE VOCÊ VAI PRECISAR FAZER:

1. Estar conectado. Ele precisará saber o que de mais novo tem sido feito no mundo e os efeitos para a indústria em que atua.

2. Respeitar e incentivar o debate de ideias diferentes.

3. Ser transparente, ético e não ter nada a esconder. 

O PRIMEIRO PASSO PARA CHEGAR LÁ: Ter uma conduta perfeita. O presidente do conselho reflete o que é a companhia.


se quer uma diretoria de marketing, desenvolva a vidência:  Sim! Seja um vidente de vendas. A função de um diretor de marketing não estará mais restrita a fazer um produto atraente e a pensar em oferta e procura. Ele será o responsável também por usar dados dos consumidores e da marca para prever o que o cliente vai desejar amanhã.

TRÊS COISAS QUE VOCÊ VAI PRECISAR FAZER:

1. Identificar e atrair consumidores com experiências personalizadas usando informações coletadas dos clientes e dos canais digitais.

2. Entender e usar o big data para transformar os dados em vantagem competitiva, trabalhando cada vez mais próximo da área de tecnologia da informação.

3. Desenvolver uma narrativa autêntica para a empresa em que trabalha.

O PRIMEIRO PASSO PARA CHEGAR LÁ: O pessoal do marketing vai precisar entender e lidar com números e saber quais realmente importam.


se sua área é pessoas, desenvolva seu olhar estratégico:  O diretor de recursos humanos será o responsável por aconselhar não só o presidente, mas também todo o nível executivo sobre como atingir os objetivos da companhia usando o recurso mais poderoso: as pessoas.

TRÊS COISAS QUE VOCÊ VAI PRECISAR FAZER:

1. Aprender a utilizar análises e dados para criar recomendações estratégicas de seleção e gestão de talento voltadas para o alto desempenho.

2. Ter uma perspectiva global e multicultural para entender, atrair, cultivar e inspirar funcionários no mundo todo.

3. Construir um ambiente interno no qual possam ser identificados os mesmos valores, mas que também valorize as diferenças. 

O PRIMEIRO PASSO PARA CHEGAR LÁ: Aprenda a gostar de números. (e digo isso por mim!) O RH precisará ter boa capacidade analítica porque vai ter uma infinidade de dados para cruzar, de modo a extrair o melhor das pessoas.


se você é da área de ti, prepare-se para gerar vantagens:  O diretor de TI será o responsável por criar, por meio de base de dados, uma vantagem competitiva para a empresa. Também terá a missão de defender, antecipar, prevenir e responder ataques virtuais sofisticados e de alto risco para o negócio. 

TRÊS COISAS QUE VOCÊ VAI PRECISAR FAZER:

1. Liderar a compilação e a análise de informações, separando as que realmente interessam para cada área, conforme demandado.

2. Conhecer quais são os riscos operacionais dos sistemas e proteger os dados e a propriedade intelectual da companhia.

3. Entrar mais no negócio para entender quais são as demandas e entregar soluções personalizadas e direcionadas para cada área. 

O PRIMEIRO PASSO PARA CHEGAR LÁ: Conversar com outras áreas. O pessoal de tecnologia é, normalmente, mais fechado e focado. Mas eles só vão conseguir achar as soluções que as áreas precisam se souberem qual é o problema, certo? 


se pretende ser um diretor jurídico, esteja pronto para jogar em todas posições:  Esse executivo deve se preparar para defender os interesses da empresa e a gerenciar riscos entendeendo as regras do setor e dos países em que a empresa atua para conduzir a companhia dentro da lei.

TRÊS COISAS QUE VOCÊ VAI PRECISAR FAZER:

1. Traduzir o universo jurídico a favor do negócio, explicando cenários complexos e dando opções claras aos líderes.

2. Gerenciar não só o risco legal mas também a reputação da empresa, aproximando-se da mídia, do governo e dos acionistas.

3. Dirigir e criar novos processos, estruturas e sistemas para diminuir custos com despesas legais. 

O PRIMEIRO PASSO PARA CHEGAR LÁ: Entender os detalhes da indústria em que atua. Conhecendo todos os trâmites que estão envolvidos no negócio, o diretor jurídico conseguirá encontrar os caminhos mais rápidos dentro do emaranhado jurídico. 


agora, se você é o cara dos números, prepare-se para ser o escudo do presidente, da diretoria e do conselho.  O principal papel do diretor financeiro é ser o responsável pelas estratégias e práticas que aumentam o desempenho da empresa. Cuida de identificar e gerenciar riscos, de reduzir custos e zela pelos assuntos de governança.

TRÊS COISAS QUE VOCÊ VAI PRECISAR FAZER:

1. Liderar e gerenciar o time de finanças, contratando, escolhendo e preparando sucessores e mantendo o alto desempenho.

2. Conquistar a confiança de investidores, demonstrando integridade pessoal, agindo de maneira transparente e determinando padrões éticos altos.

3. Participar do crescimento da empresa, tanto nos resultados orgânicos como por meio de fusões e aquisições.

O PRIMEIRO PASSO PARA CHEGAR LÁ: Envolver-se no negócio. Arrume um tempo e vá conversar com vendas, marketing, pessoas e jurídico. Largue um pouco a calculadora e envolva-se com a empresa. 

E aí? Você está pronto para seguir seu caminho rumo ao topo? 

 

09 set 2014

COMPETÊNCIA DIVINA

No Comments Administração e Gestão, Aprendizagem, Carreira, Coaching, Competências, Comportamento Empreendedor, Gestão de Pessoas, Liderança

Pensar o que ninguém pensou, andar por onde ninguém andou, fazer o que ninguém fez, enfrentar o que ainda não foi enfrentado. O que é competência pra você?

lounge-empreendedor-competencia-divina

Nunca ouvi tanto a palavra "competência" como nos últimos dias. Resultados, capacitação e remuneração são alguns dos temas mais presentes nos palcos corporativos quando o assunto é competência. Acho até engraçado como competência virou vocábulo obrigatório. Vários conceitos e equações nos explicam à exaustão o que é competência e como atingi-la, mas é comum que se cometa um delito elementar: o erro de focar a competência apenas no profissional, esquecendo que para ser competente de verdade é preciso ser, também, gente de verdade!

Nenhum conhecimento sobrevive à falta de educação, falta de vontade ou falta de atitude. Precisamos relacionar competência com comprometimento e, talvez, com uma das mais questões relevantes: a de compartilhar crenças.

Acreditar é o primeiro passo para realizar. A crença é pré-requisito da competência. Desejar que um colaborador execute adequadamente suas tarefas, e que seja criativo e empreendedor, começa pelo comprometimento do mesmo, o que, por sua vez deriva da admiração, do respeito e da confiança, e isso significa acreditar na empresa, em seus projetos e em seus valores.

João Ubaldo Ribeiro, em seu conto que tem o título curioso de "O santo que não acreditava em Deus", conta uma estória surrealista, em que Deus é apresentado como um CEO cansado e precisando de férias. Para descansar, ele precisa deixar um santo (um executivo) em seu lugar, tomando conta do mundo. Ah! Mas como isso é difícil…

O diálogo travado entre os dois é hilário, pois, ao se apresentar em sua verdadeira identidade, o todo poderoso acaba recebendo a informação de que o santo simplesmente não acreditava em Deus. Sua competência como executivo devia-se à suas convicções humanitárias e não divinas. Nas empresas, um profissional pode ser competente por convicções e conhecimentos técnicos, mas, se não aliar seus conhecimentos às convicções derivadas dos valores da empresa, não conseguirá dar o seu melhor.

Cultura empresarial não é um conjunto de frases de efeito em quadrinhos que enfeitam as paredes dos gabinetes das gerências. É um valor intangível que tem de estar na mente e no coração de todos os colaboradores.

Os competentes gostam de saber a que causa estão servindo. A desinformação gera descrença, que se transforma em acomodação, e então toda competência pessoal é desperdiçada. Qualquer bom profissional que não acredite em um projeto não conseguirá ser realmente competente.

Se você ficou curioso: no conto do João Ubaldo, Deus desiste de usar o santo em seus projetos e ele perde a oportunidade de ser promovido mesmo sendo muito competente. E isso tudo por não acreditar na empresa.

06 set 2014

A TAL PERSISTÊNCIA

No Comments Carreira, Coaching, Competências, Comportamento, Comportamento Empreendedor, Inteligência Emocional, Relações Humanas, Resiliência, Viva Positivamente

Ser persistente é uma habilidade que nos ajuda a atingir um objetivo e pode até ser um meio para convivermos junto a pessoas orgulhosas ou difíceis de lidar. 

lounge-empreendedor-a-tal-persistencia

Se talento é 1% inspiração e 99% transpiração, como diria o inventor Thomas Edison, posso dizer que sucesso é 1% talento e 99% perseverança. Sim, porque não conseguimos concluir nada na vida se não houver determinação e persistência.

Dá trabalho planejar, realizar e conquistar, dá trabalho trilhar uma carreira, construir um nome, uma empresa e até uma família. Tudo na vida exige dedicação. Temos mais momentos difíceis do que desejamos, isso é verdade, mas também é verdade que saímos deles mais fortalecidos e experientes.

A vida é assim, cheia de desafios e só vence quem os enfrenta, quem tem coragem e a tal da persistência para continuar lutando, aprendendo e evoluindo. E quando digo vencer, não estou falando de ficar milionário ou ter várias propriedades ou um estilo de vida luxuoso. Vencer no sentido de se realizar, de se sentir feliz com o que se conquistou, satisfeito por ter encarado as lutas e vencido várias delas, sim, porque perdermos algumas ao longo da vida.

Mas o que importa é se sentir pleno, útil e realizado na sua caminhada. Seja você um estudante, uma dona de casa ou um profissional. Todos podem atingir metas e chegar aonde se propuseram. Mas, para isso, tem de haver persistência, ou seja, os "3Fs" (força, foco, fé), não importa se o objetivo é pequeno ou grande. O talento, a inteligência e a criatividade ajudam, mas se todos eles não forem movidos pela perseverança, o tempo será perdido.

Ela é o motor  que nos move, que nos dá coragem para prosseguir, ainda mais quando surgem obstáculos. Desistir às vezes é necessário, mas quem abandona tudo o tempo todo não vai a lugar algum. Vive-se no limbo dos sonhos, cercado pela frustração e pelo desânimo.

Muitas pessoas reclamam pelos cantos que as coisas não dão certo, que não são felizes no que fazem, mas não percebem que perderam oportunidades, talvez por medo de se aventurar e não dar certo, talvez por não terem percebido a porta aberta. Na vida não existem certezas, o que se pode fazer é se preparar para aquilo que se quer fazer, se aprimorar e nunca se fechar para novas experiências.

Sim, porque a vida muda a cada segundo e ser flexível às mudanças é outra vantagem competitiva, não só no mercado de trabalho, mas no dia a dia. O mundo está em mutação e temos de acompanhar o seu dinamismo e haja perseverança para isso.

15 fev 2014

O SIMPLES NÃO É FÁCIL

No Comments Administração e Gestão, Aprendizagem, Coaching, Competências, Competitividade, Comportamento, Comportamento Empreendedor, Inteligência Competetitiva, Inteligência Emocional, Liderança, Mercado

Todo mundo quer coisas simples de usar, mas o termo “simplicidade” pode ser muito abrangente (e complexo!).

lounge-empreendedor-o-simples-nao-e-facil

"O simples pode ser mais difícil que o complexo. Você tem que trabalhar duro para tornar as coisas simples. Mas no final das contas vale pena, pois uma vez que você chega lá, você pode mover montanhas". A frase de Steve Jobs é, no mínimo, encantadora! Ao contrário do que parece, ou do que a própria palavra inspira, fazer o simples não é fácil. Alcançar a simplicidade é algo realmente complicado! Duvida?

Pense na quantidade de coisas na vida que são simples e fáceis de entender, mas difíceis de praticar. Eliminar um vício. Manter uma boa alimentação. Praticar exercícios físicos. Tudo teoricamente simples, mas cuja execução requer entendimento, preparo e dedicação. Imagine um indivíduo atravessando um cabo de aço entre um prédio e outro: é simples. Basta colocar um pé na frente do outro, mas não é fácil.

Simplicidade e facilidade são palavras que se confundem e quando aplicadas ao mercado de trabalho podem ser muito perigosas. Simplificar não significa empobrecer. Como disse Da Vinci, "a sofisticação está no simples".

E para encontrar tal simplicidade é preciso descobrir qual é "a sua diferença que faz a diferença". Talvez seja em um projeto de anos, ou em uma proposta de novo negócio, buscar a diferença que faz a diferença é o elemento fundamental da simplificação da vida sem torná-la sem sentido. 

Ser simples implica em desvestir coisas que nos acostumamos a vestir – e não estou falando de roupas velhas, mas de hábitos, costumes e crenças – e reduzir as cobranças sobre aquilo que ainda não conseguimos fazer. Sugere reconhecer que é possível fazer bem as coisas com aquilo que temos em mãos e em fazer bom uso do que dispomos. Isso parece um pouco clichê, mas é um aprendizado que custamos a entender. Além disso, é preciso estar disposto a errar. Quem para de errar, para também de aprender. Só depois de errar muito é que você aprende que vai continuar errando, errando, errando. E isso é ótimo. Não se envergonhe; aprenda!

Quando queremos melhorar e aprender, aprimoramos o nosso próprio eu. Mas essa busca por referências não pode, e nem deve, se transformar num espelho para repetições, onde a referência torna-se uma cópia, quase sempre mal feita. Cópias não são simples, mas simplórias repetições do que a falta de originalidade não é capaz de manter. Orgulhe-se de ser exatamente quem você é. 

As referências são importantíssimas para criar uma cultura, uma base, mas é fundamental também adquirimos a competência de nos desconstruirmos de tudo e ter a mente vazia e aberta. A forma de se utilizar alguma coisa tem inúmeras facetas. Depende da hora, dia, local, cultura, temperamento e por aí vai. Isso por que nunca teremos as mesmas condições que outras pessoas tiveram para fazer um trabalho, alguma coisa sempre estará diferente, portanto ter a cabeça livre para que ideias novas possam entrar é essencial.

Por fim, cito Sócrates: "Conhece-te a ti mesmo". É somente através do autoconhecimento que você realmente conhecerá o que gosta, a melhor maneira de fazer as coisas, o que te torna diferente dos demais e como alcançar a tal simplicidade. Desejo que você encontre um caminho simples para a realização e a felicidade. Eu sigo em busca!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...