Complexidade não significa efetividade quando o assunto é planejamento da sua empresa. Acerte na escolha! Preocupação com o passado ou ansiedade com o futuro são sentimentos que não ajudam quem quer uma vida melhor. Remova o medo da sua vida e seja o que sempre sonhou! Inteligência e honestidade emocional: você já parou para pensar em como seus sentimentos influenciam suas decisões? Páre e pense agora! Estabelecer limites saudáveis nos relacionamentos do ambiente de trabalho pode ser crucial para você. Fique atento! Sua qualidade de vida é determinada pelas escolhas que você faz diariamente. Veja aqui como tirar o máximo proveito da sua vida! Coaching: faça sua consulta e agende seu horário para entender como esse processo pode ajudar você.
31 Mar 2015

OFERTA OU CONTEÚDO

No Comments Administração e Gestão, Comunicação, Economia Digital, Empreendedorismo, Internet, Marketing, Mídias Sociais, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo

Encontrar o equilíbrio entre a oferta e o conteúdo é um dos principais desafios dos novos empreendedores. Veja algumas dicas para se sair bem nas suas escolhas.

 

lounge-empreendedor-oferta-ou-conteudo

A cadência da comunicação e a qualidade do conteúdo que você divulga rapidamente determinam a qualidade da experiência de seu cliente. Como comerciantes, nos esforçamos para estar afinados nessa travessia visando produzir os resultados esperados. Como você pode garantir que suas mensagens de marketing são eficazes sem que tenha de enfiar ofertas por tempo limitado goela abaixo das gargantas às vezes abertas de seus clientes? Neste mais novo paradigma, onde o conteúdo é o rei, será que é possível gerar resultados com respostas diretas enquanto entregamos ótimas informações?

Aqui estão algumas de nossas estratégias favoritas para ajudar você a encontrar o equilíbrio entre oferta e conteúdo:

  1. Estabeleça uma harmonia: Todo grande relacionamento cresce ao longo do tempo. Construir um ótimo relacionamento com seus clientes não é exceção. Tente acelerar o processo e talvez acabe queimando a ponte antes de atravessar seguramente rumo à terra mágica das compras maiores feitas repetidamente e dos clientes fidelizados por toda a vida. Planeje a experiência do cliente com um aumento gradual na frequência da comunicação incluindo as vendas, ofertas especiais e mensagens de reengajamento. Você sempre pode aumentar o ritmo no futuro, mas uma vez que o cliente desengata não existe um botão para começar tudo de novo que o faça voltar facilmente. Proteja seu negócio das altas taxas de rejeição e de cancelamento ao conduzir esse processo lentamente.
  2. Conquiste a confiança: A parte crítica da elaboração dessa experiência gratificante é conquistar a confiança de seu cliente. Seus clientes sabem que você é uma empresa e, compreensivelmente, deseja maximizar suas vendas, mas isso não significa que vão responder bem ou apreciar propaganda enganosa, falta de transparência nos preços ou serem bombardeados com ofertas vazias quatro vezes por semana. Mostre à sua clientela que você a respeita e vai manter um diálogo permanente com ela sem esperar nada em troca. Reserve um tempo para demonstrar seu agradecimento pelo fato de os clientes preferirem sua empresa sem tentar vender um único item. Faça melhorias sensíveis nos produtos baseadas nos comentários deles. Esses gestos irão conquistar confiança e mostrar o quanto você valoriza os clientes.
  3. Faça ofertas relevantes: Já reparou que quando aparece um comercial ou um anúncio no computador que mexe com seu interesse você fica menos propenso a trocar de canal, mudar de página ou clicar em fechar no link que fica no canto superior direito? É incrível como alguns dos princípios básicos da publicidade ainda são válidos, mesmo com os luxos da segmentação que os grandes bancos de dados e o rastreamento dos cliques nos proporcionaram na última década. Avalie o contexto de sua oferta e esteja certo de que ela seja relevante para o público que deseja atingir. Tire proveito de todos os segmentos disponíveis dentro de sua lista de clientes e envie para eles mensagens personalizadas. O que você perde em quantidade via segmentação, vai compensar com a qualidade da taxa de conversão e o aumento da força do relacionamento com seus clientes.
  4. Recheie a oferta com conselhos verdadeiros: Assim como seus clientes apreciam ofertas relevantes, eles também procuram por conselhos verdadeiros, honestos e aplicáveis. Seja sobre a melhor marca de tinta para cobrir as paredes da nova cozinha ou como criar seu próprio cartão de visita, os consumidores estão mais espertos do que nunca e aumentaram suas expectativas em relação ao conteúdo de qualidade em relação às marcas que usam e gostam. Aproveite a liderança e com argumentos convincentes dê a eles o que mais ninguém pode. Talvez você tenha alguns especialistas inexplorados em sua equipe que possam ser os rostos por trás dos conselhos oferecendo um toque mais humano.
  5. Inspire engajamento através da simbiose: Os melhores relacionamentos com clientes são enraizados pela simbiose. O maior envolvimento e participação deles leva sua companhia a crescer e você realmente acredita que a compra de seus produtos irá beneficiá-los. Dedique um amplo espaço na experiência do cliente para explicar o benefício de seus produtos ou serviços. Coloque isso detalhadamente na página de seu produto, nos recibos, nos e-mails de marketing e muito mais. Lembretes consistentes sobre a qualidade irão aumentar o prazer do cliente e isso trará resultado na hora de adicionar o produto no carrinho, o que pagará os esforços em longo prazo, tanto para você quanto para o consumidor.

Dena Enos é Vice-presidente de Marketing da LogoMix, uma plataforma self service para pequenas empresas que oferece serviços de marketing e desenvolvimento da marca que permite a criação de cartão de visita profissional em minutos. Ela tem comandado equipes globais na conquista de clientes, lidado com marketing de relacionamento com consumidores, gestão de marcas, relações públicas e mídias sociais. Conta com mais de 10 anos de experiência como líder sênior desde startups até em empresas de capital aberto.   

29 Mar 2015

VEM DE BIKE

No Comments Administração e Gestão, Atendimento ao Cliente, Boas Práticas, Economia, Empreendedorismo, Inteligência Competetitiva, Mercado, Nem Todo Empreendedor Nasce Sabendo, Promoção de Vendas, Proposta de Valor, Responsabilidade Social Empresarial

Sebrae-SP oferece dicas de adequação dos estabelecimentos aos adeptos do uso de bicicletas. 

 

lounge-empreendedor-vem-de-bike

Como vocês sabem, fiz parte do Sebrae por muitos anos e confesso que me apaixonei pela nova proposta da instituição: um livreto com dicas para empreendedores que desejam adaptar sua empresa para receber os usuários de bicicleta, bem como uma lista de 30 oportunidades de negócios mapeadas de acordo com as necessidades do público que usa a bicicleta como meio de transporte nas grandes cidades. Trata-se do "Ciclo Oportunidades – Pedale e lucre mais com a mobilidade urbana".

"A mobilidade urbana não é uma tendência, é uma realidade. Ao invés  de ser visto como um obstáculo à geração de negócios, esse novo contexto pode ser entendido como uma oportunidade para as empresas criarem diferenciais competitivos", explica Rodrigo Hisgail de Almeida, consultor do Sebrae-SP.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria, Comércio, Importação e Exportação de Bicicletas (Abradibi), o Brasil é o terceiro maior produtor de bicicletas, com 4 milhões de unidades ao ano, e o quinto maior mercado consumidor do mundo, com uma frota estimada em 80 milhões de unidades.

Para atrair quem anda de bicicleta para trabalhar ou por esporte é necessário fazer ajustes para tornar a empresa um local "bike-friendly" (amigo do ciclista). Quem usa este meio de transporte pode frequentar um estabelecimento porque soube que será bem tratado e não terá preocupação ao levar sua bicicleta.

Algumas dicas práticas e baratas tornam a empresa convidativa aos ciclistas, como:

  • sinalize que o local oferece facilidade a este público por meio de recursos visuais como placas ou selos;
  • ofereça espaço para que o cliente guarde a bicicleta com segurança;
  • faça parceria com estacionamentos próximos caso não possua espaço suficiente para criar um bicicletário, e;
  • tenha equipamentos disponíveis para empréstimo, como cadeados ou correntes.

As 30 oportunidades de negócios listadas no livreto estão associadas à mobilidade urbana. Para quem pensa em montar uma empresa voltada ao público ciclista, estão sugestões como: venda de bicicletas, produção de peças e acessórios, moda bike fashion, restaurantes, hotéis, empréstimo de bicicletas, oficinas de reparos, café bike, entre outros.

Tornar a experiência de consumo mais cômoda é uma estratégia eficiente. O cliente ciclista vai se sentir mais acolhido, vai gastar ali e voltar novamente. Além disso, cada vez mais o público se preocupa não só em comprar, mas também em conhecer de quem está comprando, e está dando preferência a empresas que tenham ações de sustentabilidade.

O material está disponível para download gratuito. Basta clicar na imagem abaixo:

lounge-empreendedor-vem-de-bike

 

28 Mar 2015

RESULTADO NEGATIVO PARA AS PEQUENAS EMPRESAS

No Comments Abertura de Empresa, Confiança, Dados sobre Empreendedorismo, Economia, Empreendedorismo, Mercado, Pequena Empresa, SEBRAE

Faturamento das micro e pequenas empresas cai em 2014 e aumenta o pessimismo dos empresários em relação aos negócios e à economia brasileira 

 

lounge-empreendedor-resultado-negativo

A estagnação da economia brasileira no ano passado e o nível mais fraco do consumo interno prejudicaram o desempenho das micro e pequenas empresas (MPEs) paulistas, que chegaram ao final de 2014 com queda de 0,6% no faturamento real (já descontada a inflação) em relação a 2013. O cenário negativo também deteriorou as expectativas dos donos de MPEs, fazendo com que o pessimismo deles quanto a economia do País e faturamento do negócio para os próximos seis meses atingisse níveis recordes, é o que apontou pesquisa mensal Indicadores realizada pelo SEBRAE-SP. 

A receita total das MPEs em 2014 foi de R$ 595,3 bilhões, R$ 3,9 bilhões a menos do que em 2013. Indústria e comércio amargaram resultados ruins, com queda no faturamento acumulado de janeiro a dezembro de 1,8% e 5,9%, respectivamente, em relação a um ano antes. Apenas o setor de serviços conseguiu registrar aumento – de 6,5% – na mesma comparação. O resultado dos serviços foi beneficiado pela melhora de receita do segmento de transportes e armazenagem, que não apresentava performance tão boa, mas contou com o movimento para a Copa do Mundo.

"Inflação relativamente alta, aumento de juros, desvalorização cambial, piora nas condições de crédito e na confiança de consumidores e de empresários seguraram o ritmo da atividade econômica", afirma o presidente do conselho deliberativo do Sebrae-SP, Paulo Skaf. "Os pequenos negócios sentiram os efeitos dessa conjuntura e, consequentemente, seus resultados pioraram no confronto com 2013."

Entre as regiões, o Grande ABC teve a queda mais acentuada de faturamento, de 4,6%, no acumulado de 2014 sobre 2013. A região, que tem presença forte de empresas do setor automotivo, sofreu com o desempenho fraco da indústria. Na mesma comparação, as MPEs do interior de São Paulo tiveram baixa de 1,6% no faturamento; já o município de São Paulo apresentou crescimento de 0,8% no indicador e a Região Metropolitana ficou praticamente estável (variação de +0,3%).

Na análise de dezembro de 2014 com igual mês de 2013, o faturamento das MPEs paulistas variou apenas +0,2%. Na comparação de dezembro de 2014 com novembro do mesmo ano, houve crescimento de 10,8% na receita das MPEs.

O pessoal ocupado (sócios-proprietários, familiares, empregados e terceirizados) nas MPEs do Estado de São Paulo aumentou 0,8% em 2014 ante 2013. A folha de salários cresceu 3% (já descontada a inflação) e o rendimento dos empregados aumentou 0,9% em igual período.

Pessimismo recorde

Quanto às expectativas dos donos de MPEs com o faturamento da empresa para os seis meses seguintes, chamam a atenção os 16% que disseram, em janeiro, esperar piora, maior porcentual desde maio de 2005, quando as expectativas foram introduzidas na pesquisa. Em janeiro de 2014 eles eram 9%. A maior parcela (55%), no entanto, acredita em estabilidade (eram 50% um ano antes) e 24% falam em melhora (31% em janeiro de 2014).

O pessimismo também é recorde quando se trata das expectativas dos empresários em relação à economia. Em janeiro, 32% afirmaram crer em piora, o dobro de janeiro de 2014, quando 16% dos entrevistados manifestaram esse sentimento. Os que preveem estabilidade são 46% em janeiro de 2015 ante 51% de um ano antes. Já os que acreditam em melhora são 15% agora; eram 25% em janeiro do ano passado.

"Com relação ao ambiente interno, 2015 será um ano de ajustes promovidos pelo governo, que poderão ter efeito restritivo sobre a atividade econômica", afirma o diretor-superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano. "Como os pequenos negócios têm forte dependência do mercado interno, um consumo em nível menor tende a tornar a vida das micro e pequenas empresas mais difícil neste ano."

O presidente do conselho deliberativo do Sebrae-SP reforça que o planejamento torna-se ainda mais importante nesse cenário. "Cada ação do empreendedor deve ser bem estudada para que, diante de um quadro adverso, possa aproveitar ao máximo as oportunidades e correr menos riscos", diz Skaf.

Como sempre conversamos aqui no Lounge Empreendedor, a idéia de empreender não é panacéia! É preciso planejamento e cuidado para que o sucesso chegue até você! 

 

28 Mar 2015

QUAL É TUA OBRA?

No Comments Coaching, Gestão de Pessoas, Liderança, Protagonismo, Relações Humanas

Um dia o seu legado será também a sua história. Assim, até que esse dia chegue, você tem feito tudo o que está ao seu alcance para deixar atrás de você um bonita história?

 

lounge-empreendedor-qual-eh-tua-obra

As transformações recentes no conjunto da vida social que envolve o trabalho, a família, a relação entre as gerações e até mesmo a escola parece ter despertado uma nova busca pela realização e pela construção de um significado maior de vida. Legado passou a ser a palavra da vez!

Legados são parte de um processo continuo que nos procede, nos envolve, sobreviverá a nós e, por fim, dará lugar a outros legados. Um grande erro que cometemos é deixar para pensar em nosso legado somente no fim de nossa permanência em uma empresa ou quando estamos prestes a nos aposentar. Não há porque esperarmos por uma doença grave, assumir o negócio de família ou qualquer outro momento inusitado para refletirmos sobre quem queremos ser quando crescer.

No contexto familiar, uma boa pergunta a se fazer é: que legado deixarei para meus filhos e netos? Claro que, nesse sentido, não esperamos uma resposta relacionada à herança de bens e posses, mas às heranças morais, como caráter, ética, honra e honestidade. Algo que, no futuro, venha representar para nossos descendentes um referencial positivo de atitude, um modelo comportamental a ser admirado e seguido.

E se você se preocupa com essa questão, acho válido fazer o mesmo auto-questionamento no contexto organizacional. Que tipo de ações e atitudes fazem a diferença na vida das pessoas com quem você se relaciona? De que forma você pode se tornar uma pessoa inesquecível, muito mais do que lugares, produtos e coisas?

O verdadeiro legado se faz não pelos títulos, cargos e posições que acumulou e exerceu, mas pela pessoa que você foi ao longo do tempo, pelas ações e relações de cada dia, pela generosidade e justiça no seu próprio exercício de viver.

Um bom método para você construir a sua declaração de legado é continuar a frase: “gostaria de ser lembrado como alguém que…”

Você não precisa espalhar publicamente suas aspirações. Não precisa publica-las no jornal da empresa e ninguém está pedindo que você se abra de uma maneira que o torne desagradável publicamente. Contudo, se elas forem verdadeiras, os outros a reconhecerão.

E cuidado: construir um legado é algo trabalhoso, leva tempo, porém, às vezes basta um único deslize para que ele desmorone completamente. Existe um pensamento ultrapassado que, infelizmente, ainda é muito presente em nosso mercado que nos faz acreditar que tem mais valor aquele que consegue resultados a qualquer preço.

Acredito, porém, que mais que dos resultados, as empresas necessitam das pessoas. E são sobre elas que deixaremos nossas melhores marcas, pois quando você não tiver mais forças para seguir sua missão, alguém poderá continuar sua jornada. Somente ajudando os outros a semear seus próprios legados é que nossa influencia positiva pode atingir todo seu potencial.

27 Mar 2015

STARTUP CULTURE

No Comments Economia Digital, Empreendedorismo, Modelo de Negócio, Negócios, Startup, Tecnologia

O portal Startup Culture irá mapear os ecossistemas de startups no Brasil

 

lounge-empreendedor-startup-culture

Na próxima terça-feira (31), será lançado um portal voltado para empreendedores, com um evento gratuito e aberto ao público com interesse em empreendedorismo, startups e tecnologia.

O Startup Culture vai mapear o ecossistema de todo o Brasil e reunir notícias, vagas de emprego, conteúdos sobre empreendedorismo e muito mais, em parceria com a Eventbrite Brasiltrampos.co e o Coworking Plug N'Work.

Como irá funcionar

O portal terá um mapa de todos os players do ecossistema de startups que estão espalhados pelo Brasil (veja o infográfico no final desse nosso papo). Serão formados núcleos com o objetivo de fomentar cada região do país que tiver alguma iniciativa empreendedora. Os integrantes desses núcleos serão os responsáveis por alimentar todas as informações relevantes para as startups e empreendedores para que todos do núcleo se beneficiem e a região se desenvolva como um polo inovador.

A concentração das vagas em startups em um único local, mostradas em uma grande lista e dentro dos núcleos, serão publicadas por meio do portal trampos.co, com a intenção de facilitar e agilizar o recrutamento.

Além disso, o Startup Culture será também um hub dos eventos de tecnologia e empreendedorismo que farão parte desse ecossistema. Os usuários da rede poderão publicar e criar seus eventos, em parceria com a plataforma online para gerenciamento de eventos Eventbrite Brasil, representada no país pela startup argentina Eventioz.

Com a união dessas duas plataformas, os empreendedores terão em mãos o mapa do seu público de interesse e uma forma simples, eficaz e de confiança para realizar seus eventos, aumentando as chances de melhorar o networking e aproximação dos players.

Segundo o gerente de marketing da Eventbrite Brasil, Hugo Bernardo, as startups cadastradas no ecossistema terão infinitas possibilidades e oportunidades com as duas plataformas unidas. "A Eventbrite oferece uma solução simples e gratuita para os empreendedores brasileiros organizarem meetups ou eventos corporativos que ajudam no seu crescimento. Além disso, nossa parceria com o Startup Culture oferece aos associados vantagens especiais na organização de eventos maiores e mais complexos."

Para o idealizador do Startup Culture, Fabio El Beck, com esse portal, os empreendedores terão diversos benefícios. "O portal irá concentrar eventos, vagas de emprego, conteúdo e tudo o que o empreendedor precisa, sendo assim um grande facilitador para se desenvolver polos inovadores em qualquer lugar do Brasil."

Se você se interessou e quer estar presente, faça sua inscrição aqui.

Local: Plug N'Work – Avenida Nova Independência, 1061 – Itaim Bibi

Horário: 19h

Entrada: Gratuita

lounge-empreendedor-cultura-starups-infografico