05 ago 2013

SER DONO OU EMPREGADO?

No Comments Abertura de Empresa, Carreira, Comportamento Empreendedor, Empreendedorismo, Escolhas, Gestão de Risco, Gestão do Tempo, Intraempreendedorismo, Mercado, Sucesso

A dúvida sobre o momento certo para empreender é bem comum entre aqueles que sonham em deixar o seu emprego. Como você pode se preparar?

lounge-empreendedor-ser-dono-ou-empregado

Na última semana, recebi um e-mail de uma leitora do blog questionando sobre qual seria o momento ideal para deixar o seu atual emprego e assumir a vida empreendedora. Atualmente, ela concilia as duas atividades e queria deseja saber se há um sinal que aponte o momento em que é chegada a hora de abandonar a vida corporativa e seguir por conta própria.

É claro que não existe uma “receita de bolo” que garanta o sucesso a todos que vivem o mesmo dilema, mas vou usar o texto de hoje para dar algumas dicas para quem deseja empreender, mas ainda não tem condições de largar seu emprego atual, ou até por opção, prefere manter a segurança do emprego formal e dar os primeiros passos bem devagar no caminho do empreendedorismo.

1 – Qual é o tamanho da sua disposição?

Empreender não é simples, não é sorte, não é dom. Empreender é paixão, dedicação, transpiração e muita persistência. Sempre me assusto com pessoas que miram o empreendedorismo como a panaceia e a cura para todos os seus problemas. Pois, vou lhes contar um “segredo”: a grande maioria dos empreendedores nunca chegará a ganhar o que um executivo de uma grande empresa ganharia (e com um risco menor). É ilusão achar que todo empreendedor fica rico, tem vida fácil, viaja três vezes por ano para o exterior e tem tempo para tudo que ele quer. A realidade, na prática, é bem diferente.

Se você realmente quer ser um “empreendedor funcionário” prepare-se para uma jornada de trabalho de 12 horas, no mínimo (8h de funcionário e no mínimo 4 horas no seu negócio). Você precisará de muita disposição.

2 – Estabeleça metas e prazos

Dependendo do tempo que você precisa se dedicar ao seu papel empreendedor, saiba que será impossível, ou no mínimo frustrante, tentar se dedicar também a outras atividades. Esqueça o trabalho voluntário, a academia ou a viagem pela Índia. Não vai dar!

Não estou dizendo que empreendedores não tenham tempo para si, mas enquanto você conciliar os dois papéis, você precisará ser seletivo e limitar os seus “pequenos prazeres”, afinal não dá para fabricar um dia de 30 horas!

O importante é colocar um prazo para esse limite, ou você poderá se sentir dividido para sempre entre o negócio e o emprego e deixar de lado as atividades essenciais para manter sua energia e disposição.

3 – Defina bons processos

Quanto mais seu negócio puder estar no “piloto automático”, melhor. Uma empresa que depende sempre do dono, certamente será um problema.  Por isso, automatize ao máximo suas rotinas e processos.  E isso deve ser feito desde o primeiro dia. Não espere a empresa crescer e ter mais funcionários para criar bons padrões de funcionamento.

É claro que o setor do seu empreendimento pode ajudar ou prejudicar em muito sua estratégia. Se você vende doces finos para casamentos e precisa perder longas horas para produzir “o bem-casado que só a sua avó tinha a receita”, tudo será mais complexo. Entretanto, se você vende bijuterias na internet, existem diversas plataformas com sistemas de e-commerce que podem facilitar muito a sua vida, da compra no fornecedor até a entrega no cliente.

Entenda o que é possível para você e de que forma seu negócio pode ser gerenciado com um nível menor de envolvimento no dia-a-dia. Afinal, você tem uma reputação a zelar também no seu emprego.

4 – Não abra mão do planejamento

Quanto mais você planejar a sua vida, melhor! Tenha todas as suas atividades do dia, da semana e do mês listadas para que você amplie sua visão e consiga prever situações de urgência com maior antecedência.  Contemple as ações voltadas ao emprego e ao negócio, pois o seu desempenho em um deles não pode interferir no outro.

5 – Peça ajuda

Você pode optar por um sócio ou entrar para o time das empresas familiares brasileiras. Elabore planos em conjunto, distribua as responsabilidades, faça seu marido (ou sua esposa), sua mãe ou seus filhos adolescentes participarem do negócio. Se você estiver com pessoas em quem confia por perto, tudo vai ficar mais fácil e o tempo partilhado pode ser muito gratificante.

6 – Quando seguir sozinho?

Até que a empresa se estabeleça e consolide uma base sólida de clientes é importante que você mantenha seu atual alicerce corporativo. Outra questão importante é ter uma boa organização do orçamento: estruture uma boa reserva financeira, com recursos suficientes para atender ao menos as necessidades básicas familiares e do negócio, por pelo menos um ano.

lounge-empreendedor-ser-dono-ou-empregadoO sucesso do empreendedor é o que ele coloca na cabeça que é sucesso. Cada um de nós tem uma definição de sucesso: ter liberdade para inovar, trabalhar com mais autonomia, criar sua própria marca no mundo, ter horário flexível, mobilizar pessoas, gerar empregos, ganhar mais do que ganharia sendo empregado, criar condições para que as futuras gerações da sua família tenham um negócio… Seja lá qual for a sua razão, desejo que sua empresa gere o sucesso que você merece atingir!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários

comentários

Tags: , , , , , , , , ,
written by
The author didn‘t add any Information to his profile yet.
Related Posts