Archive for Gestão

25 ago 2015

COMO A POLÊMICA DO UBER PODE AJUDAR VOCÊ

No Comments Boas Práticas, Competitividade, Empreendedorismo, Gestão, Inovação, Modelo de Negócio, Proposta de Valor

Inovação precisa fazer parte do cotidiano da administração da empresa e não apenas dos momentos de crise.

lounge-empreendedor-polemica-do-uber

Engana-se quem entende que a inovação deve ser feita somente com o produto final. A inovação pode e deve permear todos os processos de sua empresa e não apenas no que seu consumidor irá perceber diretamente. O tão comentado serviço de contratação de motoristas particulares tem nos dados algumas "aulas" sobre isso e por isso, inspirou o título do artigo de hoje.

Não vamos entrar aqui na legalidade do Uber e toda a sua controvérsia, mas sim analisar como ele e outros serviços estão desencadeando no mercado, que é a eliminação do atravessador ou intermediário através de uso massivo da internet.

Eliminar o atravessador sempre foi uma intenção dos negócios desde o início da internet, mas a interação ainda era limitada e o volume de pessoas e empresas realmente conectadas não criava uma massa crítica como a que temos hoje com os celulares. 

Estamos todos conectados e online.

Os sites de vendas de produtos, novos ou usados, já existiam há 15 anos atrás, mas agora, uma dúvida ou solicitação de um novo pedido é imediatamente recebida ao som de um 'blim' emitido pelo seu celular. Antes, a pessoa precisava estar na frente de um computador, o que tornava o processo mais moroso.

Para chamar um táxi, você tinha que ter um telefone do ponto e torcer para ter alguém disponível. Agora se gasta menos de 30 segundos para fazer o pedido, além de ser possível ver o táxi chegando até a sua residência e, para pagar, você não tem nem que tirar a carteira do bolso.

Não estou falando que a sua empresa precisa criar estes serviços, mas sim utilizá-los.

Seja no processo de vendas ou no processo de compras, onde estes exemplos podem ser utilizados em sua empresa? Que tipo de agilidade pode diminuir seus estoques sem comprometer a sua produção? Como obter matéria-prima mais barata?

Esta inovação não se limita aos processos físicos. A melhora da tecnologia também está facilitando a contratação de especialistas de forma remota, esteja ele onde estiver, pois não é mais necessário ir até a sua empresa para fazer seu trabalho.

A todo o momento, novos processos de negócio estão sendo criados e você deve estar antenado em como estes negócios podem influenciar a sua empresa, seja facilitando seus processos, seja ao criar produtos substitutos que podem se tornar seus concorrentes.
 

Fernando Angelieri é formado em Processamento de Dados pela FASP, com MBA em Gestão Estratégica de TI pela FIAP e em Administração pela FVG.

 

07 out 2013

5 PRINCÍPIOS PARA O CRESCIMENTO DA SUA PEQUENA EMPRESA

No Comments Administração e Gestão, Comportamento, Comportamento Empreendedor, Empreendedorismo, Gestão, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo, Sucesso

Veja algumas atitudes que podem ajudar você a construir uma base sólida para sua empresa crescer.

lounge-empreendedor-5-princípios-para-o-crescimento-da-sua-pequena-empresa

Muitos empreendedores têm excelentes ideias, mas são incapazes de dimensionar suas empresas para o crescimento.  Depois de anos atuando no setor de pequenas empresas, aprendi que cada empresa é única, mas que existem certos preceitos fundamentais a serem seguidos para o sucesso. Os poucos que conseguem fazê-lo com foco, disciplina e pensamento inovador principiam uma jornada em direção ao crescimento sadio e sustentável.

Embora seja preciso mais do que isso para ser um sucesso no mundo dos negócios, aqui estão cinco princípios essenciais que você pode começar a aplicar:

1. Timing é tudo.

Analise qual é o momento para seu produto ou serviço entrar no mercado. Se o seu cliente não está pronto e você está muito à frente do mercado, talvez seja a hora de repensar suas estratégias para não sacrificar seus resultados.

Você terá que optar entre esperar um momento melhor aceitando o risco da concorrência emergente, ou terá de ajustar a sua oferta para algo mais palatável para o atual mercado em prontidão.

As pequenas empresas têm a vantagem de ser capazes de fazer escolhas e implementar mudanças sem o processo exaustivo e pontos de vista conflitantes que retardam grandes corporações. Você precisa antecipar o seu mercado e as necessidades dos clientes e inovar constantemente para ficar à frente. Isso requer liderança, agilidade, resistência e boa disposição para falhar – reconhecendo possíveis fracassos rápido o suficiente para adaptar-se e seguir em frente.

2. Marca, marca , marca.

A economia de hoje exige que os empreendedores criem memórias positivas para clientes e parceiros ou eles irão procurar seus concorrentes em busca de uma melhor experiência. (Já falamos sobre isso aqui no Lounge Empreendendor, lembram? Releia o texto Economia Criativa e Design Experience). Se você deseja criar um negócio escalável, você tem que entender o quão importante é a construção do conceito de marca (brand equity). O apego emocional que une clientes e o seu produto, em detrimento de todos os outros, se traduz em um crescimento sustentável.

Aqui estão algumas regras básicas para se conectar, influenciar e buscar uma ligação do cliente com a sua marca :

  • Escolha o seu público-alvo: o caminho mais certo para o fracasso do produto é para tentar ser todas as coisas para todas as pessoas.
  • Estabeleça um ligação com o público: seu objetivo é fazer com que seu público sinta uma ligação emocional com a sua marca.
  • Inspire e influencie: uma mensagem de marca inspiradora é muito mais influente do que aquela que apenas destaca as funções e características do produto.
  • Reforce a imagem de marca da sua empresa: certifique-se de que funcionários em todos os níveis da sua organização trabalhem e se comportem de uma maneira que reforça a imagem da sua marca.

3. Dimensione suas vendas

A criação de um produto único e uma marca única não é suficiente. Você precisa identificar, projetar e implementar vendas constantes e bons processos de entrega ao cliente .

Um modelo de vendas consistente é o que poderá oferecer a sustentabilidade ao seu negócio, afinal empresas nascem para vender algo a alguém, certo?

Lembre-se que o custo para conquistar um novo cliente é significativamente menor do que o valor que você pode ganhar com esse mesmo cliente ao longo do tempo.

4. Abrace a tecnologia

A maioria dos donos de pequenas empresas com quem converso gostaria de ter um melhor aproveitamento de inovações tecnológicas para ajudar a gerir os seus negócios. Se uma pequena empresa pode identificar uma necessidade genuína, provavelmente haverá uma tecnologia para atender essa necessidade tanto local como globalmente.

Não tenha medo. Crie um plano operacional que aproxime sua empresa da aplicação de todas as tecnologias disponíveis, tanto para gestão como para comunicação com seus potenciais clientes.

5.  Reduza o stress

A maioria dos proprietários de pequenas empresas consideram que fazer a gestão de seus negócios é duas vezes tão estressante quanto manter um relacionamento saudável com o cônjuge ou companheiro, quase três vezes mais estressante do que criar os filhos , e mais de quatro vezes tão estressante do que gerenciar suas próprias finanças pessoais, de acordo com o relatório “Small Business Owner Survey“ do Bank of America (BofA). A pesquisa indica que os pequenos empresários rotineiramente renunciam a aptidão física e outras prioridades pessoais para manter-se com demandas de negócios.

Isso é cruel demais… Se você não estiver feliz, saudável e motivado, como poderá oferecer uma experiência positiva ao mercado?

Ninguém quer fazer negócios com uma pessoa amarga, exausta e rabugenta. Portanto, investir tempo e esforço para cuidar adequadamente de sua saúde física e bem-estar mental vai aumentar ainda mais suas chances de sucesso a longo prazo. Cuide-se e sucesso!

03 jun 2013

PREPARE-SE PARA O DIA DOS NAMORADOS

No Comments Atendimento ao Cliente, Datas Especiais, Empreendedorismo, Gestão, Marketing, Mercado, Oportunidade de Negócio, SEBRAE, Vendas

Clima romântico no ar e o comércio pronto para atender a demanda de pessoas que estão à procura do presente ideal para quem ama. Você vai aproveitar essa oportunidade?

lounge-empreendedor-dia-dos-namorados

Mal passamos pelo Dia das Mães e as lojas já começam a se preparar para o Dia dos Namorados, outra data importante para o comércio varejista.  Organizar uma vitrine vendedora, oferecer opções de montagens de embalagens, fidelizar os clientes e preparar os estoques são preocupações que não podem faltar para o bom andamento do negócio.

Eventos sazonais são ótimos momentos para os empreendedoros divulgarem seus produtos e serviços de forma mais agressiva. O Dia dos Namorados traz desafios e oportunidades para o varejo, com a demanda levando o faturamento a uma variação positiva. Afinal, quem não quer agradar seu amorzinho nessa data, certo?

Um pesquisa realizada pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP) aponta que para 2013 a expectativa de vendas para o Dia dos Namorados será estável. Acompanhando a inflação do País, varejistas esperam um crescimento de 5% nas vendas para a data. O ticket médio de compra no Estado pode ser de aproximadamente R$100,00. Em 2012, as vendas no período superaram 5,2% em relação a 2011. Apesar de o crescimento esperado para este ano ser inferior ao calculado em 2012, os lojistas acreditam que em razão da proximidade do inverno, a vendas sejam estimuladas.

Com as temperaturas mais baixas neste período, os presentes pessoais serão os mais procurados, como confecções, calçados e artigos de couro, telefonia, flores, cosméticos e perfumes. Além dos restaurantes e bares que receberão um grande número de consumidores no dia.

Diferentemente de grandes períodos como o Natal, o Dia dos Namorados é uma data em que não se vê tanto movimento nas ruas, porém os maiores valores vêm do consumo unitário. É um período de compras feitas com maior pesquisa e escolha. Na hora da compra, as pessoas já têm uma noção do que querem dar e seguem direto para as lojas segmentadas do produto. Para aumentar as vendas, os empreendedores devem investir no visual da loja, seguido de novos produtos e promoções. Porém, segundo os consumidores, o fator mais importante para a decisão de compra é o bom atendimento.

Vitrines, divulgação, embalagens, iluminação, atendimento… Tudo é amor!

Como forma de explorar todos os recursos da vitrine, um dos principais chamarizes da loja, procure surpreender no uso de cores, formas, e da iluminação – tudo isso aliado à composição de um bom plano visual.

Ofereça a montagem de kits surpresa e embalagens espaciais, cuidados assim causam um ótimo impacto e também podem ser ótimas soluções de presentes, como caixa dos cinco sentidos, dos sete pecados, com guloseimas ou caixa romântica. Uma embalagem diferenciada valoriza os produtos, faz com que eles fiquem mais atraentes e criam a impressão de exclusividade para quem os recebe.

E não se esqueça de aproveitar as redes sociais para alavancar as vendas por meio de divulgação de promoções e da apresentação de preços competitivos na internet. Mas, para isso, é preciso que você tenha disponibilidade para interagir em tempo real com seus clientes.

lounge-empreendedor-prepare-se-para-o-dia-dos-namorados-guia-sebraeO Sebrae-SP lançou uma cartilha “Venda Melhor – Dia dos Namorados” com dicas para auxiliar você, e eu selecionei algumas para trazer aqui para o Lounge Empreendedor. Se você quiser saber mais, pode obter a cartilha que está disponível na internet neste endereço ou ir pessoalmente a um escritório do Sebrae-SP para retirar.

Vamos às dicas:

  1. Conte uma história: Como já falamos, a vitrine é o cartão de visitas da loja, e isso vale também para o seu comércio eletrônico, quando a vitrine é sua homepage. Se você não encantar o consumidor, ele provavelmente não entrará e você perderá a oportunidade de venda. Com manequins ou outros objetos decorativos, conte uma história de amor.
  2. Seja diferente: Surpreenda seus clientes. É fundamental ser notado. Seja ousado, ultrapasse a linha do previsível. Com isso, você atrai mais consumidores.
  3. Use cores fortes e formas: Não é preciso ser expert em vitrines para atrair consumidores. Use bastante papel de seda colorido em volta de mostruários de joias, por exemplo. Vinte por cento a mais de pessoas são atraídas por vitrines coloridas.
  4. Mantenha um visual limpo: Não adianta encher a vitrine com todos os produtos da loja. Para chamar a atenção, vale usar uma dúzia de itens de um mesmo modelo ou eleger aqueles produtos que você deseja que tenham maior saída neste período.
  5. Pense em planos visuais: Antes de começar a expor os itens na vitrine, marque o vidro com uma fita na altura dos olhos das pessoas. Isso facilita a organização. lounge-empreendedor-dia-dos-namorados-vitrine  É importante manter alguns itens suspensos no teto e outros na base, próximos ao piso, mas o foco deve estar na altura média dos olhos dos consumidores.
  6. Iluminação: Pense na vitrine associada a luzes, que devem ser direcionadas aos pontos de atenção, mas sem formar sombras. À noite, deixe as luzes da vitrine acesas. Se sua loja for a única com iluminação, receberá atenção extra de quem passar pela rua. Só não esqueça a segurança.
25 mai 2013

O PODER DA PERSISTÊNCIA

No Comments Aprendizagem, Carreira, Competências, Comportamento, Comportamento Empreendedor, Confiança, Empregabilidade, Escolhas, Gestão, Gestão de Pessoas, Momentos de Vida, Otimismo, Resiliência, Sucesso

(s.f.) Ação ou efeito de persistir; qualidade do que dura; que persiste ou como disse Charles Chaplin, "o menor caminho para o êxito".
 

lounge-empreendedor-o-poder-da-persistencia


A persistência é uma daquelas competências que precisamos recorrentemente exercitar. É como se vivêssemos em um belo campo com vistas montanhosas onde as corridas seriam ganhas não apenas pelos mais velozes, mas – principalmente – por aqueles que podem sempre permanecer caminhando.

Essa analogia é ótima para nos manter firmes na busca por nossos objetivos e sonhos. Quando somos persistentes, agimos com convicção e atraímos boas energias e vibrações para as pessoas e eventos que ajudam nossos caminhos. Parece que o universo conspira mesmo a nosso favor. Mesmo quando as coisas não acontecem exatamente como queremos ou achamos que devem ser ou, se encontrarmos obstáculos e barreiras ao longo do caminho, é a persistente busca de nossos objetivos que acabará por torná-los realidade.

E isso vale para as corridas em belos campos, mas também para os nossos objetivos de carreira.

Um grande exemplo disso aconteceu com dois profissionais que atendo em processos de coaching que estavam buscando oportunidades de promoção dentro de suas empresas. Vou chamá-los de João e Francisco. Na verdade, ambos tinham o mesmo objetivo: alcançar a posição de vendas de mais alto nível dentro de suas organizações (diferentes).

João estabeleceu como meta cerca de dois anos para atingir a vaga tão desejada. Quando não viu os resultados que procurava, decidiu perseguir um objetivo diferente: deixou seu emprego para iniciar sua própria consultoria de marketing.

Outros dois anos depois, sua empresa de consultoria ainda não tinha crescido ao nível que João desejava e então, ele a abandonou voltando ao seu objetivo original de buscar uma posição de vendas de alto nível dentro de alguma grande corporação. Há 18 meses, João foi recolocado no mercado, mas recentemente descobri que, mais uma vez, não vendo seu movimento ascendente acontecer rápido o suficiente, ele já está começando a estudar possibilidades e alternativas.

Por outro lado, desde que definiu seu objetivo “original” de alcançar a posição de vendas de mais alto nível em sua companhia, Francisco tem exercido vários papéis diferentes em sua empresa (todos relacionados às vendas). Ele continua a ampliar seu conhecimento sobre os setores da empresa e passou a conhecer quase todos os seus clientes. O que está diretamente relacionado à busca de seu objetivo final.

Francisco teve alguns tropeços e deu – inclusive – alguns passos para trás para atingir seu objetivo, mas não desanimou. Alguns de seus maiores aprendizados vieram dos momentos em que precisou recuar para continuar a caminhar. Ele sabe que quanto mais ele persevera e quanto mais ele melhora em suas atribuições atuais, quanto mais perto ele chega ao seu objetivo final.

Pois, então… Francisco chegou ao cargo de Diretor de Vendas, que é um cargo de vários níveis acima de onde ele estava, quando começou a perseguir conscientemente seu objetivo. A progressão positiva contínua ao longo de sua carreira mostra que mesmo eventos que pareciam obstáculos ou que pareciam "retardá-lo ou levá-lo para baixo" não foram capazes de desestimular ou inviabilizar Francisco de continuar. Ele conhece todas as atribuições e reconhece que as novas aprendizagens foram pontos-chave para prepará-lo para a posição de vendas de mais alto nível na empresa.

E o mais legal: Francisco acredita que, mesmo querendo muito chegar a essa posição, se isso não acontecesse onde está trabalhando atualmente, aconteceria em outro lugar, pois ele não perderia de vista o seu fundamental desejo. Ele continuaria persistindo e perseguindo porque ele sabe que, ao final da corrida, só teria essa linha de chegada.

Gosto muito da história de sua dedicação e persistência, pois é um lembrete para nunca perdermos de vista para onde queremos ir e nunca deixarmos de perseverar.

lounge-empreendedor-o-poder-da-persistencia

Se estamos comprometidos, persistentes e abertos à variedade de possibilidades e caminhos que nos levarão ao nosso “lugar desejado”, um dia vamos acordar e perceber que chegamos lá… Por quê? Porque continuamos a caminhar.

05 mai 2013

AS DUAS PULGAS

No Comments Ambiente de Trabalho, Aprendizagem, Comportamento, Cotidiano, Estratégia, Gestão, Tomada de Decisão

Domingo é dia para uma leitura um pouco mais leve e resolvi trazer para o Lounge Empreendedor um texto do consultor Max Gehringer. Que tipo de pulga você é?

lounge-empreendedor-duas-pulgas

Duas pulgas diretoras estavam conversando e então uma comentou com a outra: 

– Sabe qual é o nosso problema? Nós não voamos, só sabemos saltar. Daí que nossa chance de sobrevivência, quando somos percebidas pelo cachorro, é zero. É por isso que existem muito mais moscas do que pulgas. 

Elas então decidiram contratar uma mosca para treinar todas as pulgas a voar e entraram num programa de treinamento de vôo e saíram voando. Passado algum tempo, a primeira pulga falou para a outra: 

– Quer saber? Voar não é o suficiente, porque ficamos grudadas ao corpo do cachorro e nosso tempo de reação é bem menor do que a velocidade da coçada dele. Temos de aprender a fazer como as abelhas, que sugam o néctar e levantam vôo rapidamente. 

Elas então contrataram uma abelha para lhes ensinar a técnica do chega-suga-voa. 

Funcionou, mas não resolveu. A primeira pulga explicou por quê: 

– Nossa bolsa para armazenar sangue é pequena, por isso temos de ficar muito tempo sugando. Escapar, a gente até escapa, mas não estamos nos alimentando direito. Temos de aprender como os pernilongos fazem para se alimentar com aquela rapidez. 

E então um pernilongo lhes prestou treinamento para incrementar o tamanho do abdômen. Resolvido, mas por poucos minutos. Como tinham ficado maiores, a aproximação delas era facilmente percebida pelo cachorro, e elas eram espantadas antes mesmo de pousar. Foi aí que encontraram uma saltitante pulguinha, que lhes perguntou: 

– Ué, vocês estão enormes! Fizeram plásticas? 

– Não, entramos num longo programa de treinamento. Agora somos pulgas adaptadas aos desafios do século XXI. Voamos, picamos e podemos armazenar mais alimento. 

– E por que é que estão com cara de famintas? 

– Isso é temporário. Já estamos fazendo treinamento com um morcego, que vai nos ensinar a técnica do radar de modo a perceber, com antecedência, a vinda da pata do cachorro. E você? 

– Ah, eu vou bem, obrigada. Forte e sadia.

Mas as pulgonas não quiseram dar a pata a torcer, e perguntaram à pulguinha: 

– Mas você não está preocupada com o futuro? Não pensou em um programa de treinamento, em uma reengenharia? 

– Quem disse que não? Contratei uma lesma como consultora. 

– Mas o que as lesmas têm a ver com pulgas, quiseram saber as pulgonas. 

– Tudo. Eu tinha o mesmo problema que vocês duas. Mas, em vez de dizer para a lesma o que eu queria, deixei que ela avaliasse a situação e me sugerisse a melhor solução. E ela passou três dias ali, quietinha, só observando o cachorro e então ela me disse: 

“Não mude nada. Apenas sente na nuca do cachorro. É o único lugar que a pata dele não alcança”. 

Moral da história: 

Você não deve focar no problema, e sim na solução. Para ser mais eficiente é necessário estudar, analisar e não falar. Muitas vezes, a GRANDE MUDANÇA é uma simples questão de reposicionamento, execução e praticidade. Não queira complicar, seja prático e objetivo.

(Max Gehringer)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...