Archive for Relações Humanas

17 ago 2015

​MENTIRAS SOBRE A VERDADE

No Comments Ambiente de Trabalho, Coaching, Comportamento, Comunicação, Empreendedorismo, Relações Humanas, Resistência a Mudança

A verdade dói e nem todos estão prontos para lidar com ela. Você já pensou nisso?

lounge-empreendedor-mentiras-sobre-as-verdades

Embora muita gente diga preferir uma dura verdade a uma doce ilusão, a realidade não é tão simples. Verdades expõem nossas limitações, nossos defeitos e características que, por vezes, gostaríamos que ninguém visse ou pensasse a nosso respeito. Não é raro ouvirmos algo que nos incomoda e logo darmos um jeito de encontrar uma justificativa transformando a verdade dita em algo que nos pareça mais agradável ou para que simplesmente possamos seguir em frente ignorando aquilo que precisa ser mudado.

Duvida? Pois vamos às situações simples do nosso dia-a-dia: seu parceiro diz que não te ama e logo você pensa: “Ah, ele me ama sim, mas ainda não sabe” ou “É só uma fase, precisa de tempo e logo vai aprender a me amar”.

Não quer falar de amor, pois – afinal – esse é um blog de empreendedorimo?

Pois falemos, então, de trabalho: seu chefe diz que um trabalho foi mal feito e a reação imediata é ficar indignado. “Mas que absurdo. Não tenho as ferramentas necessárias para um bom trabalho e me matei para fazer isso! Ele que não reconhece minha dedicação”. Ou então, um amigo lhe diz que sua ideia inovadora de um novo negócio não é assim tão inovadora e que você dificilmente terá clientes dispostos a pagar por ela e você logo argumenta: "Imagine! Você não conhece o mercado."

Dificilmente refletimos sobre o que as pessoas nos dizem e sobre a necessidade de revisarmos nossos próprios conceitos e atitudes. A verdade requer maturidade, autoconhecimento e autoestima para que possamos discernir entre uma crítica maldosa, injusta ou um argumento que pode realmente nos auxiliar a ser uma pessoa melhor.

Assim como existem verdades que nos machucam, existem aquelas que são ditas com o intuito de nos auxiliar e nos mostrar nossas qualidades. Quantas vezes elogiamos alguém e a pessoa não acredita? Muitas! Aliás, somos julgados também por elogiar. O que prova que realmente não somos preparados para lidar com a franqueza e a sinceridade. Temos receio de magoar, nos meter em confusão ou causar reações descontroladas e acabamos optando por omissões e mentiras.

Claro que para o bom convívio social, a verdade “nua e crua” nem sempre é conveniente por questões de necessidade ou respeito. Uma boa dose de bom senso é a escolha mais acertada para não exagerar em nenhum dos lados. Quando somos francos e utilizamos a verdade com amor, saímos da famosa zona de conforto e descobrimos novos caminhos para velhos problemas.

Mas cuidado! Há uma cilada ainda maior nesse jogo de verdades e mentiras:

NÃO MINTA PARA SI MESMO.

De nada adianta dizer que espera viver apenas na verdade, se você não estiver aberto para reconhecê-la e aceitá-la sem melindres para seu próprio crescimento e evolução.

Por isso, comece por você! É preciso ser objetivo e prático para não iludir a si mesmo e não aceitar como verdade apenas aquilo que gostaria de ouvir. Explore sua humildade, autoconfiança e esteja centrado para buscar a utilidade de todas as verdades. Até porque há um provérbio chinês que nos ensina “todos os fatos têm sempre três versões: a sua, a minha e a verdade”.

lounge-empreendedor-mentiras-sobre-as-verdades

11 ago 2015

PALAVRAS MÁGICAS DO RELACIONAMENTO

No Comments Coaching, Comportamento, Inteligência Emocional, Liderança, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo, Relacionamento Interpessoal, Relações Humanas

Existem algumas palavras mágicas que, quando as empregamos, exercem efeito especial sobre as pessoas. Descubra aqui quais são elas… 

lounge-empreendedor-palavras-mágicas-do-relacionamento

Todos sabemos que as palavras corretas são muito importantes para o nosso relacionamento, entretanto, parece que muitas pessoas sofrem de amnésia crônica e precisam ser lembradas diariamente disso. Utilizá-las é uma atitude que temos de adotar todos os dias até integrá-las automaticamente ao nosso comportamento. Quando as usamos demonstramos, não apenas, sentimento de consideração pelos outros mas, sobretudo, de boa educação e humildade.

As pessoas querem ser reconhecidas e tratadas com apreço e respeito. As palavras mágicas auxiliam muito no diálogo com as pessoas de nosso relacionamento, e também com todas as outras com quem nos deparamos durante o dia – quando temos que falar com elas -, seja motorista de ônibus, atendente de lanchonete, gari, telefonista ou qualquer outra pessoa.

Ao dizer “com licença”, estamos solicitando permissão para interromper alguém, fazermos ou falarmos algo e, junto com isso, uma mensagem subliminar de que respeitamos a pessoa e gostaríamos de dizer ou perguntar algo. No entanto, o tom de voz é que dirá se estamos pedindo “com licença” de forma humilde e respeitosa, ou se estamos fazendo de maneira arrogante e mal-educada. Cabe a nós nos policiarmos quanto ao modo correto de fazê-lo se quisermos evitar complicações desnecessárias.

Quando falamos “por favor” emitimos a mensagem de que precisamos ajuda ou atenção de alguém, ou como um simples gesto de polidez.

“Desculpe” é uma palavra que demonstra não somente educação, mas também maturidade de quem a pronuncia, porque nem sempre as pessoas gostam de admitir que erraram ou que fizeram algo inadequado.

“Muito obrigado”, pronunciado de forma aberta e sincera, é o melhor gesto de reconhecimento que podemos expressar quando somos auxiliados ou beneficiados em algo. A propósito, você tem o hábito de agradecer às pessoas com quem você convive em casa, no trabalho, em sua comunidade? Se não o faz desafie-se a fazê-lo todos os dias, em todas as circunstâncias que a situação se apresente.

As palavras mágicas são tão essenciais no relacionamento humano quanto o ar que respiramos, pois representam demonstrações de respeito, humildade e atenção às pessoas, e são expressões universalmente reconhecidas e apreciadas por todas as pessoas e povos em qualquer lugar do mundo.

A mais especial das palavras

É bom lembrar que as pessoas têm nome. Então, não deixe de fazer uso do nome delas sempre que conversar com alguém pessoalmente, por telefone ou e-mail. Dale Carnegie, autor de vários best-sellers sobre relações humanas, disse certa vez que o som mais suave e agradável que existe para alguém é o seu próprio nome. Lembrar-se do nome de uma pessoa que você pouco conhece, ou não vê há muito tempo, é algo que encanta qualquer um. Ao dizer o nome dela você está demonstrando estima por esse alguém, e quanto o tem em consideração, pois está registrado em sua memória.

As palavras certas podem provocar milagres

Um cego estava a pedir esmolas na rua e, ao seu lado, uma placa de papelão onde se lia: “Sou cego, por favor me ajude”. As pessoas passavam e, de quando em vez, uma ou outra moeda era lançada na latinha. Um pedestre caminhava apressadamente para o trabalho e, quando já havia passado pelo pedinte, parou subitamente, olhou em sua direção, e voltou. Pegou a placa de papelão e, do outro lado, escreveu algo. Enquanto fazia isso falou simpaticamente com o cego e depositou uma moeda no recipiente. Em seguida colocou o papelão ao lado do cego e foi embora sem dizer mais nada. Não demorou muito e o pedinte começou a ouvir o tilintar das moedas caindo sem parar na sua latinha, até entupi-la. E assim aconteceu por várias vezes. Horas depois o mesmo pedestre, voltando do trabalho, perguntou ao cego se tudo estava bem com ele. Reconhecendo a voz, o pedinte perguntou ao homem o que ele havia escrito no papelão. Este respondeu: “Escrevi a mesma coisa, só que com palavras diferentes. Pus na placa ‘Hoje está um lindo dia, mas não posso vê-lo porque sou cego’.

Texto extraído e condensado do livro O Livro das Relações Humanas – Seu Manual para Obter Sucesso com as Pessoas, de Ernesto Berg, Juruá Editora.
  www.quebrandobarreiras.com.br 

Ernesto Berg
Consultor de empresas, professor, palestrante, articulista, autor de 14 livros, especialista em desenvolvimento organizacional, negociação, gestão do tempo, criatividade na tomada de decisão, administração de conflitos. 

07 ago 2015

DICA DE LEITURA: LIDERANÇA ESTRATÉGICA

No Comments Administração e Gestão, Ambiente de Trabalho, Características Pessoais, Carreira, Gestão de Pessoas, Liderança, Marketing Pessoal, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo, Relações Humanas

Na pressa para alcançar o sucesso, como podemos ajudar a nossa mente a se renovar para melhor influenciar as pessoas?

lounge-empreendedor-lideranca-estrategica

Umas das coisas que sempre me preocupou foi o conceito de liderança. Dou aulas sobre o assunto, coordeno equipes e ainda assim me pergunto se as minhas próprias atitudes como líder são as corretas.

Com o tempo percebi que os conceitos variam de acordo com a situação e que duas competências sempre me marcaram muito: "legado e estratégia". Tenho certeza que você já leu textos sobre isso aqui mesmo no Lounge Empreendedor.

Acredito firmemente que se líderes pensassem no "legado" que iriam deixar, tomariam decisões mais sensatas. Temos visto situações tanto na economia, quanto na política em que se os líderes que tivessem pensado no "legado" talvez não tivessem cometido ou tomado decisões que tomaram.

Somado a isso, a visão estratégica é fundamental.  Às vezes, os métodos e modelos usados para explicá-la são mais complicados do que o conceito e do que a própria prática da liderança estratégica. Nem sempre podemos defini-la ou descrevê-la em todas as minúcias, mas a reconhecemos quando age.

lounge-empreendedor-lideranca-estrategicaEsse tipo de liderança envolve percepções microscópicas e expectativas macroscópicas que são muito bem abordadas no livro “Liderança Estratégia – O princípio da Pausa” lançado pela Editora M. Books.

Por mais paradoxal que possa parecer, mesmo com todas as atividades e incertezas que a rotina da gestão possa nos impor, o autor Kevin Cashman afirma que o sucesso virá para aqueles que souberem realizar pausas profundas e reflexivas para entender o que estão enfrentando dentro e fora de si mesmos.

Acredito realmente que a essência da liderança passa por uma profunda consciência de nós mesmo e de novas perspectivas que nos coloquem um passo a frente nesse mercado dinâmico e global. Talvez, por isso, tenha gostado tanto do livro.

Sem contar que o autor nos oferece vários recursos práticos para fazer mudanças no gerenciamento, fortalecer a liderança, desenvolver outras pessoas e promover a cultura da inovação seguindo sete práticas (bem pragmáticas) da pausa:

  1. Persistir no propósito
  2. Perguntar e ouvir
  3. Arriscar a experimentação
  4. Refletir e sintetizar
  5. Considerar dinâmicas de dentro para fora e de fora para dentro
  6. Estimular a generatividade (energia e entusiasmo para ajudar os outros)
  7. Ser autêntico.

Então vamos lá: respire fundo, estabeleça momentos para parar, recuar, buscar novas informações, reavaliar tudo o que está a sua volta e, então, agir sem medo. Que tal começar agora?

SOBRE O AUTOR:

KEVIN CASHMAN é sócio, CEO e executivo de desenvolvimento da Korn/Ferry International. É também o fundador do Chief Executive Institute, integrante sênior da Caux Roundtable, membro do conselho de administração do Center for Ethical Business Cultures, e autor do Best-seller Liderança Autêntica – de dentro de si para fora, publicado pela M.Books. Foi classificado entre os Top Ten Thought Leader pela revista Leadership Excellence. 

02 ago 2015

MEIO CHEIO OU VAZIO?

No Comments Comportamento, Escolhas, Inteligência Emocional, Mudança, Relações Humanas, Viva Positivamente

Existe uma lei do pensamento que diz: semelhante atrai semelhante. Seus desejos têm atraído o quê em sua vida?

lounge-empreendedor-meio-cheio-meio-vazio

“Cuidado com o que você deseja, pois seus desejos podem tornar-se realidade”. Com certeza você já ouviu essa frase. Honestamente, sempre que desejei algo de verdade (com vontade mesmo!) fui agraciada. Não é questão de misticismo, crendice ou coisas do tipo, é energia. Nosso pensamento tem poder.

Por que perder tempo desejando o mal a alguém ou invejando as conquistas alheias se você pode construir seu próprio caminho? Isso só traz amargura e ressentimento, te torna pequeno e com baixa autoestima. Lembre-se que toda e qualquer ideia exerce grande poder sobre nossa vida e ainda que pareça que os pensamentos são direcionados aos outros, é sobre você que ele se reflete. Afinal, nós fazemos aquilo que pensamos. Quer planejemos fazer o bem ou o mal, o plano e a ação principiam na mente.

Por isso, mesmo que sua situação não seja das melhores, aproveite seu tempo livre para estudar, motivar-se com as pequenas conquistas e correr atrás da realização dos seus sonhos. Volto a dizer: tome cuidado com o que você deseja, pois mais cedo ou mais tarde você será atendido e aí, não adianta arrepender-se. (Lembra da Efigênia, do programa Zorra Total?!?)

Brincaderias à parte, prepare-se para o momento de receber o seu pedido. (O vídeo foi só pra descontrair mesmo!)

Às vezes, não entendemos muito bem o momento das mudanças, mas fique certo de que, mesmo que não seja compreensível num primeiro momento, tudo o que acontece em sua vida tem um porquê. Não blasfeme a sorte, jogue o xadrez da vida e tente sempre ver o lado bom das coisas.

Imagine que temos um balde com água até a metade: para você, este balde estaria meio cheio ou meio vazio? Sua resposta depende muito de sua percepção de realidade, que é subjetiva em sua essência e variável de pessoa para pessoa. O que digo a vocês é para buscarem enxergar a vida sempre pelo lado cheio!

Sei que não é fácil, mas garanto que vale a pena. Por mais semelhantes que as situações possam nos parecer, precisamos reconhecer que cada pessoa vive em seu próprio mundo. O que se sente, percebe, pensa e imagina é resultante de suas experiências, do ambiente físico e social em que vive e da sua própria natureza biológica.

Seu mundo é o seu mundo pessoal e é diferente do mundo de todas as outras pessoas. Não subestime e muito menos menospreze seus medos e desejos. A maneira pela qual nos comportamos está subordinada ao nosso mundo particular. E se somos capazes de desenvolver nosso próprio mundo, porque não fazê-lo sob uma perspectiva positiva?

Numa cena do musical “A Noviça Rebelde”, Maria, a governanta, distrai as crianças ajudando-as a pensar em suas coisas favoritas durante uma tempestade. Criando pensamentos agradáveis, elas se esquecem dos temores. Conosco também é assim: pensamentos agradáveis expulsam os desagradáveis. Se emanarmos bons pensamentos, assim serão as nossas experiências. Se a crise parece estar cada vez mais perto, eu prefiro acreditar que há um caminho de boas oportunidades sendo construído e que será por ele que minha vida irá seguir. Quer seguir comigo?

 

23 jul 2015

ARRANQUE OS RÓTULOS

No Comments Comportamento, Relacionamento Interpessoal, Relações Humanas, Viva Positivamente

Gordo, velho, nerd, tímido… Os rótulos machucam e prejudicam o bem-estar de quem os recebe e podem afastar você de novas (e boas) relações.

lounge-empreendedor-arranque-os-rótulos

Infelizmente, desde muito cedo aprendemos não só a dar nomes a tudo o que conhecemos, mas também a colar a elas certos rótulos. Atribuímos conceitos fechados e com significados estanques, permanentes e, muitas vezes, imutáveis até mesmo para as pessoas. Dizer que a mulher de hoje é criada para ser independente, e que homens não gostam de mulheres independentes, é um erro. Homens e mulheres são muito diversificados, e seus desejos, muito mais complexos. Pessoas não cabem em caixinhas. Não se podem definir. Ninguém é apenas mocinho ou bandido. Quem é vivo, surpreende. E quanto mais preconceituoso, dogmático e inflexível for o rótulo que você escolher, menos você se deixará surpreender.

Na verdade, rótulos existem para identificar o conteúdo, as características ou a composição de um produto. Toda vez que alguém identifica outra pessoa com algum rótulo, reduz um ser humano à categoria de produto, que, no entanto, depende de uniformidade para existir. Não podemos ser produtos!

lounge-empreendedor-arranque-os-rótulos

Cada um de nós tem aspectos e formas diferentes, definidos de acordo com contextos, transformados pelo convívio e idealizadas a partir das circunstâncias. Quando se fala, portanto, que “a mulher de antigamente era criada para ser dona de casa” e “a mulher de hoje é criada para ser uma executiva e conquistar o mundo” estamos apenas trocando uma etiqueta por outra. É preciso haver mais. Existe mais conteúdo – complexo e indefinível – a ser visto por baixo dos rótulos.

Eu, por exemplo, conheço homens de todos os tipos: aqueles que gostam de futebol, outros que se encantam por carros, que sabem fazer churrasco, que gostam de comida japonesa, que podem parafusar quadros nas paredes. Nada disso, lhes faz mais ou menos homens.  Assim como conheço mulheres mais ou menos delicadas, que sabem manejar prego, martelo e furadeira, que adoram cozinhar ou que mal sabem ferver uma água. Algumas ricas, algumas pobres. Nada disso fez qualquer uma delas mais ou menos mulher, melhor ou pior. O fiel da balança é sempre algo que não se explica e que não cabe em planilhas.

Precisamos de coragem para olhar a vida de frente, de olhos abertos, dispostos a enxergá-la em sua amplitude, o que inclui o belo e o feio, o agradável e o desagradável, a luz e a escuridão. Chega de dominantes e dominados! Se somos todos iguais, somos todos singulares também. E isso é simplesmente M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O.

Enquanto insistirmos em rotular as pessoas, acreditando que quem se comporta assim, ou quem se veste de determinada maneira é isso ou aquilo, continuaremos condenados a apenas substituir as etiquetas. É claro que temos o direito de querer ou gostar daquilo que nos for melhor. Nosso direito de escolha nada tem a ver com a inteligente decisão de parar de rotular. Mas fica aqui uma dica: no desconhecido e diferente você também poderá descobrir lindos caminhos em si e nos outros. Sem etiquetas.

 

*Texto inspirado em Dra. Rosana Braga

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...